10 jun 2018

Vetagro apresenta o controle da enterite necrótica sem antibióticos

enterite necrótica vetagro


AUTOR(ES)

Benedetta Tugnoli

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

A enterite necrótica (EN) é uma doença intestinal que impacta a produção mundial de aves, gerando perdas econômicas importantes, estimadas em cerca de US$ 6 bilhões anualmente. É causada pela proliferação de cepas toxigênicas de Clostridium perfringens, uma bactéria anaeróbica formadora de esporos, com danos na mucosa devido às infecções de coccidia, como fator preponderante mais conhecido.

Particularmente, a C. perfringens é responsável por infecções subclínicas, que são associadas com danos crônicos e inflamação da mucosa intestinal, gerando perdas de desempenho de até 12% no peso corporal e um aumento de até 11% no fator de conversão do alimento.

Hoje em dia, a indústria avícola internacional está experimentando um aumento dos casos de EN como resultado da mudança no uso e política de antibióticos em todo o mundo. Por essa razão são necessárias estratégias alternativas aos antibióticos para promover o crescimento dos animais em condições desafiantes, com foco na saúde intestinal.

Os ácidos orgânicos e compostos botânicos, como aditivos para rações que melhoram a saúde intestinal

Os ácidos orgânicos e compostos botânicos são amplamente utilizados como aditivos na alimentação animal para aumentar as taxas de crescimento em aves saudáveis, devido a suas múltiplas propriedades benéficas – antimicrobianos e anti-inflamatórios em sua maioria – que permitem uma melhora geral da saúde intestinal e sua funcionalidade. No entanto, sua eficácia em condições patológicas – como a EN – ainda necessita ser verificada. Portanto, com uma abordagem científica em ensaios in vitro tipo “screening” até estudos in vivo, pode ser muito útil o uso de ácidos orgânicos e compostos botânicos como ferramentas para o controle da enterite necrótica.

 

Screening In vitro de ácidos orgânicos e compostos botânicos contra C. perfringens

Tanto os ácidos orgânicos como os compostos botânicos têm propriedades antimicrobianas. O modo de agir dos ácidos orgânicos pode ser explicado pelo “modelo aniônico” e mais especificamente pelos prótons e ânions nos quais esses ácidos são divididos depois de atravessar a parede celular das bactérias, retardando o crescimento ou eliminando essas bactérias. Os compostos botânicos são um amplo grupo de substâncias, com uma grande quantidade de nomes distintos: extratos de plantas, fitogênicos, óleos essenciais etc., todos com características diferentes. Em geral, os compostos botânicos exercem efeito antimicrobiano devido a sua natureza lipofílica, gerando poros na membrana das bactérias que alteram a estrutura lipídica e aumentam a permeabilidade das células bacterianas.

A ação específica antimicrobiana dos ácidos orgânicos e compostos botânicos contra a C. perfringens – agente causador da EN – pode ser avaliada in vitro, medindo sua habilidade para prevenir o crescimento desse patógeno em cultivos líquidos, depois de um período de incubação. O crescimento da C. perfringens pode ser reduzido por alguns ácidos orgânicos e esse método permite quantificar a concentração mínima inibitória capaz de deter o crescimento dessa bactéria.  Uma série de trabalhos conduzidos por nosso grupo de pesquisa, mostraram que os ácidos orgânicos, como o ácido cítrico e o ácido sórbico, quando combinados com compostos botânicos, são muito mais efetivos que ao ser utilizados separadamente, suportando fortemente uma ação sinérgica entre esses elementos.

 

Microencapsulação: A ferramenta para garantir a ação dos ácidos orgânicos e compostos botânicos no intestino.

A eficácia dos ácidos orgânicos e compostos botânicos in vivo é inerentemente limitada à rápida absorção ou degradação gástrica, o que evita que eles possam alcançar a parte distal do intestino, onde ocorre em maior grau a proliferação da C. perfringens.  Para solucionar esse problema, os ácidos orgânicos e compostos botânicos devem ser protegidos e a Vetagro, líder em microencapsulação desde 1982, desenvolveu uma tecnologia eficaz para proteger esses compostos da ação do estômago e liberá-los lentamente ao longo de todo o intestino. Particularmente, o AviPlus®P é uma mescla microencapsulada de ácidos orgânicos e compostos botânicos, autorizados na União Europeia como aditivo zootécnico para melhorar o desempenho na avicultura, que apresentou efeito sinérgico direto na mucosa intestinal, reduzindo o estresse inflamatório e melhorando as propriedades da barreira, dois fatores chave para o funcionamento intestinal adequado e produtividad animal em condições de desafio.

Ácidos orgânicos e compostos botânicos para controlar a EN in vivo

Como foi demonstrado por ensaios conduzidos ao redor do mundo, o uso do AviPlus®P em frangos de corte melhorou a taxa de crescimento e a eficiência alimentar consistentemente em animais saudáveis com ou sem o uso de antibióticos, com economias importantes para os produtores. Em relação à EN, a mescla microencapsulada de ácidos orgânicos e compostos botânicos presentes no AviPlus®P, apresentaram efeito positivo como promotor de crescimento em diferentes condições em termos de desafio da EN e tratamentos farmacológicos:

  • Estudo (1): AviPlus®P melhora a eficiência alimentar e peso final das aves vacinadas contra coccidia e criadas em cama muito utilizada de um desafio prévio com perfringens.
  • Estudo (2): Em cama reutilizada como possível fonte de oócitos de coccida e com tratamento anticoccidial, o AviPlus®P foi tão efetivo como a bacitracina na redução do fator de conversão alimentar e aumento no peso final das aves e, quando se adiciona “on top” em conjunto com o antibiótico, permite melhorar ainda mais o crescimento dos animais.

Diamond V


NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Abril 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies