28 abr 2017

Frigoríficos brasileiros aumentam busca por certificação halal



AUTOR(ES)

Priscila Beck

Diamond V

Notícia veiculada pelo site BeffPoint aponta que a busca de agroindústrias e frigoríficos pela obtenção de certificação do sistema de abate halal cresceu 12% em 2016, na comparação com o ano anterior. A informação é da Federação das Associações Muçulmanas do Brasil (Fambras Halal), instituição certificadora halal.

O assunto também é pauta da edição atual da revista Forbes Brasil (edição 49), que fez uma reportagem sobre o mercado de carne Halal – com estatísticas e cases de empresas. O presidente da FAMBRAS, Mohamed El Zoghbi, foi um dos entrevistados e explicou como funciona o abate e a certificação Halal.

O presidente lembrou que a FAMBRAS Halal foi pioneira na certificação de proteína animal para o mercado islâmico e hoje atende as gigantes BRF e JBS. “Graças a um esforço coletivo, o Brasil, que em meados da década de 70 não produzia um quilo de frango Halal, tornou-se o maior exportador mundial”, explica.

Hoje, o Brasil possui o maior faturamento do grupo, deixando o Oriente Médio em segundo lugar. O Halal é a categoria que mais cresce no mundo e com toda dedicação dos muçulmanos e representantes do mercado, tende a dar continuidade nesse crescimento.

Ao InfoMoney, Dib Ahmad El Tarrass, gestor de desenvolvimento do halal industrial, diz que “o interesse das indústrias alimentícias em exportar seus produtos para o mercado islâmico vem se refletindo no volume de pedidos por certificação, já que quem pretende exportar para este mercado precisa ter o selo halal”. Segundo ele, “até agora, todas as empresas que obtiveram a certificação no ano passado solicitaram a renovação e outras já nos procuraram para iniciar o processo.”

Dados da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira indicam que o Brasil tem 90% dos seus frigoríficos habilitados para produzir carne halal. O País figura como o maior exportador de carne para o mundo islâmico –bovina e de frango -, já que o consumo de suínos é proibido neste mercado.

Segundo El Tarrass, para obter a certificação, as indústrias passam por rigoroso processo, executado por organização islâmica reconhecida, que certifica sua capacidade de praticar os procedimentos halal. Para ser considerado halal, o produto tem que respeitar premissas relacionadas a matérias-primas, insumos e auxiliares de processo que não afetam a saúde humana; boas práticas fabris; uso equilibrado do solo e dos recursos naturais; proibição de uso de mão de obra escrava; respeito aos níveis de defensivos determinados pela legislação; abate humanitário de animais; fornecimento de informações transparentes e prática de conduta comercial correta e justa nas negociações; entre outros requisitos.

Dados da Agência Brasileira de Promoção de Comércio e Investimentos (Apex- Brasil) revelam que, em 2016, as exportações brasileiras para a Arábia Saudita, Emirados Árabes, Kuwait, Qatar, Bahrein e Omã totalizaram US $ 6,04 bilhões.

Fonte: BeefPoint e FAMBRAS Halal




MERCADO +

DataProdutoValor
18/01/2021 Congelado +
(kg)
R$ 5,86
18/01/2021 Resfriado +
(kg)
R$ 6,20

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
11-15/01/2021 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 94,62
R$ 110,24

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil setembro 2020

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


Logo Ceva
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies