13 jul 2021

Grupo Alvorada conta com programa de probióticos da Biocamp

Biocamp
get_the_title



O Grupo Alvorada é um dos maiores do país na produção e comercialização de ovos férteis e pintos de um dia. São mais de 50 anos investindo em tecnologia e técnicas de produção para assegurar a qualidade dos seus produtos.

Todos esses anos de história contribuíram para uma identidade sanitária bastante consolidada. O Grupo Alvorada é reconhecido como um dos maiores exemplos nacionais de biosseguridade em seu segmento de atuação. Com unidades 100% próprias, o processo produtivo é acompanhado de perto, o que possibilita maior controle sanitário e padronização dos processos de criação. Todo esse cuidado permite à empresa produzir ovos férteis e pintos sem o uso de antibióticos melhoradores de desempenho.

 

Biocamp

 

No entanto, para controlar a sanidade dos planteis de matrizes, o Grupo Alvorada utiliza outras ferramentas. Uma delas é um programa de probióticos de exclusão competitiva desenvolvido pela Biocamp.

Essa parceria já perdura há mais de 10 anos e existe não somente pela confiança e boa relação estabelecida entre as partes, mas, principalmente, pelos resultados alcançados. É sobre eles que vamos falar neste artigo.

 

Biosseguridade é a palavra de ordem

Atualmente, o Grupo Alvorada possui um plantel com mais de 2 milhões de reprodutoras. A produção é de 27 milhões de ovos férteis por mês, sendo uma parcela comercializada nos mercados interno/externo e outra incubada para produção de pintos.

Biosseguridade sempre foi uma palavra de ordem dentro do Grupo, algo essencial para produção de ovos férteis e pintos de um dia de elevada qualidade. A empresa segue todos os preceitos da legislação brasileira estabelecidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), como isolamento total das áreas de produção, por exemplo. Mas, o cuidado vai além.

 

Andre Pessamilio

André Pessamilio, veterinário e diretor de produção do Grupo Alvorada.

André Pessamilio, veterinário e diretor de produção do Grupo Alvorada, conta que a “briga” com as salmonelas e micoplasmas vai além da estrutura física da empresa e dos processos de manejo. Ela também se aplica no processo de contratação de um novo funcionário, checando se ele tem contato com aves em sua casa ou em outros locais.  “Temos um controle de monitoramento dos banhos para entrar na granja e troca de roupa. Além disso, as granjas, fábricas de ração e maravalha são todas cercadas não somente pelo alambrado, conforme preconiza a legislação, mas também por muro e chapa anti-rato”.

Essas são algumas das medidas que fazem com que o Grupo Alvorada seja um dos maiores exemplos de biosseguridade na produção de ovos férteis e pinto de um dia.  “Temos todas as barreiras necessárias para que doenças e contaminantes não cheguem às galinhas. No entanto, também precisamos cuidar da saúde das aves. Por isso, fazemos uso de probióticos”, diz André.

 

Probióticos de exclusão competitiva

Os probióticos utilizados pelo Grupo Alvorada são classificados como produtos de exclusão competitiva. Esse tipo de probiótico possui centenas de espécies de bactérias que colonizam todos os segmentos intestinais das aves – inclusive os cecos –, trazendo como benefícios diretos o equilíbrio da microbiota, a integridade intestinal, o controle de bactérias patogênicas como salmonelas, Escherichia coli (APEC) e Clostridium perfringens, além de ganhos zootécnicos nas fases de recria e produção.

 

Benefícios para a fase de recria

“Na fase de recria, entre 0 e 22 semanas, é quando a galinha ainda está em crescimento. Uma colonização com bactérias benéficas vem para proteger as aves e melhorar ainda mais o seu sistema imunológico. Afinal, uma galinha doente não come e fica para trás em seu desenvolvimento, no comparativo com as outras aves. E isso impacta de maneira negativa na uniformidade do lote. Ao utilizar probióticos, terei uma galinha recriada mais uniforme e com uma condição corporal adequada para ser uma boa produtora de ovos”, explica André.

 

Benefícios para a fase de produção

A fase de produção é um trabalho de continuidade da recria, mas com o acréscimo de ser um período mais estressante para as galinhas. Isso porque elas são transportadas para a granja de produção, machos e fêmeas são acasalados, há uma disputa por território e grande descarga hormonal para produção dos ovos. O início e o pico de produção ocorrem, geralmente, entre 25 e 35 semanas. Esse período exige muito das reprodutoras, o que torna essa fase bastante desafiadora para as aves, podendo impactar negativamente na qualidade intestinal. Os probióticos ajudam a manter o intestino saudável, favorecendo a absorção de nutrientes e contribuindo para a melhor produtividade dos lotes”, diz André.

A manutenção da qualidade intestinal das aves tanto na recria quanto na produção é fundamental para o negócio do Grupo Alvorada, que tem planos de expandir sua produção até o final do ano para 30 milhões de ovos férteis ao mês. E o desafio de criar as reprodutoras sem a utilização de antibióticos melhoradores de desempenho é possível com o uso contínuo de probióticos de exclusão competitiva, que modulam a microbiota intestinal das reprodutoras desde o primeiro dia de vida, permitindo que essas aves tenham ótima qualidade intestinal e altos índices zootécnicos.

 

Não se mexe em time que está ganhando

Para André Pessamilio, a biosseguridade e o uso de probióticos de exclusão competitiva da Biocamp têm sido de extrema importância para a qualidade do produto que comercializam, para assegurar as entregas aos clientes e manter a credibilidade da empresa. “Podemos até agregar em outras ferramentas e soluções, mas não vamos mexer em uma engrenagem que está rodando há tanto tempo e trazendo resultado satisfatório.”

Quando falamos em qualidade de ovos férteis, nos referimos a duas questões essenciais: eclosão e status sanitário dos pintinhos. Se esses dois itens não forem satisfatórios, a sustentabilidade do negócio pode estar em risco. “Hoje, com todas as medidas adotadas, o Grupo Alvorada consegue montar uma programação de venda para o ano inteiro com a segurança de que não haverá contratempos pelo caminho”, assegura Pessamilio.

 

Linha Colostrum® e Grupo Alvorada

O Grupo Alvorada utiliza os probióticos de exclusão competitiva Colostrum® Mix e Colostrum® Líquido. Seu uso contínuo e desde o primeiro dia de vida é essencial para o controle de bactérias patogênicas.  

ColostrumLiquido Biocamp

Eles fazem parte do grupo de probióticos NAGF (Normal Avian Gut Flora), que possuem grande diversidade de espécies de bactérias láticas, anaeróbias e anaeróbias facultativas. Esse tipo de probiótico é capaz de colonizar todos os segmentos intestinais, inclusive os cecos das aves, e isso faz grande diferença para o controle sanitário e desempenho zootécnico das reprodutoras.

Colostrum Biocamp

A linha Colostrum® é indicada para promover a saúde intestinal das aves por meio da colonização/recolonização da microbiota, controlar enfermidades entéricas como salmoneloses, clostridioses e colibaciloses e ajudar a obter melhorias no desempenho zootécnico das aves.

 

 

É uma honra para a Biocamp ter um parceiro como o Grupo Alvorada, que é sinônimo de qualidade, de biosseguridade e referência no mercado. E uma satisfação enorme saber que o uso sistemático dos probióticos Colostrum® Mix e o Colostrum® Líquido são ferramentas essenciais para alcançar esse patamar.



NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Julho 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies