17 dez 2018

Uso racional de antibióticos na produção avícola

uso racional antibióticos produção avícola

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol) English (Inglês)

O problema da resistência aos antibióticos

A resistência aos antibióticos é um problema global que afeta todos os habitantes do planeta, em maior ou menor grau. A Organização Mundial de Saúde (OMS) a declarou como o problema mais sério da humanidade, dado que todo uso de antibióticos, quer seja na medicina humana, ou veterinária, tem o potencial de gerar resistência.

A OMS exortou os médicos humanos e veterinários de todo o mundo a colaborarem, juntos, para resolver essa crise, sob os auspícios do plano “One Health” – “Saúde Única”.

A Organização Mundial de Saúde Animal – OIE – publicou, em novembro de 2016, sua estratégia sobre a resistência aos antibióticos e o uso prudente dos mesmos na medicina veterinária e produção animal.

Princípios básicos nos EUA Definição de gestão dos antibióticos

Em janeiro de 2018 a Associação Americana Médico Veterinária – AVMA – definiu a gestão dos antibióticos como “as ações que os veterinários realizam individualmente e  como profissão para preservar a efetividade e disponibilidade dos fármacos antimicrobianos por meio da supervisão consciente e a tomada de decisões médicas responsáveis para proteger a saúde animal, humana e ambiental”.

Definições de uso

Hoje, nos EUA, União Europeia – UE -, Austrália, Canadá, Japão e em muitos outros países o uso de antibióticos de importância médica com a finalidade de melhorar os parâmetros produtivos dos lotes é proibido, ou severamente restringido. Consequentemente, o uso de antibióticos de importância médica nesses países é permitido somente para prevenção, controle ou tratamento das doenças das aves para as quais os antibióticos estejam indicados.

Prevenção/Profilaxia

A administração de um antimicrobiano a um grupo de animais dos quais nenhum apresenta sinais clínicos da doença, ou evidência diagnóstica de infecção, na transmissão  e infecções existentes, porém ainda não diagnosticadas, ou a introdução de patógenos é antecipada com base na história, avaliação clínica, ou conhecimento epidemiológico.

Controle/Metafilaxia

Controle é o uso de antimicrobianos para reduzir a incidência de doenças infecciosas numa população que já tem alguns animais que exibem sinais clínicos da doença, ou que já têm evidência diagnóstica de estarem infectados.

Tratamento/Terapêutico

Esse uso assume que os animais com evidência de estarem doentes podem ser distinguidos e separados dos saudáveis, ou sem evidência diagnóstica de infecção, para serem tratados; no entanto, isso não é factível em espécies como:

  • Frangos ou perus de corte
  • Galinhas podeiras
  • Galinhas reprodutoras

É importante definir cada um dos usos dos antibióticos na prática da medicina veterinária populacional. Recentemente, a AVMA propôs uma série de definições.

Gestão dos antibióticos

Atualmente estão sendo iniciados programas em nível mundial anunciados pela OMS, OIE e muitas agências governamentais de cada país para o uso prudente e responsável dos antibióticos entre as profissões médica e médico-veterinária, com o objetivo de preservar a eficácia dessas ferramentas essenciais para manter tanto a saúde humana como a animal.

Organizações médico-veterinárias como a AVMA e grupos de especialidades nas diferentes espécies como a Associação Americana de Patólogos Aviares – AAAP –desenvolveram seus própios princípios básicos de uso prudente e responsável dos antibióticos. Na avicultura, a AAAP desenvolveu, em colaboração com a AVMA, os seguintes princípios básicos para o uso prudente e responsável dos antibióticos na produção avícola.

uso racional de antibióticos na produção avícola

Princípios básicos para o uso para o uso prudente e responsável dos antibióticos na produção avícola

  1. Comprometer-se com o manejo, uso e administração prudente dos antimicrobianos.
  2. Promover os programas de saúde que previnem as doenças.
    1. Melhorar os sistemas de manejo, biosseguridade e programas de vacinação.
    2. Trabalhar com os produtores para adotar medidas preventivas e de manejo que reduzam a necessidade de usar antimicrobianos – bom manejo, higiene, biosseguridade, nutrição e vacinação.
    3. Oferecer estratégias alternativas ao uso de antimicrobianos para prevenir e controlar doenças, melhorar a saúde, bem-estar e segurança dos produtos comestíveis.
  3. Selecionar e usar os agentes antimicrobianos cuidadosamente.
    1. Usar diagnósticos baseados em evidência científica para determinar se o uso de um agente antimicrobiano é indicado.
    2. Fazer a escolha com conhecimento do agente antimicrobiano e regime terapêutico utilizando o laboratório de diagnóstico –cultivo, isolamento e antibiograma.
    3. Seguir as orientações e leis existentes para a prescrição e administração de agentes antimicrobianos via água e/ ou alimento. Se existem “Diretrizes para o Uso Terapêutico Prudente dos Antimicrobianos nas Aves”, como as publicadas pela AVMA-AAAP, utilizálas.
    4. Avaliar constantemente os resultados da terapia antimicrobiana.
  4. Avaliar as práticas de uso de agentes antimicrobianos.
    1. A prescrição de agentes antimicrobianos pelo veterinário avícola deve estar em processo de avaliação contínua.
    2. Estimular a análise e compartilhamento de dados referentes ao uso de agentes antimicrobianos para promover a colaboração entre a indústria avícola, pesquisadores e autoridades governamentais para corroborar as práticas atuais e fomentar a inovação nessa área.
  5. Educar e gerar conhecimento
    1. Prover recursos e estimular o desenvolvimento de conhecimento no manejo e administração dos antimicrobianos.
    2. Prover oportunidades para educação contínua para os veterinários avícolas com relação ao uso de antimicrobianos e alternativas possíveis.
    3. Continuar educando os produtores sobre manejo, biosseguridade e práticas de produção que assegurem a saúde, bem-estar e segurança dos produtos derivados
      das aves.
    4. Continuar avaliando os princípios de uso prudente de agentes antimicrobianos segundo os avanços científicos publicados.
    5. Apoiar a pesquisa sobre o uso de agentes antimicrobianos e a resistência.

Clasaificação de antibióticos quanto a sua importância médica

Em geral, tanto a “Food & Drug Administration” – FDA – dos EUA, como a OMS concordam na clasificação dos antibióticos quanto a sua importância médica e, com base nisso, são classificados em 4 categorias:

uso racional de antibióticos na produção avícola

Com base nessa classificação, muitas empresas produtoras de frangos dos EUA e outros países suspenderam, voluntariamente, a injeção in-ovo com gentamicina – aminoglucosídeo – do ovo fértil para a produção de frango e, no caso do ceftiofur, a proibição pela FDA do uso “extra-rótulo” das cefalosporinas também eliminou seu uso in-ovo.

Diferenças importantes

A rotulagem para os frangos criados sem antibióticos – nos EUA: ABF [“antibiotic-free”]; RWA [“raised without antibiotics”] ou NAE [“no antibiotics ever”] – varia entre os  diferentes países e organizações do mundo. Nos Estados Unidos os ionóforos são considerados como antibióticos, razão pela qual não podem ser utilizados na produção de frangos sem antibióticos. Além disso, todos os frangos tratados com antibióticos por surtos de doenças não podem ser comercializados como “produzidos sem antibióticos”.

Por outro lado, na UE não são considerados antibióticos em relação à produção de frangos sem antibióticos e, portanto, são permitidos. Na UE, por questões de bem-estar animal, é permitido o tratamento de surtos de doenças com antibióticos e as aves ainda podem ser comercializadas como “produzidas sem antibióticos”.

O uso de antibióticos de importância médica em todos os animais de produção será examinado e verificado cada vez mais estritamente para confirmar que seu uso seja exclusivamente com a finalidade de prevenir, controlar ou tratar doenças suscetíveis e sob estrita supervisão médico-veterinária. A OMS iniciou programas em nível mundial para compilar dados sobre o desenvolvimento de resistência em agentes patógenos e comensais tanto em humanos como em animais de produção.

Correlacionar o uso de antibióticos com o desenvolvimento de resistência e sua possível transmissão ao ser humano. Todos os países do mundo foram chamados a participar e fazer sua parte. Eliminar a compra de antibióticos de importância médica sem receita, tanto na medicina humana, como na veterinária e sob as diretrizes do plano “One Health”.

Uso racional de antibióticos na produção avícola

O manejo responsável, criterioso e prudente dos antimicrobianos pelos veterinários envolvidos na produção animal será cada vez mais crucial e exigirá a adesão aos princípios de boa administração e uso responsável.

uso racional de antibióticos na produção avícola




MERCADO +

DataProdutoValor
05/08/2020 Congelado +
(kg)
R$ 4,94
05/08/2020 Resfriado +
(kg)
R$ 4,94

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
27 - 31/07/2020 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 83,91
R$ 104,32

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Junho 2020

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


aviagen
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies