19 jul 2018

Fundesa, Fundeagro e Central de Compras mobilizam avicultura em MG



AUTOR(ES)

Priscila Beck

Diamond V

Em Minas Gerais a avicultura está com a atenção voltada para o Fundesa – MG (Fundo Estadual de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal), Fundeagro (Fundo Estadual de Defesa Agropecuária) e para a criação de uma Central de Compras. A informação é do presidente da AVIMIG (Associação dos Avicultores de Minas Gerais) e vice-presidente da Avivar Alimentos, Antônio Carlos Vasconcelos Costa, que conversou com exclusividade com a aviNews Brasil.

Segundo dados do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), em 2017 Minas Gerais produziu 961 mil toneladas de carne de frango. Desse volume, pouco mais de 92% foram destinados ao mercado doméstico.

Segundo maior produtor de ovos do Brasil, em 2017 o estado chegou a 317,067 milhões de dúzias de ovos produzidas. Quase a metade do volume de ovos brasileiros que foram exportados no ano passado saiu do estado de Minas Gerais, o que representa 2,495 toneladas exportadas (41,28%).

Diante desse cenário e do fato de o status sanitário ser o maior patrimônio da avicultura brasileira, investir em defesa sanitária e agropecuária é fundamental.

Após a oficialização do Fundesa – MG, no início do mês de abril, os produtores mineiros aguardam a aprovação, pela Assembleia Legislativa, do Projeto de Lei 4877/17, que cria o Fundeagro.

“Nós tínhamos um fundo que, inicialmente, era voluntário e hoje ele é compulsório e muito importante para a avicultura”, explica Antônio Carlos, referindo-se ao Fundesa, que está em fase final de implantação. Esse Fundo tem caráter privado e os recursos financeiros serão gerenciados pela Faemg (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais), destinados à indenização de produtores rurais em emergências sanitárias.

O Fundesa será gerido por um conselho constituído pelos presidentes de associações e sindicatos dos setores de aves, suínos, bovinos, bubalinos e leite. De acordo com o estatuto que regerá o Fundesa, a presidência do conselho será representada pelo presidente da Faemg.

Já o Fundeagro, que está sendo analisado pela Comissão de Agropecuária e Agroindústria da Assembleia Legislativa do estado, deverá ser formado por recursos de arrecadação e orçamento próprios do IMA (Instituto Mineiro de Agropecuária), transferências federais, estaduais e alienação de bens. A expectativa é de que o Fundeagro dê maior mobilidade financeira ao Instituto para planejamento e execução das ações de defesa sanitária.

Mas os avicultores mineiros não estão esperando a tramitação do Fundeagro sentados. Junto com a FAEMG e a ASEMG (Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais), a AVIMIG articula junto aos atores do setor a criação de uma Central de Compras.

O projeto é coordenado pela empresa de consultoria Valintel, que trouxe para o Brasil um conceito que já está em prática em regiões desenvolvidas. A proposta foi apresentada durante o Avicultor 2018, realizado em Belo Horizonte (MG) no último mês de junho.

Segundo o diretor da empresa, Anderson Resende, a iniciativa proporciona um Núcleo de Inteligência para suporte aos produtores que tem o potencial de reduzir os custos de produção, otimizar frete, proporcionar soluções alternativas de armazenagem, facilitar o acesso a capital, estruturar e organizar as cadeias produtivas.

A primeira fase do projeto consiste em mapear as cadeias produtivas e fazer um levantamento da demanda de cada uma. Na segunda fase do projeto são desenvolvidas e colocadas em prática estratégias de negociações, com alianças estratégicas que, segundo Anderson, na América do Norte geraram reduções de custos de 7,9%.

“São medidas que fortalecem o setor e que num momento de crise como o que vivemos hoje, acredito que os produtores acabem estando mais sensibilizados para aderir a essa iniciativa”, observa o presidente da AVIMIG. “Estamos fazendo um grande esforço para que ele possa ser implantado e trazer resultados para o setor e para o nosso estado”, completa.

Conjuntura do setor

 

A aviNews Brasil também conversou com o presidente da AVIMIG sobre o momento vivido pela avicultura brasileira. Segundo Antônio Carlos, o setor vem trabalhando por sua “sobrevivência”, o que ele mesmo julga como um termo forte, porém, realista.

“Em momentos de crise muito forte a gente entende que a sobrevivência é um quesito importante na gestão”, afirma. “O nosso quadro não deixa de ser o mesmo que o nacional, em que enfrentamos a sobreoferta de produção e estamos fazendo um ajuste para superar esse momento da melhor maneira possível”, completa.

O presidente da AVIMIG também destacou o papel de Minas Gerais enquanto segundo estado maior produtor de ovos, porém destacou a necessidade de incrementar os resultados da avicultura de postura.

Observamos que não estamos nem na lista dos 20 países com maior consumo per capta de ovos do mundo”, observa. “Temos espaço para crescer e, fazendo uma dosando equilibrada entre oferta e procura, temos que focar no estímulo ao aumento do consumo”, completa.

O Avicultor

 

A realização da primeira edição do Avicultor fora da sede da AVIMIG garantiu um novo recorde de público. Segundo Antônio Carlos, antes mesmo de acontecer, o evento já contava com a inscrição prévia de 500 participantes.

“Para nós, o glamour do evento era estar na nossa sede porque era uma forma de acolher a avicultura dentro da nossa casa”, observa o presidente da AVIMIG. “Felizmente, o evento cresceu graças à avicultura, aos nossos associados e patrocinadores, nos levando a tomar essa decisão de mudar de local e fomos muito felizes pelos elogios e receptividade do público”, completou.

Durante o evento, na presença do Secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Amarildo Brumano Kalil, do presidente da Asemg, Antônio Ferraz, da presidente do Sinpamig, Valéria Maria da Silva Souza, e do vice-presidente da ABPA, Ricardo Santin, o presidente da AVIMIG entregou o equipamento PCR Quant Studio ao diretor-geral do IMA, Marcílio de Sousa Magalhães.

Fundesa Fundeagro Central de Compras Equipamento PCR IMA AVIMIG

Da esquerda para a direita: Amarildo Brumano Kalil, Marcílio Souza Magalhães, Antônio Carlos Vasconcelos Costa, Valéria Maria da Silva Souza e Ricardo Santin

O PCR, que tem condições de identificar em tempo hábil a ocorrência de doenças como a Influenza Aviária, foi adquirido a partir de um termo de cooperação técnica assinado entre entidades representativas do setor produtivo.

Uma das palestras que compôs a programação técnica do evento foi sobre a importância do controle da mosca na avicultura. A aviNews Brasil conversou com um dos palestrantes sobre o assunto e você pode conferir as dicas dele sobre o assunto clicando aqui.




MERCADO +

DataProdutoValor
18/01/2021 Congelado +
(kg)
R$ 5,86
18/01/2021 Resfriado +
(kg)
R$ 6,20

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
11-15/01/2021 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 94,62
R$ 110,24

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil setembro 2020

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


Logo Ceva
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies