19 out 2020

Região Sul concentra 46% dos galináceos do Brasil

IBGE galináceos


AUTOR(ES)

Priscila Beck

Diamond V

Em 2019, 46 % dos galináceos do Brasil estavam na região Sul do país, que desde 1983 é líder nesse efetivo, segundo a PPM (Pesquisa da Pecuária Municipal) 2019 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O levantamento aponta que o total de galináceos (galos, galinhas, frangos, frangas, pintos e pintainhas) no país foi de 1,5 bilhão de cabeças, com variação de 0,1%, ou mais 940 mil animais, frente a 2018.

A região Sudeste ficou em segundo lugar, com 25,4% do efetivo de galináceos do país. Entre os estados, Paraná ocupa a liderança, com 26,5%, seguido por São Paulo (14,0%), Rio Grande do Sul (10,5%), Santa Catarina (8,9%) e Minas Gerais (8,2%).

IBGE galináceos

Considerando apenas as estimativas de galinhas, a situação se inverte. O Sudeste, com um aumento de 1,7% e 94,9 milhões de animais, ficou em primeiro lugar, representando 38,1% do total nacional de 249,1 milhões. A região Sul vem em segundo, com 24,4%.

Os estados com as maiores participações no efetivo de galinhas foram São Paulo (22,1%), Paraná (10,2%), Minas Gerais (8,3%), Rio Grande do Sul (7,7%) e Espírito Santo (7,5%). Entre os municípios, Santa Maria de Jetibá (ES) seguiu com o maior efetivo de galinhas e de galináceos.

Para galinhas, em seguida vieram Bastos (SP), Primavera do Leste (MT), São Bento do Una (PE) e Itanhandu (MG). Para galináceos, seguiram Cascavel (PR), Bastos (SP), Itaberaí (GO) e Rio Verde (GO).

Produção de ovos

IBGE Galinhas ovos

Em 2019, a produção nacional de ovos de galinha cresceu 4,2% frente a 2018, batendo novo recorde: 4,6 bilhões de dúzias, com valor de R$ 15,1 bilhões. A região Sudeste foi responsável por 43,4% do total produzido em 2019 e o estado de São Paulo foi o maior produtor nacional (25,4%).

Entre os 5.439 municípios com produção de ovos de galinha em 2019, os cinco principais são os mesmos do ranking de efetivos de galinha: Santa Maria de Jetibá (ES), Bastos (SP), Primavera do Leste (MT), São Bento do Una (PE) e Itanhandu (MG).

Ovos de codorna

IBGE codornas

Em 2019, tanto o efetivo quanto a produção de ovos de codorna tiveram aumentos (3,4% e 5,9% respectivamente). Foram 17,4 milhões de aves e 315,6 milhões de dúzias de ovos.

O Sudeste responde pela maior parte de ambos: 64% das codornas e 67,3% da produção de ovos, tendo destaque São Paulo (23,8% das codornas e 23,6% dos ovos), Espírito Santo (22,4% das aves e 25,9% da produção de ovos) e Minas Gerais (16,1% das aves e 16,6% dos ovos). Em 2018, São Paulo liderava ambas as séries, porém, nas últimas edições da pesquisa, apresentou estabilidade da quantidade de animais e queda do volume de ovos.

Em contrapartida, o Espírito Santo mostrou aumento em ambos os itens (10,0% em aves e 14,9% em ovos), resultado de investimentos na atividade na região, levando-o a se destacar cada vez mais nesse segmento, ultrapassando São Paulo e liderando a produção de ovos de codorna em 2019.

No ranking municipal, Santa Maria de Jetibá (ES) ocupa a primeira posição tanto na quantidade de animais, quanto na produção de ovos, seguido de Bastos (SP).

Fonte: IBGE




MERCADO +

DataProdutoValor
23/11/2020 Congelado +
(kg)
R$ 6,23
23/11/2020 Resfriado +
(kg)
R$ 6,38

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
16-20/11/2020 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 101,96
R$ 123,72

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

 
 


Consultar outras edições


aviagen
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies