fev 2018 / TENDÊNCIA / Noticias

França: o fim dos ovos de galinhas em gaiolas

producción alternativa ovos de galinhas em gaiolas
Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

O governo francês comunicou que proibirá os ovos de galinhas criadas em gaiolas em 2022.

A partir de 2022, os ovos frescos que forem encontrados no mercado francês serão produzidos em criadouros ao ar livre e não de galinhas em gaiolas. O Ministro da Agricultura, Stéphane Travert, em uma entrevista organizada pelos meios de comunicação Europe 1 – CNews – Les Echos, disse que se trata de um compromisso eleitoral.

Algumas cadeias de supermercados na França se adiantaram à entrada em vigor desta proposta, quando ainda não havia sido aprovada, e vendendo somente ovos procedentes de criadouros ao are livre. No entanto, a produção em massa em criadouros com gaiolas não será encerrada na França, devido à permanência de seu uso na produção de ovoprodutos.

Os consumidores franceses são cada vez mais sensíveis às condições nas quais são criados os animais que dão origem a produtos alimentícios que chegam às gôndolas dos supermercados. Por conta disso, as grandes empresas de distribuição acabaram incluindo esta demanda em suas estratégias de venda.

A França, primeiro produtor europeu de ovos, com 14.700 milhões de unidades em 2015, caminha em direção a uma grande transformação. Atualmente, 68% dos 47 milhões de galinhas poedeiras vivem em cativeiro, 25% estão em galinheiros com acesso ao exterior e 7% são criadas em solo, porém não ao ar livre.

A França está claramente atrás de seus vizinhos europeus, onde a média de produção de aves dispostas em baterias é de 56%. Além disso, na Bélgica, Holanda e Alemanha, os supermercados dispensam ovos frescos oriundos de galinhas criadas em gaiolas.

Fonte Agência EFE

ATUALIDADE

Revista aviNews Brasil
Ed. Março 2020

Consultar outras edições

CADASTRO GRATUITO

Revista Digital

Boletins Semanais

Acesso aos PDFs