27 maio 2019

Influenza Aviária leva México a elevar cota para importação de frango livre de tarifas

En Brasil, exportación de carne de pollo cae en 5,1% el año 2018 méxico


AUTOR(ES)

María de los Angeles Gutiérrez

Priscila Beck

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

A presença da Influenza Aviária em 21 estados do México, levou a Secretaria de Economia do país a comunicar o aumento, em 55 mil toneladas, da cota de importação de carne de frango livre de tarifas. Além da Influenza Aviária, o México também vem reduzindo os volumes de importações de carne de frango dos EUA, devido a ocorrências da Doença de Newscastle.

A decisão foi publicada no Diário Oficial da Federação do México, através de um decreto que modifica a tarifa da Lei dos Impostos Gerais de Importação e de Exportação, de 15 de maio de 2013, na qual se indica as cotas de carne de frango fresca, refrigerada ou congelada, isentas de tarifas.

Está gostando desse conteúdo? Cadastre-se para receber nossa newsletter semanal!

Em nota conjunta, os Ministérios da Agricultura e das Relações Exteriores do Brasil, manifestam que a medida garantirá a continuidade das exportações brasileiras de frango para o México, que em 2018 alcançaram o volume de 110 mil toneladas.

“As exportações brasileiras foram as principais beneficiárias da cota, aberta em 2013 (300 mil toneladas), com utilização de 98% de seu volume total, que havia atingido seu limite quantitativo em fevereiro deste ano”, afirma a nota.

O fato também foi comemorado pelo presidente da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal), Francisco Turra.

“Nestes últimos seis anos, temos dedicado grande atenção à parceria que construímos com os importadores mexicanos”, informa Turra. “O país é um importante consumidor e importador de proteína animal e a renovação da cota representa uma oportunidade para o Brasil, em um mercado internacional cada vez mais pressionado pela demanda asiática”, completa.

Segundo o diretor-executivo da ABPA, Ricardo Santin, de janeiro a abril, o México importou 16,4 mil toneladas, volume que foi 50% menor que o montante efetivado no mesmo período do ano passado, devido ao fim das cotas até então vigentes.

“Temos boas expectativas quanto à retomada do ritmo dos embarques para o México, que se transformou em um dos mercados prioritários para os exportadores brasileiros”, ressalta.

Influenza Aviária e Doença de Newcastle

No documento oficial do governo do México destaca-se que, devido à presencia da Influenza Aviária em 21 estados mexicanas, incluídos Guanajuato e Jalisco, que são os maiores produtores do país. Além disso, devido à ocorrência da Doença de Newcastle, está proibida a importação, pelo México, de produtos avícolas procedentes do estado da Califórnia.

México aumenta cuota de importación de pollo por Influenza Aviar

Diamond V


NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Julho 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies