29 jun 2018

Jamesway: Qual é o verdadeiro problema da alimentação inicial?

alimentação inicial


AUTOR(ES)

Dr. Keith Bramwell

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol) English (Inglês)

O debate da alimentação inicial continua tendo um grande valor, em um esforço por enfatizar a importância de conseguir que um grupo inteiro de pintinhos tenha um começo positivo, com a alimentação adequada e correta criação dos pintos de um dia.

Essa é uma área, geralmente, considerada essencial na criação, que vem sendo abordado para enfatizar ainda mais a importância de os produtores prepararem os galpões para as aves antes do momento de sua chegada.

Ter a temperatura adequada no piso e no galpão é muito importante para garantir que todas as aves iniciem o consumo de alimentos e água, tão logo seja possível, após sua transferência da incubadora ao galpão de produção.

Esse momento é reconhecido pela industria avícola comercial como um dos mais importantes na produção dos animais.

No entanto, há situações nas quais o alimento e a água não se encontram imediatamente disponíveis para os pintinhos, como no transporte prolongado da incubadora até as granjas de engorda. Nesses casos, são oferecidos suplementos alimentares a todos os pintinhos, ainda nas caixas de transporte, para mantê-los até que estejam prontos para serem colocados nos galpões.

Trata-se de situações que são inevitáveis e todos os pintinhos devem ser tratados de maneira uniforme, para que se mantenham hidratados e prontos para responder quando cheguem ao seu destino.

Ainda que se demonstre, repetidamente, que o crescimento e desenvolvimento dos pintinhos atrasa à medida que aumenta o tempo até o acesso aos alimentos e a água, há outros fatores que devem ser considerados ao se discutir quando os pintinhos recém-nascidos devem começar a comer e beber.

O pinto de um dia (Gallus gallus domesticus) é um pintinho precoce, o que significa que no momento da eclosão são móveis e estão cobertos pela parte inferior, fazendo com que sejam capazes de manter seus corpos razoavelmente quentes.

Pintos incubáveis na natureza

Na natureza, os pintos precoces tentam sincronizar o momento do nascimento através de um processo chamado ‘clic’, onde nos últimos dias antes da eclosão real, os pintinhos começam a se comunica entre si, através da casca.

O esforço é para que os pintinhos nasçam juntos, como um grupo, com a maioria dos pintos precoces nascidos com uma margem de no máximo 24 horas entre si. No momento em que os pintinhos nascem sob a galinha mãe, cada um deles está ‘equipado’ com material da gema para mantê-los até que TODOS os pintinhos estejam incubados e prontos para começar a buscar comida em grupo.

Apesar de os pintinhos eclodirem e estarem prontos para se alimentar, devem ter depósitos internos de recursos a sua disposição, enquanto esperam até que a galinha mãe retire todos os pintinhos do ninho para começar a buscar comida. O moderno equipamento de incubação de uma só etapa proporciona um ambiente no qual os pintinhos podem eclodir dentro dessa janela de 24 horas, que ocorre sob a galinha mãe (Figura 1).

O sistema e perfil de incubação de uma etapa está projetado para imitar a galinha mãe, assim como para proporcionar a todos os embriões em desenvolvimento o ambiente que precisam em cada etapa de incubação e desenvolvimento.

alimentação inicial

Portanto, quando um sistema de incubação artificial funciona corretamente, os pintinhos nascerão dentro de uma janela similar ao que ocorre na natureza.

Sistemas comerciais de produção

Um dos principais interesses da indústria avícola é conseguir a uniformidade para facilitar as práticas de manejo. Nos sistemas de produção comercial, os produtores manejam um número incrivelmente grande de aves (ovos para incubadoras) e as decisões são tomadas com base na média do grupo de aves ou ovos.

O peso corporal médio ou o ponto dos valores nos quais se encontram outros desenvolvimentos NÃO é o mesmo que a uniformidade (Figura 2).

É de vital importância manter a uniformidade nos animais reprodutores em cada etapa de sua produção. Os programas de manejo monitorado, que são específicos para os reprodutores, servem para melhorar a uniformidade das aves, tais como: espaço no piso, comedouro e espaço de água, posicionamento do alimento, restrição de excesso de luz etc.

Esses programas são para maximizar a uniformidade dos reprodutores jovens no início da reprodução, assim como ao longo de toda sua vida produtiva.

Quando uma porcentagem maior de aves em uma população está mais próxima em carne, tamanho e peso à média do grupo (com menos valores atípicos), os programas de manejo estabelecidos para melhorar a ave “por média” em um lote, resultarão num aumento na produção, tamanho do ovo mais uniforme etc. Durante toda a produção.

Da mesma forma, os sistemas de produção de frangos de corte buscam criar frangos de corte tão uniformes quanto seja possível, para que um maior número de aves esteja de acordo com o tamanho e peso exigidos para o momento do processamento.

Excesso de variação do tamanho do pintinho no momento da eclosão e sua colocação sempre é uma preocupação para os produtores de frangos de corte quando se trata de maximizar seu rendimento, tanto no início da vida, como a medida que avançam em seu desenvolvimento até a planta de processamento.

As demandas do cliente podem ser muito específicas em relação ao tamanho e o peso das aves, além das partes após o processamento e corte.

Portanto, a uniformidade dos frangos de corte no momento do processamento é muito importante e pode ser influenciada pela uniformidade dos pintinhos na granja.

Alimentação dos pintos de um dia, pros e contras

Ao falar desse tema, talvez as preguntas reais devessem voltar-se tanto ao que é natural, como aos resultados reais da alimentação inicial.

Na natureza, os pintinhos recém-nascidos NÃO têm acesso a comida e água até que todos os pintinhos estejam incubados e prontos para sair do ninho com sua mãe. No momento em que os pintinhos abandonam o ninho, alguns terão nascido há mais de 24 horas, enquanto outros haverão nascido há poucas horas, tempo suficiente para secarem-se e descansar.

Tanto nos sistemas de incubação comerciais como artificiais, o objetivo é criar uma janela de incubação de cerca de 24 horas, portanto, quando retira a escotilha, TODOS os pintinhos podem começar sua fase de crescimento simultaneamente, como o fazem na natureza.

A criação dessa janela de nascimento ajuda a manter os pintinhos recém-nascidos tão uniformes em tamanho e peso, quanto seja possível. Uma vez que se retira a escotilha, é ideal retirar os pintinhos recém-nascidos para a granja, onde crescerão para que possam ter acesso a alimentação e água como grupo coletivo.

São inumeráveis as pesquisas publicadas sobre os efeitos da alimentação diferida e todos chegam à mesma conclusão, que o tempo até o início do acesso de um pintinho ao alimento e à água terá consequências a longo prazo. Em outras palavras, se é negado o acesso das aves à alimentação por períodos de tempo, sua trajetória de crescimento também se atrasará ao longo de sua fase de crescimento na granja de produção (Figura 3).

Da mesma maneira, se os pintinhos mais novos nascem com alimentação e água 24 horas, ou mais, antes do nascimento dos últimos pintinhos, a trajetória de crescimento provavelmente seja a mesma que se os pintinhos forem retidos.

Um estudo inicial foi desenhado, em um esforço por compreender melhor os efeitos do momento em que os pintinhos, dentro de um grupo de nascimento conjunto, começam a consumir alimentos e água. Os primeiros resultados indicam que, quando os primeiros pintinhos recebem comida e água imediatamente depois de nascer, conseguem alcançar um maior peso em comparação com aqueles que não obtiveram acesso a nutrientes até chegar aos galpões de produção.

Isso era esperado, já que os pintinhos que iniciavam o consumo de alimentos, teriam comida e água em suas entranhas durante o transporte à granja. Além disso, esse aumento no peso corporal dos primeiros pintinhos eclodidos, se manteve até as três semanas de idade, em comparação com os pintinhos controle, ou aqueles que não se alimentaram até a chegada dos animais à granja.

Embora aos 42 dias de idade a diferença no peso corporal ainda fosse numericamente maior nas aves que começaram a se alimentar nos nascedouros, já não era significativamente diferente. Portanto, as aves que tiveram acesso aos alimentos imediatamente depois da eclosão, não tiveram um melhor desenvolvimento que o grupo controle.

Lamentavelmente, no momento de escrever essas linhas, não tínhamos os dados formalizados ao ponto de poder avaliar com precisão as diferenças na uniformidade.

No entanto, é lógico, deve-se considerar que entre as aves às quais foi dado acesso ao alimento e à água enquanto estavam no nascedouro, em seu momento específico de nascimento, há as do grupo de alimentação inicial que estavam consumindo nutrientes no momento da eclosão (mais de 24 horas para alguns), enquanto outras estavam consumindo alimentos apenas poucas horas antes do transporte à granja.

Resumo

Há mais pesquisas sobre esse tema em curso, porém, enquanto isso, os benefícios potenciais de alimentar os pintinhos imediatamente depois do nascimento devem ser comparados com os possíveis impactos negativos. No entanto, a partir da nossa pesquisa preliminar, não parece que haja nenhum benefício para a prática, com apenas possíveis impactos negativos na uniformidade do rendimento do crescimento das aves.

 

Figura 1. Expressão de uma janela de incubação de 24 horas em incubação de uma só etapa.

alimentação inicial

Figura 2. Comparação de um lote, ou grupo ‘por média’ vs ‘uniformidade’.

alimentação inicial

Figura 3. Trajetória de crescimento quando as aves se iniciam com alimento e água a intervalos de 0 a 36 horas depois da eclosão.

alimentação inicial



NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Abril 2021

ARTIGOS DA REVISTA

img13

Por Felipe Lino Kroetz Neto

View more


 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies