AUTOR(ES)

Miguel Rey Rey

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

A higiene é um conjunto de medidas de limpeza e desinfecção que permitem a redução da população microbiana, para a garantia da saúde pública e animal. A sala de incubação reúne características específicas que a diferenciam das outras instalações do setor avícola. pautas en la incubadora

As condições ambientais de temperatura e umidade nas salas de incubação, são muito propícias para a manutenção e proliferação de múltiplos micro-organismos.

Nas salas de incubação a atividade é constante, sem interrupção, que não tem o vazio sanitário como ocorre em granjas ou salas de processamento. Esta situação é mais patente em incubadoras de carga múltipla.

A atividade constante das salas de incubação requer que a higiene seja um objetivo prioritário em sua atividade cotidiana. A distribuição das diferentes áreas da sala é fundamental para projetar um plano de higiene.

  • Se deve estabelecer circuitos de pessoal e material para que se transite de zonas limpas a sujas.
  • Em incubadoras recentemente projetadas esta circunstância é considerada, porém em antigas, que tenham sido modificadas ou ampliadas é difícil, em algumas ocasiões impossível estabelecer um circuito adequado.
  • Os materiais de construção e sua aplicação também influem na eficácia do processo de limpeza e desinfecção.
zonas limpias y sucias en las salas de incubaciónAs diferentes salas requerem uma higienização específica segundo a atividade que se desenvolve nelas. PESSOAL A entrada de pessoal deve ocorrer a partir do vestiário, que estará equipado com duchas, dispondo roupa e calçado de borracha, de uso exclusivo na planta. VISITAS As visitas devem ser restringidas ao máximo, autorizando somente as imprescindíveis, equipadas com roupa e calçado específico. PONTOS DE TRANSIÇÃO A passagem de uma área a outra deve acontecer através de pedilúvios ou tapetes com um desinfetante de amplo espectro (DAE).

No mercado há diferentes DAE. A combinação de amônio quaternário e glutaraldeido é uma alternativa adequada, porém convém ter alternativas para efetuar rodízios periódicos

Nestes pontos de transição, as mãos, como veículos de transmissão, devem ser lavadas com sabão e depois de secas, desinfetadas com alguma solução adequada. Algumas outras áreas têm uma atividade similar e, por isso, sua higienização pode ser igual.

DESINFECÇÃO DE OVOS

Os ovos colocados na sala de recepção podem ser desinfetados por diferentes métodos.

  • Aspersão dos ovos com desinfetante de amplo espectro (DAE). É necessária uma máquina adequada e tempo, já que deve acontecer com os alvéolos em cadeia.
  • Nebulização da sala com desinfetante de amplo espectro (DAE). Depois de um período de recirculação do ar da sala, extração do mesmo.
  • Evaporação de peróxido hidrógeno.

Nestes três métodos pode-se usar igualmente um biocida a base de monopersulfato de potássio, que mediante sua ação oxidante destroi as membranas celulares dos micro-organismos. Desinfecção aérea, mediante o uso de desinfetantes fumígenos. Quando a sala estiver vazia se procederá a sua limpeza e desinfecção.

SALA DE RECEPÇÃO DOS OVOS – CORREDORES

Pode-se limpar com uma máquina de lavar chão com um limpador alcalino (neutros e clorados), ou ainda aplicando um detergente alcalino espumante.

Depois aplicar desinfetante de amplo espectro (DAE). O detergente e o desinfectante devem atuar por, no mínimo, 15 minutos em todas suas aplicações.

INCUBADORAS – DOCA DE CARREGAMENTO – CAMINHÕES

Detergente alcalino espumante:

  • Lavar.
  • Retirar excesso de água
  • Deixar secar
  • Desinfetante de amplo espectro (DAE);

A secagem das incubadoras pode ser acelerada com seus sistemas de ventilação. Em incubadoras de carga múltipla, convém planejar uma rotação de vazio de todas elas para que periodicamente se possa limpar e desinfetar.

CARROS DE INCUBAÇÃO – SALA DE TRANSFERÊNCIA

  • Detergente alcalino espumante.
  • Lavar.
  • Desinfetante de amplo espectro (DAE).
SALA DE SELEÇÃO DE AVES – PLENUM NASCEDOUROS
  • Limpeza a seco.
  • Detergente alcalino espumante.
  • Deixar secar.
  • Desinfetante de amplo espectro (DAE).
NASCEDOUROS

Durante a eclosão dos embriões e de uma maneira progressiva aumenta a carga microbiana dentro dos nascedouros. Tradicionalmente tem-se controlado esta contaminação com a evaporação de formalina no interior das mesmas. Devido às características adversas deste produto, se pode substituir por outro composto de peróxido de hidrogênio, ácido acético e ácido peracético. Uma vez retirados os pintinhos se deve limpar os nascedouros seguindo os seguintes passos:

  • Limpeza a seco. Embeber.
  • Detergente alcalino espumante.
  • Lavar.
  • Retirar excesso de água.
  • Deixar secar.
  • Desinfetante de amplo espectro (DAE)
LAVAGEM DOS ALVÉOLOS, BANDEJAS E CAIXAS

Os alvéolos para ovos, bandejas de nascedouros e caixas para transportar as aves precisam ser lavados em uma máquina específica com água a 50-60°C, aplicando um limpador alcalino clorado não espumante. Todo este material deve estar completamente seco antes de sua reutilização.

CARROS PARA ALVÉOLOS

Desinfetante de amplo espectro (DAE). O pessoal que realiza qualquer destas tarefas de limpeza e desinfecção deve ser formado e equipado para executá-las com total segurança. É necessária a redação de um protocolo com instruções específicas para as diferentes limpezas, detalhando a execução, para assegurar a realização das tarefas da maneira desejada. É importante ainda complementar esse programa com um calendário específico para a realização das tarefas mais especiais. Equipamentos auxiliares como vacinadoras por spray, carrossel de sexagem, cintas transportadoras, devem ser incluídos no programa de limpeza-desinfecção.

Os sistemas de calefação e ventilação requerem uma atenção especial já que têm uma influência global em toda a planta de incubação.

Paralelo ao programa de limpeza e desinfecção há que se considerar outros aspectos básicos.

Qualidade da água

A qualidade da água utilizada na planta de incubação é de vital importância, já que seu uso é massivo tanto nos protocolos de limpeza-desinfecção, como para manter a umidade adequada em todo o processo de incubação. É recomendável dispor de um potabilizador no qual se garanta as características da água utilizada, tanto físico-químicas, básicas para evitar sedimentações nas diferentes conduções, como microbiológicas, imprescindíveis para possíveis contaminações. Uma alternativa válida para a higienização da água é seu tratamento com um biocida estável composto por monopersulfato de potássio. Uma análise mensal nos assegura o controle de seu bom funcionamento. É imprescindível considerar a possível contaminação ambiental, o que requer uma depuradora que acondicione o grande volume de água residual antes de despejá-la no ducto correspondente.

Resíduos

No que diz respeito à contaminação ambiental se deve considerar que na planta se produz uma considerável quantidade de resíduos em forma de plumas, cascas, embriões não nascidos. Tudo isso deve ser recolhido em um contêiner fechado, que deverá ser destinado a uma planta de resíduos autorizada.

Renovação do ar

A entrada e saída do ar da planta, estarão em lados opostos para evitar sua recirculação. Na planta deve se projetar um sistema de ventilação que permita fluir o ar da área limpa com pressão maior, até a área suja a uma pressão mais baixa. As salas de incubação e nascedouros terão uma pressão constante para que o ar que entre nas máquinas seja o necessário conforme as condições interiores, determinado pela abertura das entradas de ar.

Controle de roedores & insetos

É imprescindível estabelecer um programa de controle de roedores e insetos já que são vetores perigosos de micro-organismos. Uma boa alternativa é contratar uma empresa especializada.

Controle microbiológico

Devido às características comentadas no começo desse artigo, é imprescindível estabelecer um programa para avaliar a higiene da planta em seus diferentes pontos e etapas. É conveniente que este programa, o aplique de maneira periódica, uma empresa alheia à planta. Na literatura científica há várias referências a padrões microbiológicos, porém, é conveniente que o técnico responsável estabeleça o padrão próprio da planta e avalie sua evolução, missão para a qual é importante colher amostras na mesma hora e nos mesmos pontos. Os meios de cultivo mais adequados são agar dextrose Sabouraud, específico para fungos. Agar com soja tríptico ( TSA ), adequado para detecção de gram-positivos. Agar MacConkey indicado para detecção de enterobactérias. As amostras devem ser coletadas em diferentes pontos:

  • Amostras de ovos;
  • Por cotonetes, antes e depois da desinfecção.
  • Amostras de superfície, por meio de cotonetes;
  • Pode-se examinar diferentes superfícies representativas da instalação.
  • Amostras de ar;
  • Com exposição das placas de meios de cultivo.
  • Podem expor-se antes e depois de diferentes tarefas.
  • Amostras de mecônio, fígado e coração;
  • Estas amostras são muito significativas porque resumem toda a estratégia estabelecida na planta de incubação para conseguir o OBJETIVO de uma ÓTIMA HIGIENE.




MERCADO +

DataProdutoValor
07/08/2020 Congelado +
(kg)
R$ 4,94
07/08/2020 Resfriado +
(kg)
R$ 4,94

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
27 - 31/07/2020 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 83,91
R$ 104,32

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Junho 2020

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


aviagen
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies