21 mar 2019

Setor avícola do México quer revisão da cota de importações de terceiros

indústria avícola méxico


AUTOR(ES)

María de los Angeles Gutiérrez

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

Em reunião com a Comissão de Pecuária da Câmara dos Deputados do México, representantes da União Nacional de Avicultores do país solicitaram a intervenção do Parlamento junto à Secretaria de Economia. Entre as questões abordadas estiveram tanto as cotas compensatórias, como o limite de importação de carne de aves de terceiros com o objetivo de não prejudicar a indústria avícola mexicana, garantindo o abastecimento.

Na ocasião, o presidente eleito da União Nacional de Avicultores, Juan Manuel Gutiérrez, destacou que a indústria representa 0,73 % do Produto Interno Bruto nacional; é geradora de 1,25 milhões de empregos, além do fato de, a cada dez quilos de proteína animal consumida no país, 6,3 serem de carne de aves ou ovos.

Além disso, segundo Gutiérrez, o valor da produção da indústria de ovos oscila entre os 60 bilhões de pesos; o frango movimenta mais de 103 bilhões; enquanto os números dos perus são menores, já que seu consumo é sazonal. A soma total da proteína avícola chega ao valor de 160 bilhões de pesos.

Veracruz, Aguascalientes e Querétaro são os principais produtores de frango, enquanto Jalisco encabeça a produção de ovos, sendo o peru produzido, principalmente em Chihuahua. Além disso, o consumo per capita de frangos é de 33 quilos, estando o México no primeiro lugar no mundo em consumo de ovos, com 23 quilos per capita, principalmente ovos de mesa.

O presidente da entidade destacou ainda que não há oposição às importações, nem à abertura ao mercado, porém que se faça de maneira unilateral e permanente. Para ele, da maneira como está atualmente, a indústria avícola não podo crescer e os produtores estão em permanente incerteza. Gutiérrez explica que o objetivo não é fechar as fronteiras, mas continuar competindo de forma alinhada.

O presidente da Casa Legislativa, deputado Eduardo Ron Ramos (MC), sustentou que é fundamental ter um panorama do que ocorre com o setor.

Os deputados de Morena, Carmen Mora García, Francisco Javier Guzmán de la Torre Roque, Luis Rabelo Velasco, José Ricardo Delsol Estrada e Carlos Iván Ayala Bobadilla, concordaram com a constituição de uma mesa de trabalho, com o objetivo de apoiar o setor avícola, considerando que “têm informações sobre a importação de frango com mal cheiro e manchas”.

Além disso, acrescentaram que a população deve conhecer o que está comendo quando compra frango ou ovos. Os deputados afirmaram desejar para que haja maior qualidade e sanidade das aves importadas, afirmando ser necessário proteger a indústria nacional.

Já pelo partido PAN, os legisladores Miguel Alonso Riggs Baeza, Martha Romo Cuéllar, Mario Mata Carrasco e Jesús Guzmán Avilés afirmaram que os produtos avícolas são a proteína de baixo custo do México e destacaram sua inquietação com os preços, abastecimento e o que virá se ocorrer doença aviária.

Também mencionaram que é fundamental que os produtores iniciem um plano de desenvolvimento e vislumbrem a auto suficiência avícola do país. Argumentaram que a sociedade exige insumos de melhor qualidade, considerando que o México produz 52% dos alimentos consumidos.

Por sua vez, as deputadas do PES, María del Carmen Cabrera e Olga Elizondo, destacaram que é fundamental estabelecer uma mesa de trabalho para conhecer que leis reformar e que ações podem ser desenvolvidas para conseguir melhores resultados.

Entretanto, José Ricardo Gallardo Cardona, deputado sem partido, expressou que o papel legislativo é cuidar de reforçar a indústria avícola no México, porém “deve-se cuidar para não gerar o desabastecimento de produtos no país, nem pânico nos preços, ao tratar sobre barrar tratados e importações”.

Da mesma maneira, o presidente executivo da UNA, Arturo Calderón Ruanova, destacou que a indústria avícola é economicamente sólida, no entanto, necessita ser protegida na Lei de Fundos do Seguro Agropecuário e Rural.

Concluindo, poderia-se deduzir que entre os temas abordados pela Comissão de Pecuária da Câmara de Deputados do México e a União Nacional de Avicultores, UNA, esteve a solicitação aos legisladores para reformar a Lei de Fundos do Seguro Agropecuário e Rural, abrindo o setor avícola para investimentos estrangeiros e estabelecendo um fundo, com o objetivo de apoiar a indústria avícola mexicana.

Diamond V


NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Julho 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies