08 maio 2017

O poder da Natureza: definição da norma científica de ouro

header delacon fitogênicos


AUTOR(ES)

Karina Umdasch

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

Na indústria de alimentos para animais é cada vez mais aceito o uso de aditivos fitogênicos para melhorar a produtividade dos animais. Não obstante, ante o crescente número de aditivos de origem vegetal disponíveis no mercado, está ficando cada vez mais difícil diferenciar de maneira confiável “produtos de marketing” de aditivos efetivos na otimização da produção pecuária.

É necessário uma distinçao precisa, e o registro na UE como aditivo zootécnico para alimentação animal é considerado pela indústria como a norma científica de ouro.

A proibição de antibióticos promotores de crescimento, a retirada progressiva de antibióticos clinicamente importantes e a carne “livre de antibióticos” são temas objeto de discussão em todo o mundo. Qual é o papel dos aditivos fitogênicos para alimentos balanceados?

Dr. Jan Dirk van der Klis: Ainda que nunca se tenha esclarecido em detalhes os modos de ação dos antibióticos promotores de crescimento, são bem conhecidas suas ventagens na promoção do crescimento e a eficiência alimentar dos animais, se bem que seus efeitos vêm diminuindo com o passar do tempo.

Ironicamente, os aditivos fitogênicos para alimentos balanceados sofrem a sorte contrária: embora seus distintos modos de ação estejam bem descritos, tem sido frequentemente questionado seu impacto positivo na produtividade dos animais.

Não obstante, esse ceticismo inicial vem diminuindo à medida que um número cada vez maior de estudos independentes mostram claramente o impacto benéfico dos aditivos fitogênicos para alimentos balanceados na produção pecuária. São vistos como uma opção natural promissora para ambos os tipos de produção, tanto a convencional como a livre de antibióticos.

No vídeo que acaba de lançar sua empresa, se fala de confiar no poder da Natureza. Porém, confiança não significa necessariamente efeitos comprovados?

Markus Dedl: Desde o início mesmo dos aditivos fitogênicos para alimentos balanceados , temos acreditado firmemente em nossa missão: melhorar a eficiência da nutrição animal, a saúde dos animais e a segurança alimentar mediante combinações novas de substâncias naturais, minimizando ao mesmo tempo o impacto ambiental.

Porém, acreditar não é suficiente. Mediante um investimento contínuo de dez por cento do nosso faturamento anual tanto em pesquisa fundamental, como voltada para o mercado, e o desenvolvimento de produtos altamente padronizados com efeitos mensuráveis, temos substituído a crença por conhecimento científico.

Esse conhecimento é o que anima a nossa equipe a confiar no enorme potencial da Natureza, e a descobrir a Natureza e colocá-la em ação a cada dia.

Surge a pregunta sobre como distinguir de maneira confiável “produtos de marketing” e aditivos efetivos na otimização da produção animal. Você fala da norma científica de ouro?

Dr. Jan Dirk van der Klis: Para muita gente, os aditivos para alimentos balanceados de origem vegetal seguem sendo uma espécie de caixa preta devido a sua natureza. É muito importante preguntar pela pesquisa que respalda o produto, e entendê-la, afim de distinguir entre os “produtos de marketing” e os verdadeiros aditivos fitogênicos para os alimentos balanceados com efeitos comprovados.

Em particular, os aditivos fitogênicos para alimentos balanceados, baseados em compostos botânicos e extratos de plantas, apresentam modos de ação mais amplos em comparação com as substâncias químicas individuais idênticas às naturais, algo que se deve aos efeitos sinérgicos de todos os componentes ativos das plantas que utilizamos. Os ensaios científicos conclusivos realizados em instalações da empresa, com institutos independentes e clientes, são evidência da nossa competência científica sobre os potentes efeitos fisiológicos e a aplicação concreta dos compostos botânicos.

Esse conhecimento é crucial para evitar quebrar o poder da Natureza. Não obstante, manter-se a par de toda a diversidade de produtos disponíveis nos mercados e avaliá-los em termos científicos é quase impossível para os clientes. No que se refere aos aditivos para alimentos balanceados, existe ao menos uma solução muito prática para distinguir de maneira confiável “produtos de marketing” e aditivos seguros e efetivos: o registro oficial como “aditivo zootécnico” oferece uma prova independente da eficácia de um produto e é considerado a norma científica de ouro da indústria.

Aditivo zootécnico para alimentos balanceados, o que significa esse termo e qual é a diferença de outros grupos de aditivos para alimentos para animais?

Dra. Antje Holthausen: Na União Europeia, todos os produtos fitogênicos para alimentos balanceados devem passar pelo processo de autorização como aditivos para alimentos balanceados sempre que se façam alegações de sua eficácia. Requisitos relativos a temas de segurança são obrigatórios para todos os aditivos, enquanto que o escopo difere conforme as distintas categorias de aditivos para alimentação animal.

Segundo o art. 6, Reg. CE 1831/2003, um aditivo zootécnico é definido como “qualquer aditivo utilizado para afetar favoravelmente o comportamento dos animais em bom estado de saúde ou utilizado para afetar favoravelmente o meio ambiente”.

Ao contrário da maioria dos aditivos botânicos para alimentos balanceados, que se consideram aditivos organolépticos (aromas), a Delacon decidiu solicitar a inclusão de seus produtos principais na categoria zootécnica, que abrange parâmetros tanto de digestibilidade como de produtividade. O registro como zootécnicos se concede exclusivamente a produtos com efeitos benéficos significativos na produtividade dos animais e garante a efetividade dos produtos respectivos.

O que têm de especial os “aditivos zootécnicos” e por que esse registro é tão importante para a Delacon?

Markus Dedl: O processo de registro independente de aditivos zootécnicos para alimentos balanceados da União Europeia, que impõe critérios extremadamente restritivos e confirma não só a seguridade mas também a eficácia do produto certificado, é considerado a norma científica de ouro dentro da indústria. Exige uma exaustiva avaliação e valoração científica por parte da autoridade máxima europeia em matéria de provas, a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA).

Embora em outras regiões se utilizem sistemas compatíveis para autorizar aditivos para alimentos balanceados, o processo de registro da UE é um padrão internacional reconhecido em todo o mundo para respaldar a tomada de decisões de possíveis clientes e associados.

Nós fomos os pioneiros, a primeira empresa do mundo a receber, por parte da União Europeia, o registro dentro da categoria zootécnica para um aditivo fitogênico para alimentos balanceados. O registro zootécnico de nossos produtos respalda nosso slogan “Performing Nature” (A Natureza em ação), assim como nossa posição como pioneiros e líderes mundiais no setor de aditivos fitogênicos para alimentos balanceados, seguros e confiáveis, de segurança e eficácia cientificamente provadas, que são a opção natural para os desafios que se enfrenta em matéria de nutrição animal.

Que tipo de trabalho prévio é necessário para obter tal autorização?

Dra. Antje Holthausen: Para solicitar uma autorização da UE, deve-se proporcionar informação suficiente sobre o aditivo, de acordo com as normas estabelecidas no Regulamento CE 1831/2003 e a orientação científica das autoridades, em uma ficha de solicitação. A ficha inclui a identidade do aditivo e uma descrição dos métodos de analise, seu uso previsto, o processo de fabricação e estabilidade, assim como sua segurança para os animais alvo, consumidores, trabalhadores e meio ambiente, assim como a eficácia do aditivo.

De fato, esse trabalho prévio de realizar os ensaios e análises necessários para essa autorização de aditivos zootécnicos para alimentos para animais é um trabalho de anos. Além dos requisitos de segurança que são obrigatórios para todos os aditivos para alimentos balanceados, realizamos uma extensa quantidade de estudos e ensaios com animais sobre parâmetros de produtividade, utilizando diferentes métodos e em distintos países europeus.

Em contraste com muitos outros produtos que estão sendo autorizados como “aditivos zootécnicos”, os aditivos fitogênicos para os alimentos para animais da Delacon são produtos complexos de origem vegetal, constituídos por compostos botânicos e extratos com centenas de compostos individuais.

Para a avaliação da segurança, a EFSA teve que examinar a composição detalhada de cada ingrediente, constituintes de óleos essenciais assim como todas as ervas, especias e outras plantas. A avaliação foi, portanto, muito mais complicada e levou muito tempo em comparação com as demais solicitações. Ainda assim, os dados significativos apresentados confirmam a eficácia do Biostrong® 510 EC e suas centenas de componentes individuais.

Que passos inclui esse complexo procedimento de autorização?

Dra. Antje Holthausen: Antes de apresentar o requerimento à CE, é preciso entregar mostras do aditivo para alimentos balanceados ao Laboratório Europeu de Referência (EURL). O EURL verifica os métodos analíticos para o monitoramento do aditivo na cadeia de alimentação animal. A CE envia um pedido à EFSA para avaliar a seguridade e a eficácia do aditivo e determinar se cumpre os requisitos dos aditivos zootécnicos para alimentos balanceados. Uma equipe de 21 cientistas independentes avalia se a segurança e a eficácia do aditivo correspondem às alegações e pede informações complementares si necessitarem de mais detalhes para concluir a segurança e a eficácia. A EFSA publica, então, um parecer científico.

Sua decisão levará em conta as avaliações realizadas pelo EURL e a EFSA, porém também considera aspectos adicionais como as políticas mercantis e os objetivos estratégicos da UE, em particular os benefícios para a saúde e o bem-estar dos animais assim como o bem-estar dos consumidores de produtos animais. A autorização é válida por um período de dez anos, durante os quais é obrigatório submeter-se a um procedimento de renovação.

Quais de seus produtos estão registrados como “aditivos zootécnicos” pela UE? Em que categoria de aditivos para alimentos balanceados estão registrados seus demais produtos fitogênicos?

Dr. Jan Dirk van der Klis: Devido ao fato de o processo de registro levar anos e requerer um grande investimento, a Delacon solicitou o registro zootécnico para seus produtos principais: o Fresta® F para porcos foi autorizado como “aditivo zootécnico” em 2012, sendo o primeiro aditivo fitogênico para alimentos balanceados a receber essa certificação de qualidade.

O parecer da EFSA foi publicado em julho de 2016 e a autorização do Biostrong® 510 EC como aditivo zootécnico foi publicada em março de 2017.

Nossos outros produtos são premixes, compostos de extractos botânicos, registrados como aditivos organolépticos.

Como se beneficiam exatamente as distintas partes envolvidas e para quem é relevante?

Markus Dedl: Em última análise, todos nos beneficiamos da aprovação respaldada por dados científicos dos aditivos e ingredientes que entram na cadeia alimentar. A produção de alimentos saudáveis é o objetivo maior da legislação alimentar da UE. A abordagem horizontal inclui toda a cadeia alimentar, incluídos os aditivos para os alimentos para animais empregados na pecuária. Existem outras abordagens similares em escala mundial.

O processo de registro oficial com suas categorias não só permite distinguir entre produtos diferentes, como também evidencia o poder da Natureza e os efeitos sinérgicos que se dão nas sofisticadas formulações dos produtos fitogênicos.

Para os fabricantes de alimentos para animais, pecuaristas e agricultores, possivelmente o fator mais importante seja a eficácia, enquanto que a segurança alimentar, qualidade e bem-estar dos animais serão provavelmente os fatores mais relevantes para os consumidores. Especialmente o aspecto “natural” (ou seja, não químico) proporciona um valor agregado para os consumidores, num momento em que o público busca soluções naturais.




MERCADO +

DataProdutoValor
14/09/2020 Congelado +
(kg)
R$ 5,68
14/09/2020 Resfriado +
(kg)
R$ 5,73

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
8 - 11/09/2020 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 87,47
R$ 105,79

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Junho 2020

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


aviagen
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies