20 set 2021

Oligoelementos em galinhas poedeiras: 5 razões pelas quais você deve usar formas orgânicas

Biochem
get_the_title
  • Rua SilvestreCalmon de Vasconcelos, 190 - sl 102 Guarulhos, SP 07020-001
    Brasil
  • www.biochem.net



A produção moderna de ovos se concentra na:

Maximização do desempenho animal.

No fornecimento de alimento de alta qualidade com excelente disponibilidades de seus nutrientes.

 

Mas a crescente demanda de produtividade é acompanhada de sérios desafios para o produtor em termos de qualidade da casca do ovo e estabilidade óssea.

QUALIDADE DE CASCA DO OVO

A qualidade da casca do ovo é um fator econômico chave na indústria de ovos. Aproximadamente, de 6% a 8% da produção total de ovos é inutilizável e/ou não comercializável devido à má qualidade da casca.
Especialmente ovos rachados e quebrados resultam em uma perda significativa para a indústria, bem como para os produtores.

Oligoelementos

Oligoelementos em galinhas poedeiras: 5 razões pelas quais você deve usar formas orgânicas

Oligoelementos A importância de uma concha firme não só deriva do aspecto econômico, mas também do aspecto de segurança.

Há alguns fatores específicos da galinha que influenciam a qualidade dos ovos.

À medida que a galinha envelhece, o tamanho da casca aumenta e se torna mais frágil.

Além disso, os problemas de estabilidade óssea tornam-se mais evidentes durante a última fase de postura, na qual as fraturas são bastante comuns. Isto não só influencia a postura, mas também o bem-estar animal.

POR QUE OS OLIGOELEMENTOS SÃO TÃO IMPORTANTES PARA AS GALINHAS POEDEIRAS?

Oligoelementos Macrominerais (Ca, P) e vitamina D3 são bem conhecidos por seus efeitos positivos na qualidade da casca e dos ossos das galinhas poedeiras.

Entretanto, elementos vestigiais como Zn, Mn e Cu também demonstraram ser essenciais para seu impacto na formação da casca do ovo e na integridade óssea. Isto se deve, principalmente, à sua importância na formação das enzimas necessárias para o processo de mineralização.

O impacto das deficiências de Zn, Mn e Cu na formação da casca do ovo foi documentado em vários estudos.

Oligoelementos

 

Isto se deve ao papel do zinco como cofator da enzima anidrase carbônica, que é essencial para a formação da casca do ovo.

Também foi relatado que galinhas Mn-deficientes produzem ovos com casca mais fina, devido a uma alteração na estrutura da matriz orgânica.

Cu é um cofator no sistema enzimático que catalisa a ligação cruzada de colágeno e elastina.

Uma deficiência de Cu pode levar a deformações de casca de ovo.

Zn e Mn são especialmente importantes para o sistema esquelético. Uma deficiência de elementos vestigiais reduz o desenvolvimento e a estabilidade das fibras de colágeno, resultando em uma base fraca para a mineralização óssea.

Portanto, deve ser dada atenção especial à suplementação de oligoelementos na alimentação das galinhas poedeiras.

CINCO RAZÕES PELAS QUAIS OS OLIGOELEMENTOS QUELATADOS SÃO BENÉFICOS PARA AS GALINHAS POEDEIRAS

Oligoelementos A escolha da fonte correta é de grande importância. Enquanto os microminerais podem ser fornecidos em suas formas inorgânicas, as formas orgânicas têm muito mais vantagens:

Aumento da biodisponibilidade

Vários estudos demonstraram que as formas quelatadas de Zn, Mn e Cu são caracterizadas por uma biodisponibilidade maior em contraste com suas respectivas formas inorgânicas.

Isto favorece a eficiência nas funções metabólicas relacionadas aos elementos-traço e permite uma menor taxa de inclusão e, consequentemente, de excreção de metais.

Oligoelementos A maior biodisponibilidade dos quelatos está relacionada a um mecanismo diferente de absorção e melhor proteção contra antagonismos dietéticos.

A medição da digestibilidade é um parâmetro confiável para avaliar a biodisponibilidade. Em diferentes estudos sobre a aparente digestibilidade e retenção de Zn, Mn e Cu, foi demonstrada uma maior absorção de microminerais quelatados, em oposição às formas inorgânicas, como o sulfato (Figura 1).

Oligoelementos

Figura 1. Os quelatos glicina (E.C. O.Trace®) mostram maior digestibilidade total aparente (% ATTD) em frangos de corte, ao contrário dos sulfatos (P<0,05) (Freie Universität Berlin, 2018).

Melhor mineralização óssea

Foi demonstrado que formas quelatadas de elementos vestigiais permitem um maior acúmulo de tecido ósseo em comparação com formas inorgânicas (Figura 2).

Oligoelementos

Figura 2. Efeito da fonte de traços minerais (sulfatos vs. quelatos de glicina E.C. O.Trace®) sobre a concentração relativa de metais no osso tibial de frangos de corte no final do período de engorda (Vislykh, 2010).

Especialmente uma melhor biodisponibilidade de Zn está relacionada a uma maior concentração de Ca no osso e na tíbia e, portanto, a uma melhor resistência. Devido a uma alta biodisponibilidade, as galinhas poedeiras irão melhorar a resistência à quebra no final do período de postura.

Melhor resistência à quebra da casca e espessura

Vários estudos demosntram que a substituição parcial ou total das formas inorgânicas de Zn, Mn ou Cu por minerais na forma orgânica, melhoram a qualidade da casca do ovo, aumentando sua resistência e espessura, esse benefício se observa facilmente em momentos de stress e/ou animais em fase final de produção. Em uma recente experiência de campo com galinhas poedeiras, uma combinação de Zn, Mn e Cu (E.C. O.Trace® quelatos de glicina) foi incluída “on-top” em uma dieta comercial.

Durante o período experimental, foi relatada uma melhoria na qualidade da casca devido a menos ovos rachados ou quebrados (Figura 3).

Oligoelementos

Figura 3. Efeito dos quelatos de glicina (E.C. O.Trace®) incluídos em uma dieta de postura na proporção de ovos quebrados e rachados no final do período de postura em  comparação com o ciclo de produção anterior com apenas minerais-traço inorgânicos na dieta (Biochem, 2019).

Oligoelementos

Oligoelementos em galinhas poedeiras: 5 razões pelas quais você deve usar formas orgânicas

Diminuir a mortalidade e melhorar a longevidade

Durante a mesma experiência, as galinhas apresentaram um desempenho de postura ligeiramente melhor, juntamente com uma taxa de mortalidade mais baixa (2,8 vs. 3,1%) durante a fase de alto desempenho de postura (>90%) com os quelatos de glicina.

Devido aos bons resultados de desempenho, as galinhas do grupo de alimentação de minerais orgânicos foram capazes de permanecer na fazenda oito semanas mais do que o normal (padrão = 75 semanas).

Benefícios econômicos

A inclusão de quelatos de glicina (E.C. O.Trace®) no ensaio acima mostrou uma clara melhoria na qualidade da casca do ovo, bem como na longevidade das galinhas poedeiras. Como consequência, o lucro econômico da fazenda aumentou.

Em conclusão, a inclusão de microminerais orgânicos favorece as funções fisiológicas e os parâmetros produtivos nas galinhas poedeiras.

Em particular, os glicinatos contribuem para um desenvolvimento ósseo ideal e para a melhoria da qualidade da casca do ovo, especialmente em momentos críticos de maior demanda.

Oligoelementos



NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Julho 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies