15 fev 2018

Sistema de vigilância ativa da Influenza Aviária em Cuba

vigilância ativa da Influenza Aviária


AUTOR(ES)

María de los Angeles Gutiérrez

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

O aperfeiçoamento do sistema de vigilância ativa da Influenza Aviária, baseado na análise de risco de sua introdução ao país é um artigo publicado na Revista Cubana- ANALES DE LA ACADEMIA DE CIENCIAS DE CUBA. O artigo foi escrito pelo Pastor Alfonso Zamora e Edyniesky Ferrer Miranda et al – Centro Nacional de Sanidade Agropecuária (CENSA).

A publicação se destaca por ser uma temática atinente em nível mundial no campo da avicultura. Além disso, o artigo a “Implementação nacional de um sistema de vigilância baseado em risco para alerta rápido ante a introdução no país da Influenza Aviária” está entre os finalistas que aspiram merecer o Premio Nacional a la Innovación Tecnológica en Cuba, outorgado pelo Ministério de Ciência Tecnologia e Meio Ambiente do país.

A influenza aviária (IA) é uma doença transfronteiriça, com alto impacto econômico, que atualmente constitui a principal ameaça para a avicultura mundial, inclusive com implicações para a saúde pública. Por ser exótica, não havia elementos disponíveis para avaliar o desempenho do sistema de vigilância (SV), desconhecendo-se sua efetividade para o alerta rápido.

Com esse objetivo, avaliou-se pela primeira vez em Cuba a sensibilidade do SV estabelecido, a partir da preparação de um modelo estocástico, que permitiu desenvolver e introduzir em nível nacional uma nova estratégia de vigilância que melhora, de forma econômica, a probabilidade de detecção de casos positivos.

Para isso, foram estabelecidos outros atributos do SV, tanto relativos à coleta e transmissão de dados, como à oportunidade de detecção de casos que possibilitaram a avaliação da capacidade resolutiva dos laboratórios responsáveis pelo SV e apontar as intervenções necessárias para corrigir insuficiências. Por sua vez, foi estabelecido um mapa de risco de introdução da IA, que deu as bases científicas para aperfeiçoar o SV conforme o risco identificado. Pela primeira vez aplicam-se os princípios da vigilância baseada em risco e, em particular, para o caso de uma doença exótica em Cuba.

A avicultura, por produzir alimentos de alto valor biológico e acessibilidade, com restrições apenas de caráter cultural para seu consumo, é o ramo da pecuária com mais alta contribuição à segurança alimentar e nutricional em escala mundial. É ainda a de maior crescimento anual, inclusive com maior ritmo em perspectiva relativa ao crescimento da população humana.

A sustentabilidade destes benefícios da avicultura depende, entre outros fatores, da capacidade de resiliência frente a ameaças sanitárias crescentes como a influenza aviária (IA), que passou de doença rara e erradicável para uma ameaça frequente para a avicultura mundial, com estabelecimento endêmico em alguns países e, em ocasiões, implicações para a saúde pública pelo potencial zoonótico de algumas cepas.

Desde o início de 2014, os surtos provocados por diferentes cepas do vírus da IA (VIA) foram notificados por mais de 35 países (OIE 2015), afetando todas as regiões do mundo com uma situação particularmente complicada na Ásia e, mais recentemente na América do Norte, onde se originam migrações de aves silvestres que fazem estância ou transitam por Cuba, com aumento do risco de introdução e estabelecimento da doença no território cubano, onde tem sido exótica e poderia ocasionar alto impacto, dada a importância nacional da avicultura.

Desde 1986, Cuba conta com um programa de emergência para a IA, que inclui a vigilância como elemento chave. No entanto, em alguma medida, pelo caráter exótico da doença, não se conhecia parâmetros importantes do sistema como sua sensibilidade, nem a introdução de novas estratégias de vigilância em nível mundial para avaliar o risco de introdução e melhorar a efetividade do alerta rápido, como garantia da resposta oportuna ante surtos. Todos estes aspectos foram resolvidos como parte do trabalho realizado.

Sensibilidade do sistema de vigilância ativa da Influenza Aviária
A sensibilidade do sistema de vigilância ativa da Influenza Aviária foi avaliada a partir de um modelo estocástico desenvolvido para quantificar a probabilidade de revelar ao menos um indivíduo infectado em diferentes cenários de prevalência (5, 12 y 30%) e intensidades variáveis de amostragem, de 20 a 60 animais por lote. Outros indicadores de desempenho da vigilância foram estabelecidos a partir da inspeção de 100% das pesquisas realizadas pelos laboratórios durante dois anos e, posteriormente, a partir de um questionário. Se desenvolveu ainda um método de vigilância baseado em risco com o objetivo de melhorar a sensibilidade da atividade. Este segundo modelo considerou a capacidade de dispersão das ordens Anseriformes e Charadriiformes consideradas o principal reservatório do VIA a partir de seus assentamentos. O modelo desenvolvido demonstrou que o sistema de vigilância ativa da Influenza Aviária em uso tinha uma sensibilidade adequada ante prevalências superiores a 10% (Fig. 1a), porém a probabilidade de fracasso para detectar ao menos um caso positivo ante prevalências de 5% (Fig. 1b) resultava inadequada para o tamanho de amostras usadas até esse momento.

 

Sistema de vigilancia activa de la Influenza Aviar en Cuba

Figura 1. Probabilidade (média, percentis 5% e 95% de valores de distribuição simulada) de que todos os animais examinados por inibição da hemoaglutinação sejam negativos frente a prevalências de 10% (1a) e 5% (1b) com diferentes intensidades de amostragem.

O estudo possibilitou restaurar a sensibilidade do SV em níveis aceitáveis a partir da recomendação ao Instituto de Medicina Veterinária (IMV), enquanto Autoridade Veterinária competente, sobre a conveniência de aumentar o número de amostras de 30 para 40, o que está atualmente introduzido como parte do programa nacional de emergência ante a doença.

O estudo de indicadores de desempenho do sistema de vigilância, além da sensibilidade, permitiu estabelecer outros atributos relativos à coleta e transmissão de dados, assim como a oportunidade na detecção de casos. Estes indicadores são comunicados à Autoridade Veterinária competente, possibilitando monitorar os progressos alcançados e avaliar a necessidade de ações de intervenção para corrigir insuficiências. A avaliação sistemática destes atributos foi introduzida como procedimento no sistema de vigilância e estabeleceu-se valores de referência para os mesmos.

A detecção do primeiro caso está influenciada por fatores epidemiológicos, ambientais e biológicos como a patogenicidade da cepa e sua linhagem, porém também por atributos do sistema de vigilância que, finalmente, determinam a magnitude do impacto da doença. Como os surtos primários geralmente resultam do contato direto ou indireto com aves silvestres (Burns et al 2012), a detecção rápida é um importante requisito para limitar a difusão, o tamanho potencial da epidemia e, finalmente, mitigar o impacto da doença.

Eficiência na detecção
A eficiência na detecção rápida dos primeiros casos de infecção também é favorecida pelo estudo dos fatores de risco para a introdução da doença (Cameron et al 2012). O projeto e implementação de uma estratégia de vigilância baseada em risco possibilitou o posterior aperfeiçoamento do sistema de vigilância ativa da Influenza Aviária, a partir da identificação de áreas com maior perigo de introdução do VIA e sua relação com a população suscetível de aves de produção (Fig. 2). Este resultado priorizou inicialmente a região ocidental do país, onde se concentra aproximadamente 70% da avicultura comercial e toda a genética, onde poderia se esperar maior impacto da doença. No entanto, a metodologia desenvolvida se estende atualmente para o restante do país.

 

Sistema de vigilancia activa de la Influenza Aviar en Cuba

Figura 2. Mapa de risco da introdução do vírus da Influenza Aviária e granjas selecionadas para vigilância baseada em risco.

Vigilância Passiva
A vigilância passiva é a forma mais efetiva para a detecção de doenças exóticas com manifestações clínicas graves como a influenza aviária altamente patógena (IAAP). Porém, é menos efetiva para detectar cepas de baixa patogenicidade (IALP) que geralmente é a forma de manutenção do vírus na natureza nos reservatórios naturais. O sistema de vigilância baseado no risco projetado, ao identificar as áreas com maior risco de introdução do VIA a partir de aves silvestres, melhorou as possibilidades de alerta rápido de acordo com Cameron et al (2012).

Devido ao fato de os recursos para reduzir o risco de introdução de doenças geralmente serem limitados em nível internacional, considerando que diversas ameaças sanitárias competem entre si pelos recursos disponíveis, as estratégias de vigilância baseada em risco são uma forma de otimizar o uso do capital disponível. O sistema desenvolvido estabeleceu a seleção de unidades e períodos de amostragem entre os quais é mais provável que o VIA se introduza e, por consequência, se faz uma estratégia de melhor relação custo-benefício que a vigilância aleatória. É reconhecido que a eficiência da vigilância aumenta pela colecta de amostras em áreas com maior risco para a doença (EC, 2009).

A originalidade e impacto científico deste trabalho se deve à sua contribuição para o conhecimento sobre:
O risco quantitativo de introdução do Vírus da Influenza Aviária ao país onde é novidade o emprego da modelação matemática no desenvolvimento de um sistema de vigilância baseado no risco para o alerta rápido frente a uma doença exótica. Além do mais, são oferecidas bases científicas para a priorização de recursos destinados à biosseguridade, aperfeiçoamento e manutenção do desenvolvimento avícola. O trabalho realizado propiciou mudanças teóricas nos pontos de vista sobre a vigilância de doenças exóticas com a incorporação da análise de risco quantitativo de introdução e o projeto de um sistema de vigilância, a partir da seleção de unidades avícolas em áreas com maior risco de exposição para serem monitoradas, sistematicamente, durante o período de risco e, desta forma, garantir o alerta rápido num eventual caso de introdução do vírus causador da doença. A melhora alcançada na qualidade das decisões em matéria de vigilância, o poder de alerta e resposta oportuna diante da provável introdução da doença contribuem para o desenvolvimento sustentável da avicultura nacional e à segurança alimentar e nutricional da população cubana;
– A capacidade de alerta rápido diante do risco de introdução de uma doença exótica, pela primeira vez a partir da estimativa da sensibilidade para detectar ao menos um caso positivo, e o cálculo de outros indicadores críticos do SV, relativos à coleta e transmissão de dados, assim como a oportunidade na detecção de casos. Como resultado, melhorou-se a capacidade de alerta e estabeleceu-se valores de referência de indicadores de desempenho que são empregados pela Autoridade Veterinária competente e outros decisores para avaliar os progressos alcançados, assim como a necessidade de ações de intervenção para corrigir insuficiências. A avaliação sistemática destes atributos é introduzida como procedimento no sistema de vigilância e constitui parte integrante da atualização do Programa de Emergência diante a doença.
– Colaborou-se para a confecção de um protocolo e um guia de vigilância de IA, assim como de materiais de divulgação como parte da rede de Saúde Animal do Caribe (CaribVET).
– O trabalho realizado permitiu a formação de recursos humanos nesta temática e ainda desenvolveu um programa de capacitação em cascata, a partir de oficinas regionais com alcance até a base produtiva e direções municipais de veterinária. Estes elementos aperfeiçoam a percepção do risco de introdução da doença em decisores e produtores, melhorando a qualidade das decisões e ações em matéria de prevenção e vigilância.
– Do ponto de vista ambiental contribui-se para reduzir a possibilidade de disseminação e estabelecimento da IA no país com as as consequências a ele associadas, como ameaça à biodiversidade e implicações para a saúde pública pelo potencial risco zoonótico que apresenta o vírus.

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Cuba convocou o Prêmio Nacional de Inovação com o objetivo de destacar a contribuição, individual ou coletiva, dada pelas empresas e outras entidades de produção de bens e serviços, centros de pesquisa, universidades e outros atores. Desde 1999 acontecem estas premiações anuais, sendo esta a 18a edição. Os vencedores serão revelados no próximo mês de março, durante a Convenção Internacional da Ciência, Tecnologia e Inovação Habana 2018.




MERCADO +

DataProdutoValor
23/11/2020 Congelado +
(kg)
R$ 6,23
23/11/2020 Resfriado +
(kg)
R$ 6,38

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
16-20/11/2020 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 101,96
R$ 123,72

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil setembro 2020

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


Logo Ceva
aviagen
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies