02 mar 2018

Exportações agrícolas dos EUA à América Central crescem sob o CAFTA-DR

Exportaciones agrícolas de EE.UU. a Centroamérica crecen bajo CAFTA-DR América Central


AUTOR(ES)

María de los Angeles Gutiérrez

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

O Triângulo Norte da América Central, que inclui El Salvador, Guatemala e Honduras, oferece importantes oportunidades de mercado aos exportadores de produtos agrícolas e alimentícios dos EUA. À medida que a região continua experimentando crescimento populacional e econômico, a demanda por bens importados, particularmente produtos alimentícios de alto valor orientados ao consumidor, vai aumentando. A informação foi divulgada no último Relatório de 2018 sobre Comércio Agrícola Internacional, publicado pelo Serviço Agrícola Extrangeiro (FAS) ligado ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

CAFTA-DR: o tratado de livre comércio dos Estados Unidos com a Costa Rica, República Dominicana, El Salvador, Guatemala, Honduras e Nicarágua fortaleceu os laços dos EUA com a América Central, ajudado a estimular o crescimento econômico, comércio, emprego e expansão da classe média da região.

Desde que se iniciou a implementação do acordo em 2006, as exportações de produtos agrícolas e alimentícios dos EUA aos países do CAFTA-DR dobraram, chegando a US$4,3 bilhões em 2016. As exportações aos três países do Triângulo Norte experimentaram o crescimento mais rápido, passando de US$$1,1 bilhões em 2006 para US$$2,2 bilhões em 2016.

Qual o papel do CAFTA-DR na estabilidade econômica do Triângulo Norte?
Os países do Triângulo Norte têm um produto interno bruto (PIB) real coletivo de quase US$225 bilhões (i). Sendo a Guatemala o país mais populoso, tem o maior PIB, de US$135,9 bilhões, seguido por El Salvador com US$49,7 bilhões e Honduras com US$ 39,2 bilhões. As exportações agrícolas desempenham um papel importante na estabilidade econômica do Triângulo Norte e grande parte da produção agrícola se concentra em produtos básicos orientados à exportação, principalmente café, açúcar, bananas e outras frutas tropicais. Em consequência, o comércio bilateral com os Estados Unidos sob o CAFTA-DR continua sendo um fator importante no desenvolvimento econômico de El Salvador, Guatemala e Honduras igualmente.

Força de Trabalho e Poder Adquisitivo
O Triângulo Norte tem uma população relativamente jovem e qualificada para o trabalho, com 62% dos 32 milhões de habitantes entre 15 e 64 anos. Do total de habitantes (excluindo estudantes e indivíduos não remunerados), 42% estão na força de trabalho, comparado com 49% nos Estados Unidos. À medida que as economias locais se expandem e mais pessoas entram no trabalho formal, espera-se que a força de trabalho aumente de 13,5 milhões de pessoas em 2016 para mais de 15 milhões em 2021, proporcionando poder adquisitivo adicional e aumentando a demanda por bens importados. Ainda que a maioria da população do Triângulo do Norte ganhe menos de US$20.000 (ii) por ano, o poder aquisitivo pode ser mais alto que o indicado devido a receitas não registradas de fontes que incluem remessas de familiares (principalmente nos Estados Unidos) e trabalho no setor informal.

A participação no CAFTA-DR tem criado empregos e estimulado o crescimento econômico em todo o Triângulo Norte. Desde 2006, o número de domicílios na região que ganha mais de US$20.000 por ano aumentou 40%, para quase três milhões. Nos próximos cinco anos, espera-se que esse número cresça outros 20%, para mais de 3,5 milhões de domicílios. Isso é significativo para os exportadores norte-americanos, já que é provável que as famílias com renda superior ao limite de US$20.000 realizem suas compras de alimentos em modernos centros varejistas e tenham uma renda mais livre para gastar com alimentos importados.

O Triângulo do Norte importou US$5,9 bilhões em produtos agrícolas do mundo em 2016. Os Estados Unidos foram o principal fornecedor, proporcionando aproximadamente 40% dessas importações. Os principais concorrentes dos norte-americanos na região são México, União Europeia, Chile e Uruguay. As principais exportações agrícolas dos EUA ao Triângulo Norte incluem milho, farinha de soja, trigo, carne de frango, arroz e alimentos preparados.

Demanda dos consumidores no Triângulo Norte
A demanda dos consumidores por produtos de alto valor vem crescendo no Triângulo Norte devido à crescente exposição da população aos hipermercados e cadeias varejistas modernas. Outro fator que contribuiu foi a conscientização gerada pelas ações de marketing como da SaborUSA, com o apoio do Departamento de Agricultura dos EUA, para promover produtos alimentícios norte-americanos na América Central e América do Sul.

As vendas varejistas de alimentos e bebidas nos países do Triângulo Norte aumentaram 33% desde 2006, passando de US$18,6 bilhões para US$24,8 bilhões, com a expectativa de que cresçam mais 37% durante a próxima década. Desde 2006, os produtos de consumo foram a categoria de exportações de crescimento mais rápido dos Estados Unidos para o Triângulo do Norte, como indica a tabela 1. Além disso, a conveniência e a sensibilização do consumidor, os altos custos de produção nacional têm contribuído para o crescimento da demanda por importações.

Exportaciones agrícolas de EE.UU. a Centroamérica crecen bajo CAFTA-DR

I-Referencias: al PIB son en 2010 Paridad del Poder Adquisitivo (PPA). La PPA es una teoría económica que ajusta el PIB de un país utilizando un enfoque de “canasta de bienes” que toma en cuenta las diferencias en los costos de los bienes en diferentes países. Este enfoque generalmente se considera la mejor comparación del bienestar doméstico entre los diferentes países.
ii -Las referencias a los ingresos de los hogares a lo largo de este informe están en PPA 2005.
iii -Fuente: IHS Markit Global Consumer Markets Service
iv -Fuente: Euromonitor International

 

Diamond V


NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Abril 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies