A entrega do Prêmio Carne Forte e a palestra com o vice-presidente da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal), Ricardo Santin, marcaram a solenidade de abertura da Mercoagro 2018 (Feira Internacional de Negócios, Processamento e Industrialização da Carne), na noite de 10/9, em Chapecó (SC). Até sexta-feira (14/9), o Parque de Exposições Tancredo Neves, será a sede da 12ª edição da feira, que é considerada uma das mais importantes da América Latina na área de processamento da proteína animal.

Santin explanou sobre perspectivas globais da produção de proteína animal. Em 40 anos, entre 1976 e 2016, o Brasil exportou 60 milhões de toneladas de frango e 9,3 milhões de toneladas de suínos, gerando uma receita, respectivamente, de US$ 94 bilhões e US$ 19,3 bilhões.

Mercoagro Ricardo Santin

O vice-presidente da ABPA, Ricardo Santin, foi o responsável pela palestra de abertura do Mercoagro 2018

“A nossa produção não prejudica o meio ambiente, a produção avícola e suinícola brasileira está longe do bioma amazônico. As indústrias brasileiras são baseadas em fazendas familiares integradas, sendo intensiva em mão de obra e não em terra”, reforçou.

O vice-presidente da ABPA também atentou para o crescimento da população mundial. Serão mais 2,2 bilhões de pessoas até 2050. “Será preciso aumentar a produção de alimentos em 70%. A projeção de produção de alimentos para 2026/2027 no Brasil é de 41%”, afirmou. Por outro lado, Santin também alertou para o fato de que o desperdício de alimentos no mundo é de 1,3 bilhão de toneladas. “O total de desperdício do Brasil seria suficiente para alimentar 19 milhões de pessoas todos os dias”, frisou Santin.

Para atender a demanda mundial, Santin salientou a importância de acompanhar as tendências de consumo. Entre elas estão selos que atestem a origem dos alimentos, embalagens que valorizam benefícios, selos de qualidade de sociedades médicas, produtos gourmet e iguarias, culinárias típicas, produtos prontos, semiprontos e em pequenas porções, com rastreabilidade e selos de qualidade e segurança.

“Nós temos uma das mais avançadas indústrias avícolas e suinícolas do mundo”, destacou Santin. “O sistema integrado abrange produtores pequenos e proporciona estabilidade, além de termos um excelente status sanitário que proporciona qualidade e confiabilidade”, concluiu.

Prêmio Carne Forte

 

Um seleto grupo de personalidades da cadeia produtiva da proteína animal recebeu o Prêmio Carne Forte, um reconhecimento aos melhores da cadeia produtiva da carne. A premiação é um referencial de boas práticas e está voltada para as personalidades mais importantes do setor, segundo a opinião de um grupo formado por entidades, empresas fornecedoras e imprensa especializada.

Mercoagro Prêmio Carne Forte

Anderson Elias Bianchi, José Perboyre, Neivor Canton, Liège Vergili Nogueira, Michel Assis, Ricardo Santin e Valdir Collato

O presidente da ABPA, Francisco Turra, que na solenidade esteve representado pelo diretor financeiro e administrativo da entidade, José Perboyre Gomes, e o vice-presidente, Ricardo Santin, receberam a premiação nas categorias Suínos e Aves, respectivamente. Na categoria Ovinos, o prêmio foi para o presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Ovinos Leiteiros, Anderson Elias Bianchi.

Na categoria Livre 1, o prêmio foi para o presidente da Cooperativa Central Aurora Alimentos, Mario Lanznasterrepresentado pelo vice-presidente, Neivor Canton. E na Categoria Livre 2, o reconhecimento foi para a diretora executiva da Abiec (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes), Liège Vergili Nogueira.

O prêmio também foi entregue ao chefe da Superintendência Federal da Agricultura em Santa Catarina, Michel de Assis, que representou o Ministro da Agricutlura, Blairo Maggi, e ao deputado federal Valdir Colatto.

Representatividade

 

O presidente da entidade organizadora do Mercoagro, a Acic (Associação Comercial e Industrial de Chapecó), Cidnei Barozzi,destacou o sucesso da comercialização da feira, que teve 100% dos seus espaços vendidos, mesmo diante do cenário de crise por que atravessa o país. “Isso demonstra o elevado nível de satisfação dos expositores e visitantes da nossa feira, que gera desenvolvimento, atraindo empresas internacionais para o Brasil”, destacou.

A Mercoagro deve atrair cerca de 15 mil visitantes entre profissionais, empresários, diretores e executivos do setor, além de reunir 200 expositores e 250 marcas que apresentam lançamentos e inovações tecnológicas das áreas de máquinas, ingredientes e aditivos, embalagens, refrigeração, automação industrial, logística, equipamentos e acessórios, tratamento de efluentes, higienização, entre outros produtos e serviços voltados à cadeia industrial da proteína animal.

A Feira também conta com ampla programação científica. Os eventos paralelos apresentarão novidades e tendências do mercado mundial de carnes e oportunidades de negócios. Todos serão gratuitos. O detalhamento de horários, dias, locais e inscrições estão no site do evento.

A programação paralela é coordenada pelo Senai Chapecó, Sebrae/SC e BRDE e contempla: Seminário Internacional de Industrialização da Carne, Salão de Inovação, Clínica Tecnológica, Laboratório Experimental, Sessão de Negócios, Painéis de Oportunidades, Mercoshow, Painel Classificados Mercoagro, Mercoagro On Business e Painel Relacionamentos de Negócios.

Com informações da Assessoria de Imprensa