27 set 2017

Hong Kong suspende importação de carnes de empresa brasileira



AUTOR(ES)

María de los Angeles Gutiérrez

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

O Centro para a Segurança Alimentar (CFS) do Departamento de Higiene Ambiental e Alimentos (FEHD) de Hong Kong comunicou, em 21 de setembro, várias suspeitas de certificados sanitários falsificados para a carne congelada importada do Brasil, detectados quando a entidade investigou uma denúncia.

Um porta-voz do CFS disse que “O CFS recebeu uma denúncia apresentada por um importador de alimentos sobre um certificado de saúde suspeito, que acompanhava um carregamento de frango congelado do Brasil, importado no início do ano. O importador informou ao Consulado Geral do Brasil em Hong Kong e ao CFS para investigação. O CFS, então, contatou as autoridades brasileiras para a apuração”.
As autoridades brasileiras confirmaram recentemente que o certificado sanitário em questão foi falsificado e o envio relacionado de pés de frango congelado era de alimentos para animais domésticos. O CFS informou o caso à Polícia de Hong Kong.

Em sua investigação, o CFS descobriu que no último ano (desde outubro passado até o momento), um total de 10 envios de produtos (incluindo o envolvido na denúncia) eram alimentos para animais domésticos e  haviam sido exportados do Brasil para Hong Kong pelo exportador que aparece no certificado sanitário correspondente. O produto afetado incluía oito lotes de pés de frango congelados, um lote de produtos de miúdos de bovinos e um de miúdos e patas de suínos.

A autoridade identificou dez lotes de produtos que foram enviados por uma exportadora brasileira antes de 21 de março de 2017, data em que o CFS havia suspendido as importações de carnes do Brasil, pela denominada “Operação Carne Fraca”, que revelou um esquema de propina a fiscais agropecuários em frigoríficos, que levou vários países a suspender as importações do produto brasileiro.

Todos os certificados sanitários dos 10 envios foram emitidos em 21 de março de 2017 (dia em que o CFS anunciou em Hong Kong – a proibição de importação de carne de aves e bovina congelada e resfriada brasileira). Entre estes, seis envios de pés de frango congelados e dois carregamentos de produtos de miúdos bovinos foram reexportadas a Mainland e Vietnam, um lote de pés de frango congelados se mantém no terminal de contêineres e não entraram no mercado. Para o lote restante, de aproximadamente 27 toneladas de pés de frango congelados, segundo informação do importador em questão, havia sido vendido a um comprador. O CFS já manteve contato com os principais varejistas locais e, até o momento, não encontrou a venda de produtos em questão no mercado interno. O CFS continua investigando se o envio do produto foi reexportado a outros lugares fora de Hong Kong.

O porta-voz disse que, em resposta ao incidente, o CFS intensificou imediatamente seus controles de verificação de todos os certificados sanitários expedidos para carne bovina e de aves congeladas exportadas do Brasil a Hong Kong.

Hong Kong é um dos maiores importadores de carne brasileira

Alem disso, o CFS solicitou às autoridades brasileiras que confirmem a autenticidade dos certificados sanitários dos outros nove envios de produtos brasileiros exportados para Hong Kong e forneçam os resultados da investigação o quanto antes possível.

Por razões de prudência, o CFS suspendeu, com efeito imediato, a importação de produtos por Hong Kong da exportadora LAMAJO COMERCIAL LTDA e duas plantas de produção brasileiras, SIF 2421 – Lamajo Comércio de Alimentos, de Arapongas (PR), e SIF 2498 – Brupet – Indústria e Comércio de Mastigáveis – Londrina (PR), que figuram nos referidos certificados sanitários.

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que reúne grandes exportadores brasileiros, afirmou em nota que apoia a investigação e destacou que as empresas citadas não são suas associadas.

O CFS de Hong Kong manifesta, em nota, que já melhorou sua vigilância sobre a carne de ave, bovina e suína do Brasil. Desde 21 de março deste ano, foram coletadas 562 amostras (incluindo pés de frango congelados e miúdos bovinos) de importação e venda ao varejo para testes de carne decomposta e outros indicadores de segurança alimentar. Os resultados da prova mostraram que todas as amostras eram satisfatórias. A vigilância do produto afetado importado do Brasil continuará aumentando.
Por outro lado, a ABPA aguarda a comunicação oficial da autoridade de Hong Kong, porém destaca que o CFS apontou em sua publicação que todas as provas com os produtos brasileiros foram satisfatórias, indicando que este é um caso isolado, não traduzindo a postura do setor exportador de carne de aves e suína do Brasil.

Após o incidente relativo à qualidade da carne exportada do Brasil em março deste ano, o CFS iniciou sua discussão com as autoridades brasileiras para continuar melhorando o regime de importação de carne de ave, bovina e suína congelada brasileira, incluindo a restrição da lista e o número das plantas brasileiras autorizadas a exportar produtos para Hong Kong, para intensificar o controle de importação de produtos brasileiros.

À luz desse incidente, o CFS voltará a analisar o acordo de controle de importação proposto com o objetivo de salvaguardar ainda mais a segurança dos alimentos.

O porta-voz disse que é aconselhável que a população lave adequadamente e cozinhe com cuidado a carne congelada e os miúdos antes de consumí-los para minimizar os riscos de inocuidade dos alimentos. O CFS denunciou o caso de várias suspeitas de certificados sanitários falsificados de carne congelada importada à polícia de Hong Kong. Por essa razão, manterá contato com a Polícia de Hong Kong e as autoridades brasileiras, continuará o acompanhamento do incidente e tomará as medidas apropriadas. A investigação está em andamento. Como medidas ligadas à descoberta das inconformidades, além de suspender imediatamente as importações da exportadora e das duas unidades brasileiras, o organismo sanitário de Hong Kong também solicitou às autoridades do Brasil que confirmem a autenticidade dos certificados dos outros nove lotes e apresente os resultados da investigação o mais rápido possível.




MERCADO +

DataProdutoValor
02/12/2020 Congelado +
(kg)
R$ 6,24
02/12/2020 Resfriado +
(kg)
R$ 6,36

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
23 - 27/11/2020 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 102,49
R$ 124,14

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil setembro 2020

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


Logo Ceva
aviagen
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies