15 mar 2017

Regionalização da Espanha para Influenza Aviária

Regionalización del territorio español con respecto a gripe aviar


Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

Dentro do Monitoramento do Programa Nacional de Vigilância de Influenza Aviária realizado anualmente na Espanha, que inclui a vigilância ativa e passiva simultânea em aves domésticas e selvagens, foi detectado a presença do subtipo H5N8 do vírus da Influenza Aviária de Alta Patogenicidad (IAAP) em oito granjas de patos, localizadas nas províncias de Girona e Barcelona, na Comunidade Autônoma da Catalunha.

No dia 23 de fevereiro, um foco primário foi confirmado em uma fazenda de criação de patos de engorda ao ar livre, com um total e 17.800 aves, e no dia 27 do mesmo mês foram notificados sete focos secundários, como resultado da investigação epidemiológica realizada em granjas de contato nas quais se realizava a engorda final dos animais antes de serem enviados ao abatedouro.

 

A localização das granjas afetadas e os raios de 3 e 10 Km. Pode ser visto no mapa 1.

Localización de focos de gripe aviar

Mapa 1: Localização de surtos.

INVESTIGAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA

Procedeu-se a levar a cabo uma investigação epidemiológica nas granjas afetadas com os seguintes resultados:

  • Não houve descolamento de animais das granjas afetadas para outras províncias, regiões autônomas, Estados-Membros ou outros países.
  • Inicialmente foram identificados sete deslocamentos de risco da granja inicialmente afetada (foco principal) para as províncias de Gerona e Barcelona. Foi realizada uma investigação epidemiológica nas granjas de destino, cujo resultado apontou seis casos positivos no momento de detecção do foco, de modo que essas granjas são consideradas focos secundários.
  • As sete granjas identificadas como focos secundários eram propriedades de engorda, portanto a partir dessas granjas só foram enviados animais para abate. O total de aves das sete granjas era de 7.000 patos.

MEDIDAS ADOTADAS

GRANJAS AFETADAS:

De acordo com o Real Decreto 445/2007 foram tomadas as seguintes medidas para controlar o surto:

  • Imobilização imediata das granjas afetadas a partir da suspeita de foco.
  • Exames clínicos e coleta de amostragem em todos as aves das granjas afetadas.
  • Sacrifício das aves dos focos primário e  secundário.
  • Limpeza e desinfecção das granjas afetadas. Realizadas essas operações, será realizada uma amostragem para verificar a sua eficácia.

GRANJAS EM UM RAIO DE 3 A 10 KM:

De acordo com as regras da União Europeia, foi estabelecido uma zona de proteção de 3 km e uma zona de vigilância de 10 km em torno de todas as granjas afetadas, além de serem aplicadas as seguintes medidas:

  • Recenseamento de todas as granjas avícolas e a imobilização de todas elas.
  • Visitação de todas as granjas de aves por médicos veterinários oficiais e coleta de amostras nos casos de sinais da enfermidade.
  • Reforço das medidas de Biosegurança.
  • Proibição da retirada e trânsito de animais das granjas de aves situadas nas zonas de proteção.
  • Proibição de concentrações de aves de capoeira e outras aves de cativeiro nas zonas restringidas.
  • Confinamento de aves ao ar livre dentro de 3 km (zona de proteção).
  • Intensificação da vigilância de aves silvestres e proibição de aves de caça na região envolvida.

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

Na Espanha, se executa um programa de vigilância e prevenção de Influenza Aviária desde 2003, baseado em dois pilares:

  • Medidas de prevenção: Destinadas a impedir a entrada do vírus no nosso país e, nesse caso, evitar sua diseminação.
  • Medidas de vigilância: Implementadas para garantir, na medida do possível, o diagnóstico precoce da enfermidade. Essas medidas são compostas por uma vigilância ativa baseada numa amostragem por conta do risco de granjas domésticas, e vigilância passiva simultânea em aves domésticas e silvestres.

A revisão dos resultados da amostragem realizada pela Comunidade Autônoma da Catalunha, entre julho e dezembro de 2016, revela que as 48 granjas amostradas, todas foram negativas para a PCR específico contra H5 e H7.

DECISÃO PARA REGIONALIZAÇÃO DO TERRITÓRIO ESPANHOL

Tendo em conta:

  • O alto nível de biossegurança das granjas espanholas.
  • As garantias sanitárias necessárias para o trânsito entre granjas para garantir a rastreabilidade.
  • Todas as granjas vizinhas à propriedade identificado como foco principal foram amostradas.
  • Não há circulação de animais entre granjas localizadas nas zonas de foco secundário realizadas no último mês.
  • Os resultados obtidos no programa de vigilância de influenza aviária desenvolvido em toda a Espanha.

As autoridades sanitárias oficiais da Espanha, após a notificação dos focos, e uma vez adotadas as medidas pertinentes, vão proceder à regionalização do território espanhol para Influenza Aviária de notificação obrigatória, diferenciando as seguintes áreas:

  • Território afetado pela influenza aviária de alta patogenicidade: a província de Gerona e a as regiões de Vallés Oriental e Vallés Ocidental, na província de Barcelona.
  • Território livre de influenza aviária: O resto do território espanhol, incluindo Ceuta e Melilha e as ilhas Baleares e Canárias.
Regionalización del territorio español

Mapa 2: Delimitação do território afetado

Para mais informações: MAPAMA



NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Abril 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies