13 nov 2020

Influenza Aviária: OIE emite 19 notificações em 12 dias

influenza aviária


AUTOR(ES)

Priscila Beck

Diamond V

Nos primeiros 12 dias do mês de novembro, a OIE (Organização Mundial da Saúde Animal) já emitiu 19 notificações de focos de Influenza Aviária Altamente Patógena nos continentes europeu e asiático. Um dos resultados das ocorrências foi a restrição, pelo APHIS (Serviço de Inspeção de Saúde Animal e Vegetal) do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), de importação de aves e produtos avícolas do Reino Unido e Japão.

O Reino Unido soma quatro notificações emitidas nos dias 1, 3, 9 e 11 de novembro, respectivamente, em cidades localizadas em Kent, Cheshire, Gloucester e Devon. A primeira notificação foi sobre a detecção da cepa H5N2 num lote de 556 aves, entre as quais frangos, gansos, cisnes e pombas, entre outros, sob a suspeita de contaminação via contato com animais silvestres.

influenza aviária

A segunda notificação aponta a detecção da cepa H5N8 em uma granja avícola com 13.080 aves, das quais 177 morreram devido à doença e as outras foram submetidas ao abate sanitário. As outras duas notificações no Reino Unido reportam a presença da cepa H5N8 em aves silvestres encontradas mortas em parques naturais.

No último dia 3 de novembro, o APHIS restringiu a importação de aves, ovos férteis, produtos avícolas não processados e subprodutos da região afetada pela Influenza Aviária no Reino Unido. Já no dia 5 de novembro foi a vez de o órgão sanitário norte-americano restringir os produtos avícolas originados de Kagawa, no Japão.

“Qualquer um desses produtos originários, ou em trânsito pela cidade de Kagawa, Japão, é proibido, com base no diagnóstico de Influenza Aviária Altamente Patogênica em aves domésticas”, determina.

No país asiático, um foco da cepa H5N8 foi reportado em uma granja de 33o mil frangos, dos quais 2 mil morreram devido à enfermidade e outras 328 mil precisaram ser submetidos ao abate sanitário. O caso ocorreu na cidade de Mitoyo, na província de Kagawa.

Também no continente asiático, a cepa H5N8 da Influenza Aviária Altamente Patógena foi encontrada na Coreia do Sul. Dois focos foram reportados nas províncias de Chungcheong do Sul e Gyeonggi, com resultados positivos em análises realizadas em fezes de aves silvestres, coletadas dentro da rotina do programa de vigilância sanitária local.

Europa e Eurásea

Outros focos de Influenza Aviária Altamente Patógena também foram reportados no entorno do Reino Unido. Na Irlanda, a cepa H5N8 foi detectada em um falcão peregrino, encontrado vivo numa região costeira do sudoeste do país, mas que haveria morrido em seguida, na província de Munster.

Do outro lado do Mar do Norte, nos Países Baixos, a cepa H5N1 foi reportada em aves silvestres e marinhas na Holanda. Segundo os reportes, a hemaglutina (HA) encontrada nos exames laboratoriais é quase idêntica à hemaglutina dos isolados de aves silvestres (H5N8) notificados em 2020, sendo os outros genes de origem da Influenza Aviária Levemente Patógena.

Na Alemanha, as nove notificações do mês de novembro reportam mais de 30 focos nos estados de Schleswig-Holstein, Mecklemburgo, Brandemburgo e Baixa Saxônia. Do total de notificações, sete relatam casos positivos em aves marinhas, uma relata a presença da cepa H5N8 em uma granja com 68 poedeiras e outra a presença da cepa H5N5 numa criação mista de 167 aves de fundo quintal.

Aves marinhas e silvestres também foram as portadoras das cepas H5N5 e H5N8 no sul da Dinamarca. De acordo com o artigo 10.4.1.8 do Código Sanitário para Animais Terrestres da OIE, não se deve impor restrições ao comércio de aves de produção e produtos avícolas em resposta à notificação da presença do vírus da Influenza Aviária em aves que não sejam de produção.

Já na Eurásia, no início de novembro a cepa H5N5 foi encontrado em uma produção de 141 aves, das quais 58 morreram em decorrência da Influenza Aviária Altamente Patógena e as outras 83 foram submetidas ao abate sanitário.

Fonte: OIE



NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Abril 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies