21 jun 2019

Preços da carne de frango e dos cortes estão em queda

Precios de la carne de pollo y de los cortes están en caída en Brasil santa catarina


AUTOR(ES)

Priscila Beck

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

Os preços da carne de frango e dos cortes estão em queda no mercado brasileiro neste mês de junho, segundo apontam pesquisas do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada  – Esalq/USP). Segundo o Centro, as vendas ao front externo continuam elevadas, porém, nos estados que são tradicionalmente exportadores.

Na região paulista, que atende majoritariamente ao mercado doméstico, os preços da carne de frango ainda, em patamares altos, têm diminuído a liquidez. Consequentemente, a disponibilidade da carne está maior na Grande São Paulo, pressionando os valores.

Até o último dia 19/6, o frango inteiro resfriado, negociado no atacado da Grande São Paulo, teve desvalorização de 1,4% frente a maio, com negócios na média de R$ 4,73/kg. No mercado de cortes da Grande São Paulo, também foram registradas quedas nos valores da maior parte dos produtos acompanhados pelo Cepea.

A baixa mais intensa foi observada para a asa congelada, de 4,2%, que teve média de R$ 6,98/kg na parcial deste mês.

14 de junho

Entre 31 de maio e 14 de junho, no atacado, na Grande São Paulo, os preços do frango resfriado e congelado subiram 1,2% e 0,8%, respectivamente, para 4,81 reais por quilo (para ambos) em 14 de junho.

Em Toledo (PR), uma região típica de exportação de frangos no Brasil, as cotações subiram mais acentuadamente. Até 14 de junho, os preços do frango congelado aumentaram 3,9%, e as cotações de frango resfriado, de 3,2, para 5,32 reais por quilo e 5,29 reais por quilo, respectivamente, em 14 de junho.

Em relação aos cortes de frango (congelados e refrigerados), os mais exportados, como peito de frango, tiveram os maiores aumentos de preços na quinzena. Por outro lado, as cotações da asa do meio da articulação, da coxa e da sobrecoxa de frango e do coração de frango alocados ao mercado brasileiro caíram nesse período.

No mercado atacadista da Grande São Paulo, as cotações de coração gelado apresentaram a maior queda de preços: 7,3% (até 14 de junho), com média de R $ 12,14 por quilo.

Exportação

Surtos de ASF (febre suína africana) na China impulsionaram as exportações brasileiras de proteína animal para aquele país. De janeiro a maio deste ano, a China (que também considera Hong Kong) comprou 17% de toda a carne de frango exportada no período – a China também importou 48% de toda a carne suína exportada pelo país e 39% de toda carne bovina enviada. para o mercado internacional.

Em maio, o Brasil vendeu 54,9 mil toneladas de carne de frango à China, um recorde, segundo dados da Secex, 40,3% a mais do que o volume exportado para o país asiático em abril e 48% acima de maio / 18. Além dos maiores volumes comprados, a China também pagou preços mais altos pelo frango brasileiro.

Enquanto em abril, os cortes de frango e miudezas foram vendidos para a China ao preço médio de US $ 1,96 por quilo, em maio, esse nível subiu para US $ 2,55 por quilo, um aumento de 30%.

A Arábia Saudita, por sua vez, foi o segundo destino para a carne de frango brasileira. De abril a maio, as exportações brasileiras para o país aumentaram 17,5%, totalizando 44,3 mil toneladas no mês passado.

Em maio, o Brasil embarcou 381,1 mil toneladas de carne de frango, 12,4% acima do registrado em abril e 14,3% a mais que em maio / 18, ainda segundo a Secex.

Fonte: Cepea

Diamond V


NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Abril 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies