02 nov 2017

Equador: Avicultura é maior fonte de proteína animal

Ecuador: Avicultura es la mayor fuente de proteína animal consumida Equador


AUTOR(ES)

María de los Angeles Gutiérrez

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

A Associação de Médicos Veterinários Especialistas em Avicultura (AMEVEA) do Equador estima que o consumo per capita de carne de aves flutua entre 30 e 32 quilogramas ao ano, sendo esta a proteína de maior consumo no país. Quanto à produção, o volume anual gira entre 230 e 250 milhões de frangos de corte.

O membro do diretório da Corporação Nacional de Avicultores do Equador (CONAVE), Andrés Pérez, afirma que a indústria de produção de proteína animal que mais cresceu nestas duas décadas no país é a avícola. Isto foi dito durante o XIX Seminário Internacional de Avicultura, realizado em 24 de outubro, em Guayaquil, Equador.

Andrés Pérez afirmou que o consumo de frango dos equatorianos há 20 anos era de 10 kg por pessoa, número que triplicou. “A proteína animal avícola se tornou a principal em consumo entre os equatorianos. Isto é benéfico para o ser humano e, por outro lado, gerou uma indústria importante no setor dos alimentos, que está em crescimento e acreditamos que pode ir além do que se tem alcançado”, afirmou.

Destaca-se que a distribuição da indústria é equitativa, com participação de cerca de 30% de cada setor, ou seja, entre grandes, médios e pequenos produtores. Além disso, calculou-se que no Equador existem aproximadamente 1.900 granjas avícolas.

Uma destas granjas é a de Édgar Aguilar, que pertence à Associação de Avicultores do El Oro. Édgar Aguilar detalha que neste momento o problema é o preço da libra de frango vivo na granja, que está em $0,52. Uma das observações geralmente feitas é a quantidade de impostos. Tanto Aguilar como Pérez enfatizam que o setor paga hoje “grande quantidade de impostos” sem receber nenhum incentivo. Para Aguilar a entrada de frangos dos países próximos como Peru, a baixo custo e sem controle, ajuda a baixar o preço. – El Telegrafo.

O avicultor Aguilar denunciou que já “são três os meses com estes preços; antes estávamos com $0,80, $0,85 e até $0,90 e daí baixou para $0,52. É provável que alguns tenhamos que diminuir ou deixar a produção”. Aguilar representa 33 parceiros. A posição do membro da Associação de Avicultores de El Oro é compartilhada por Alfredo Guerrero, produtor de frango de Portoviejo (Manabí).

Por sua vez, Alfredo Guerrero não acredita que exista sobreprodução de frango e responsabiliza esta situação ao preço da saca de milho, que é o mais alto da região. Nos últimos anos o consumo estancou.

O membro da CONAVE, Andrés Pérez, detalhou que “vamos – a indústria avícola – no nível de crescimento da população, que não passa de 2%”. O setor tem feito pouco para promover uma campanha que aumente o consumo desta proteína no país.

A indústria avícola equatoriana tem um crescimento anual do consumo de carne de aves que não supera os 2% devido à falta de campanhas promocionais do produto, segundo Andrés Pérez, membro do CONAVE.

A promoção demanda um investimento importante. Por isto, Andrés Pérez manifestou que se deve considerar todos os envolvidos na cadeia avícola para que tenha êxito a campanha para promover o consumo de carne de ave.




MERCADO +

DataProdutoValor
18/01/2021 Congelado +
(kg)
R$ 5,86
18/01/2021 Resfriado +
(kg)
R$ 6,20

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
11-15/01/2021 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 94,62
R$ 110,24

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil setembro 2020

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


Logo Ceva
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies