AUTOR(ES)

Dr. Keith Bramwell

PhD Asesor Técnico Senior Jamesway Empresa de incubación

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

O embrião se desenvolverá como um filhote altricial ou precocial, cada um com seu próprio conjunto específico de necessidades imprescindíveis para sobreviver depois do nascimento.

Ao comparar as duas estratégias de incubação e desenvolvimento, os frangos altriciais experimentam uma quantidade significativa de seu “crescimento e desenvolvimento embrionário” depois da eclosão, enquanto os pais alimentam o pintinho indefeso. E os pintinhos precociais se submetem a uma porção mais significativa de seu “crescimento e desenvolvimento embrionário” durante o período de incubação para que possam eclodir ‘prontos para funcionar’.

O desenvolvimento de filhotes altriciais é comum em aves que normalmente fazem seus ninhos em árvores, aves como; pássaros cantores, pombas, aves de rapina etc. Os jovens saem da casca como pássaros pelados e indefensos, que não podem abrir os olhos, nem sequer levantar a cabeça. Os filhotes altriciais jovens não podem manter sua própria temperatura corporal, inclusive durante períodos curtos de tempo e, portanto, são muito dependentes de seus pais para o calor e a temperatura.

 

Além disso, os pais (geralmente ambos estão envolvidos) são muito úteis na alimentação e cuidado dos pintinhos recém-nascidos até que desenvolvam penas e possam deixar o ninho para começar a vida por sua conta. Esse tipo de ave irá botar seus ovos durante vários dias e, em geral, começarão a incubar os ovos antes que todos os ovos sejam botados, o que fará com que os pintinhos eclodam em diferentes intervalos, durante poucos dias.

Os filhotes recém-nascidos permanecerão no ninho protegido longe da maioria dos predadores e serão alimentados individualmente por seus pais. Como eles nascem durante vários dias, muitas vezes há uma grande diferença de tamanho entre eles; O último filhote a eclodir será o menor e, muitas vezes, sucumbirá pela concorrência cada vez maior por comida e espaço com seus irmãos maiores. Os filhotes em crescimento são alimentados e cuidados até que cada um se desenvolva o suficiente para deixar o ninho.

O desenvolvimento precoce dos filhotes é comum na maioria das aves que nidificam em terra como; frangos, perus, patos, faisões etc. Os filhotes precociais nascem com uma cobertura de penas com capacidade de manter, razoavelmente, a temperatura corporal e os olhos estão abertos. Os pais não necessitam lhes levar os alimentos enquanto recém-nascidos, já que são capazes de caminhar algumas horas depois da eclosão.

A mãe vai chocar os ovos durante um período de vários dias a algumas semanas, dependendo do tamanho da ninhada. No entanto, ela não começará a incubar os ovos até que TODOS estejam postos para tentar manter uma janela de nascimentos estreita, já que os filhotes recém-nascidos deverão ser escoltados todos juntos pela mãe para fora da área de nidificação em busca de alimento.

Para permitir que estes filhotes precociais nasçam juntos e deixem o ninho ao mesmo tempo, há muitos mecanismos biológicos que facilitam esta situação. Em primeiro lugar, nas horas prévias à finalização do processo de eclosão, os filhotes precociais participam de uma atividade chamada ‘clic’, onde os pintinhos podem se comunicar entre si, da casca, em um esforço de sincronizar o tempo de eclosão.

Em segundo, os ovos que produzem frangos precociais contêm um percentual de gema maior (~ 40% vs 25%) em comparação com os ovos de frangos altriciais. Isto permite que os filhotes permaneçam no ninho depois da eclosão para esperar até que os outros filhotes nasçam, de maneira que TODOS possam deixar o ninho juntos. Natureza projetada para que os filhotes usem esta gema disponível para sincronizar o processo de alimentação pós-nascimento entre todos os filhotes.

Se os primeiros filhotes tentam buscar comida sem a mãe ou o grupo, podem estar sujeitos à predação sem os instintos protetores da mãe. Isso é o que a natureza pretende evitar, de modo que todos os pintinhos possam começar a se alimentar ao mesmo tempo que os primeiros nascidos, utilizando os nutrientes da gema em um esforço de sincronizar o processo de alimentação inicial.

Alimentar pintos nascidos em incubadoras comerciais

Seguindo o que a natureza projetou, é realmente necessário e benéfico alimentar os pintos recém-nascidos imediatamente depois da eclosão? Em quase todas as áreas dos sistemas de produção avícola, a uniformidade é um componente chave e muito crítico para o êxito.

Quando não é alcançada, as ineficiências quase sempre se refletem em áreas que incluem o incubatório, a incubadora e todo o caminho até a planta de processamento. É amplamente sabido e aceito que quando os pintinhos não são uniformes desde o princípio, surgirão problemas tanto em reprodutoras como frangos de corte destinados ao mercado.

Tem sido demonstrado que a uniformidade nas avós resulta em um lote de matrizes melhores e mais produtivas. A uniformidade das matrizes jovens tende a “nivelar o campo do jogo” durante a produção e permite às aves competir mais equitativamente entre si por recursos como comida, água e espaço.

O consumo de alimento e a duração da luz são controlados e limitados para encorajar a maioria das aves a amadurecer em um ritmo uniforme, respondendo juntas à estimulação luminosa e, desse modo, começando a produzir ovos juntas. Foi comprovado que a uniformidade nos lotes de matrizes melhora a uniformidade do tamanho do ovo, a produção de ovos e o rendimento do lote de corte.

O tamanho uniforme do ovo dá lugar a pitinhos uniformes. Quando os pintinhos são mais uniformes, melhora-se a produtividade de todo o lote. Quase todos os gerentes de planta de incubação querem o tamanho de ovo mais uniforme possível, assim como quase todos os produtores de frangos de corte preferem, muito mais, os frangos procedentes de linhagens parentais com idades similares, para melhorar a uniformidade do tamanho do pintinho na granja.

Quando se coloca pintinhos que nascem de ovos ou de lotes parentais de idades muito variáveis, quase sempre, se tem diferenças dramáticas de tamanho nos pintinhos e, em geral, resultados pobres no lote.

No caso dos vários programas de alimentação inicial, deve-se considerar uma série de fatores de preocupação. Sabe-se que as pesquisas têm demonstrado continuamente que quando se suspende a alimentação dos pintinhos depois da eclosão, existe uma curva de crescimento retardada nessas aves em comparação com os pintos da mesma incubação que foram alimentados imediatamente na incubadora.

Os pintinhos que sofreram restrição alimentar por períodos de tempo depois da eclosão nunca alcançarão os outros da mesma idade e lote, necessitando um dia ou mais para alcançar o peso desejado no mercado. Não é aconselhável colocar, intencionalmente, frangos que nasceram em momentos diferentes em um mesmo aviário, por que começarão a consumir alimentos com um ou mais dias de diferença. E isso afetaria negativamente a uniformidade final do lote, levando as aves a serem enviadas à planta de processamento com diferenças de um ou mais dias na taxa de crescimento.

Além do mais, os pintinhos sem alimento postos em uma granja onde estão vendo comida plea primeira vez, têm que concorrer com os pintinhos que já tiveram acesso e consumiram alimento e água durante vários períodos. Esta maior concorrência provavelmente seja outra causa para afetar negativamente a uniformidade, já que os pintinhos que receberam alimento por longos períodos serão muito mais ativos e correrão em torno dos pintinhos que ainda estão buscando comida.

Um produtor preferiria pegar um grupo de pintinhos recém-nascidos e colocar comida e água imediatamente a alguns, intermitentemente durante as próximas 36 horas, ou colocar novos grupos de pintinhos recém-nascidos no mesmo aviário e deixar que disputem por comida e água com os pintinhos mais velhos?

Quase todos rechaçariam fazer isto. Porque criaria um grupo de pintinhos alojados menos uniformes desde o princípio, o que faria com que os últimos pintinhos ficassem menores, nunca alcançando os demais em termos de peso corporal. Essencialmente, isto é o que está acontecendo quando os pintinhos são alimentados assim que nascem. todos estão começando a se alimentar em diferentes intervalos de tempo em relação um ao outro.

Se nas granjas de avós se alimenta as aves e maneja a luz de maneira que as aves amadureçam na velocidade individual de cada uma, os resultados serão uma uniformidade extremamente pobre e um desempenho geral deficiente das matrizes e progênie. Se aos frangos de corte é permitido consumir comido tão pronto nasçam, é provável que se obtenha o mesmo resultado, uma uniformidade deficiente.

Resumo

A natureza e a biologia do pintinho precocial estão projetadas para a sobrevivência ideal do grupo de pintinhos como um todo, com os primeiros filhotes incubados utilizando suas reservas de gema para estarem prontos para começar o consumo de alimento ao mesmo tempo. Este é o processo natural de crescimento e desenvolvimento precocial dos frangos.

Embora possa ser benéfico, individualmente, para um pintinho iniciar o consumo de alimento imediatamente após o nascimento, o crescimento, o desenvolvimento e a uniformidade do grupo dos pintinhos podem se ver prejudicados. Pesquisas estão sendo desenvolvidas em um ambiente controlado para investigar mais a fundo essa prática da alimentação inicial para comparar a habitabilidade, o crescimento e a uniformidade das aves, através do processamento com grupos de aves da mesma incubação, onde se inicia a alimentação ao mesmo tempo para todo o grupo de pintinhos nascidos. Uma vez que esses estudos tenham sido concluídos, a ciência respaldará o melhor procedimento.




MERCADO +

DataProdutoValor
23/11/2020 Congelado +
(kg)
R$ 6,23
23/11/2020 Resfriado +
(kg)
R$ 6,38

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
16-20/11/2020 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 101,96
R$ 123,72

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

 
 


Consultar outras edições


aviagen
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies