AUTOR(ES)

María de los Angeles Gutiérrez

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

O Serviço Nacional de Qualidade e Saúde Animal (SENACSA) comunicou que, durante janeiro e julho deste ano, o volume de exportações avícolas do Paraguai teve um crescimento de 962,3 toneladas, ou seja, um crescimento de 87% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Os números mostram que nestes primeiros sete meses do ano, foram exportadas 2.069,1 toneladas de carne de aves e miúdos. No mesmo período analisado do ano passado foram exportadas 1.106,8 toneladas para diferentes destinos.

Entre janeiro e julho de 2017, o volume exportado de produtos avícolas foi de 2.069,1 toneladas, representando um crescimento de 962,3 toneladas em relação ao mesmo período do ano passado.

Em relação à receita das exportações avícolas, durante o período analisado, foi de US$1.776.159. Enquanto que no mesmo período do ano anterior, a receita foi de US$839.803, ou seja, apresentou um crescimento de 112%.

Durante os primeiros sete meses do ano, a receita proveniente de carne de frango e miúdos superou em US$936.356, ou seja, 112% a mais, o mesmo período do ano anterior.

Ao analisar os números, pode-se observar um maior crescimento da geração de receitas, que no volume exportado e isto se deve à valorização nos preços de venda dos produtos avícolas.

Até o presente momento do ano, o valor médio por produtos avícolas enviados foi de US$859 por tonelada, enquanto no ano passado a média foi de US$758 por tonelada, representando um aumento de 13% no período analisado. – La Nación.

Referente ao período de janeiro a abril deste ano, os números divulgados pelo SENACSA em maio (publicados no aviNews), demonstram que foram exportadas 1.050,5 toneladas de carne de frango e miúdos, correspondente a um crescimento de 300% em relação às 262,8 toneladas embarcadas no primeiro quadrimestre do ano passado.

Enquanto isso, nos primeiros quatro meses de 2017, o valor das receitas de exportações do setor avícola teve um significativo aumento de 700%.

Os produtores avícolas paraguaios, em conjunto com o governo, estão adotando medidas preventivas contra a Influenza Aviária e a Doença de Newcastle para evitar que estas enfermidades se apresentem no país.

Nos primeiros sete meses do ano, os mercados aos quais se enviou produtos avícolas paraguaios, de acordo a referência do SENACSA, são: Vietnã (29,5%), Angola (23,4%), Albânia (11%), Congo (11%), Rússia (10,8%), Gabin (7,8%), Haiti (3,7%), Togo (1,5%), Moçambique (0,5%), República Democrática do Congo (0,4%) e Camarões (0,4%).

Com base nesta análise pode-se observar que, nestes primeiros sete meses, as exportações tiveram como destino onze países – somando-se: Albânia, Rússia, Gabin – frente aos oito destinos aos quais se enviou produtos avícolas paraguaios durante os primeiros quatro meses de 2017. Consequentemente, los investimentos realizados pelo setor avícola estão refletindo, paulatinamente, tanto no crescimento do volume exportado e receitas, como nos novos países importadores.

 

Diamond V


NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Julho 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies