24 mar 2017

Maggi visita frigorífico com jornalistas da China



AUTOR(ES)

Priscila Beck

Diamond V

O Ministro da Agricultura,Pecuária e Abastecimento (MAPA), Blairo Maggi, visitou na última quinta-feira (23/3) um frigorífico situado em Rio Verde (GO), na companhia de jornalistas da China. O pedido para conhecer as instalações de uma planta frigorífica e seu funcionamento foi feito pelos próprios jornalistas que ouviram do Ministro que “não há problemas com a carne brasileira”.

Maggi tem se esforçado para fornecer a maior quantidade de informações à imprensa do país e do exterior e a autoridades dos países que importam carne brasileira, desde que foi anunciada a Operação Carne Fraca da Polícia Federal. “Agir com transparência, nessa hora, é o melhor que temos a fazer”, disse o ministro, observando que essa é também uma determinação do presidente Michel Temer.

Além de determinar o auto embargo de frigoríficos apontados na operação, deixando de  emitir certificados de exportação nesses casos, uma das iniciativas do ministro é esclarecer informações que foram truncadas. O auto embargo visa evitar que frigoríficos não mencionados também sejam prejudicados. Uma das explicações que Blairo Maggi tem reforçado é de que, está claro em áudios da PF, que o uso de papelão se referia a embalagens e não à utilização na produção, como chegou a ser veiculado.

China

No dia seguinte à visita, conforme divulgado pela agência Reuters, a China removeu as últimas restrições que restavam sobre as importações de carne bovina australiana, depois de ter imposto um embargo às importações do Brasil em decorrência do escândalo em fiscalizações.

Em visita à Austrália, o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, disse que o gigante asiático agora aceitará a carne bovina de todos os exportadores licenciados. Anteriormente, as vendas eram limitadas a apenas 11 vendedores australianos.

JBS

 

Líder global da indústria de alimentos, a brasileira JBS confirmou quinta-feira (24/3), a suspensão por três dias da produção de carne bovina em 33 unidades das 36 que a empresa mantém no país. Para a próxima semana, a Companhia irá operar em todas as suas unidades com uma redução de 35% da sua capacidade produtiva.

As medidas visam ajustar a produção até que se tenha uma definição referente aos embargos impostos pelos países importadores da carne brasileira. Na última quarta-feira (23/3), o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior apresentou dados sobre a exportação de carnes brasileiras ao Palácio do Planalto que demonstram uma queda de 99,9% nas exportações.

O valor da exportação diária, que em média era de US$63 milhões, caiu para US$74 mil, o que representa quase zero diante do movimento habitual. O jornal Folha de São Paulo elaborou uma lista sobre a situação do Brasil com os dez maiores importadores de carne do país:

  1. União Europeia – 21 empresas barradas;
  2. China – aumentou a fiscalização;
  3. Hong Kong – exportações suspensas;
  4. Arábia Saudita – aumentou a fiscalização;
  5. Rússia – normal;
  6. Japão – 21 empresas barradas;
  7. Holanda – Normal;
  8. Egito – exportações suspensas;
  9. Emirados Árabes – normal;
  10. Chile – exportações suspensas.




MERCADO +

DataProdutoValor
18/01/2021 Congelado +
(kg)
R$ 5,86
18/01/2021 Resfriado +
(kg)
R$ 6,20

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
11-15/01/2021 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 94,62
R$ 110,24

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil setembro 2020

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


Logo Ceva
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies