26 nov 2020

Influenza Aviária: EUA fecham o mercado avícola para Croácia, Japão e Austrália

Influenza Aviária Austrália Croácia Japão


AUTOR(ES)

Priscila Beck

Diamond V

Na última semana os Estados Unidos restringiram importações avícolas de regiões da Austrália, Croácia e Japão devido a focos de Influenza Aviária Altamente Patógena. A informação foi oficializada no último dia 25/11 pelo APHIS (Serviço de Inspeção de Saúde Animal e Vegetal) do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos).

No caso da Austrália, os Estados Unidos estão reduzindo a restrição ao estado de Victoria. Desde o dia 24 de julho de 2020 a restrição do APHIS para importações avícolas estava colocada para todo o território australiano.

Influenza Aviária Austrália Croácia Japão

O Japão, que no início do mês de novembro teve restringidos os produtos avícolas originados em Kagawa, agora tem nova restrição relacionada à província de Fukuoka. Por sua vez, a restrição de importações de produtos avícolas da Croácia é datada de 21/11, quando foi notificada, pela OIE (Organização Mundial de Saúde Animal), a morte de 4.315 perus, de uma granja com 70 mil animais, devido à Influenza Aviária Altamente Patógena (H5N8).

Desde o início do mês de novembro, a OIE já emitiu 30 notificações de focos de Influenza Aviária em 17 países. Os focos estão distribuídos pelo Europa, Eurásia, África e Ásia, sendo muitas notificações relacionadas a aves silvestres e marítimas. Só na Alemanha, já foram reportados mais de 30 focos nos estados de Schleswig-Holstein, Mecklemburgo, Brandemburgo e Baixa Saxônia.

De acordo com o artigo 10.4.1.8 do Código Sanitário para Animais Terrestres da OIE, não se deve impor restrições ao comércio de aves de produção e produtos avícolas em resposta à notificação da presença do vírus da Influenza Aviária em aves que não sejam de produção.

As restrições são estabelecidas para importação de aves, aves comerciais, ratites, ovos para incubação de aves, produtos aviários não processados ​​e subprodutos, além de  certos produtos avícolas frescos.

Sob essas restrições, produtos aviários processados ​​e subprodutos originários, ou em trânsito pelas regiões referidas, importados como carga, devem ser acompanhados por uma licença de importação APHIS e / ou certificação governamental, confirmando que os produtos foram tratados de acordo com os requisitos APHIS.

Fonte: APHIS/USDA

Diamond V


NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Julho 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies