11 set 2017

Uruguai importa frango brasileiro por falta de produção doméstica

Uruguay importa pollo brasileño por falta de producción frango brasileiro


AUTOR(ES)

María de los Angeles Gutiérrez

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

O Ministério da Pecuária, Agricultura e Pesca (MGAP) do Uruguai autorizou a importação de frango brasileiro, solicitada pela União de Vendedores de Carne (UCV), diante do aumento consecutivo do preço do produto. Nos últimos cinco meses de 2017, houve uma alta de 53%.

Para o presidente da União de Vendedores de Carne (UVC), Hebert Falero, este aumento nos preços é desmedido e que não é possível que com uma inflação de 8%, um produto tenha uma alta de 53%.

Já o setor da indústria avícola, explica que o valor da carne de frango apresentava valores muito baixos devido à sobre produção, o que implicou perdas para o setor Além disso, no caso da empresa exportadora Granja Tres Arroyos, de capital argentino e instalada na antiga Granja Moro no Uruguai, a falta do mercado venezuelano para escoar a produção foi sentida. Soma-se a isso  um mercado interno abarrotado de frangos que o consumo interno não pode absorver e um valor internacional extremamente baixo – El Telégrafo.

O presidente da Câmara Uruguaia de Produtores Avícolas (Cupra), Domingo Esteves, manifestou que, quando há uma superprodução e cai o preço do frango porque o mercado interno não pode absorver essa maior oferta, “as empresas diminuem sua produção e levam o produto ao preço real, que deveria ter. A realidade é que as empresas, durante todo este ano – e diria desde o fim do ano passado – vêm perdendo dinheiro devido à sobre produção”.

No Uruguai, o nível normal de criação ou pelo menos o ponto de equilíbrio está em torno de 600.000 frangos semanais e atualmente flutua entre 500.000 e 550.000 frangos produzidos semanalmente.

Em mais duas semanas, possivelmente ingresse no Uruguai o primeiro contêiner com frangos inteiros brasileiros, com carcaças de dois quilos, importado pela União de Vendedores de Carne (UVC), para atenuar o aumento de 53% do preço do produto no Uruguai.

A União de Vendedores de Carne (UVC) comprou o primeiro contêiner com 22.000 quilos de frangos inteiros e para as próximas semanas planeja o ingresso de mais contêineres, desde que o custo do produto seja conveniente, moderando o preço ao consumidor final.

Conforme o acordo sanitário entre Uruguai e Brasil, está estabelecida autorização somente para frango inteiro, sem miúdos e dentro de uma cota de até 120 toneladas.

Os frangos brasileiros estão sendo importados de empresas de Santa Catarina. O Brasil é o segundo maior produtor mundial de carne de aves e só em 2016 produziu 12,9 milhões de toneladas, das quais exportou 4,38 milhões de toneladas. O valor da produção foi de R$53 bilhões, sendo que 30% da sua produção é exportada e os outros 70% ficam no mercado interno. O Brasil não possui ocorrência de gripe aviária e isso o coloca na vanguarda da exportação de carne de aves e genética avícola – El País.

Anteriormente, a UVC havia importado frangos inteiros brasileiros devido ao preço do mercado doméstico haver aumentado sobremaneira, encarecendo o produto.

No decorrer de 2016, o Uruguai importou 3.040 toneladas de frango brasileiro, com um aumento de 13% da importação em um ano. Além disso, de acordo com os números da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), no primeiro semestre de 2017, comparado com igual período do ano anterior, foram exportadas 1.108 toneladas.

O presidente da entidade, Hebert Falero, adiantou ao El País que os açougues organizados transferirão ao público o menor preço do frango brasileiro, buscando não afetar o consumo frente ao aumento do valor local. O consumo per capta está em 22 quilos ao ano e tende a crescer, segundo as estatísticas do Instituto Nacional de Carnes (INAC).

O representante da UVC explicou que “não é nossa política trabalhar com produtos importados, porém, a circunstância exige e nos parece correto buscar um equilíbrio nos preços relativos à região”. Além do mais, considerou que hoje disparou o preço do frango inteiro, porém no futuro “pode ocorrer com a carne bovina e há muitos fornecedores que estão importando semanalmente carne bovina desossada e embalada a vácuo do Brasil e Paraguai” para o abastecimento interno.

A indústria avícola assegura que vem perdendo dinheiro há bastante tempo e que tem necessidade de subir os preços no fornecimento para suprir essa perda.

Por outro lado, o setor da Associación de Faconeros de Pollos Unidos critica a indústria avícola porque as empresas baixaram os níveis de criação, entregando-lhes menos frangos para criar e engordar. Enquanto isso, eles têm que fazer frente a seus investimentos como galpões, amortização de tecnologia e custos operativos, mas também destacam que estão recebendo atrasado pelo frango entregue para abate.

Por sua vez, a União de Vendedores de Carne (UVC) estima que, se os preços continuarem subindo, não só eles continuarão importando frangos inteiros brasileiros, mas essa situação poderá servir para que algum distribuidor realize uma importação direta do Brasil.

Diamond V


NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Abril 2021

ARTIGOS DA REVISTA

img13

Por Felipe Lino Kroetz Neto

View more


 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies