AUTOR(ES)

Guillermo Zavala

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

Sem a pretensão de se envolver em questões políticas, é preciso olhar para a América Latina e refletir sobre seus desafios socioeconômicos, políticos e culturais. Seja qual for nossa perspectiva no presente e para o futuro dessa região, é evidente que o clima político internacional mudou e está mudando drasticamente em muito pouco tempo. O ressurgimento do nacionalismo populista, protecionista e inclusive isolacionista em países de muita influência política, econômica e militar deve nos fazer refletir sobre o impacto dessa nova ordem no panorama socioeconômico e político latino-americano.

Segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial (BM), Brasil, México e Argentina representam a 9ª, a 15ª e a 20ª economias do mundo, respectivamente. As economias da Venezuela, Colômbia, Chile e Peru estão muito atrás, embora estejam listadas entre as 55 maiores economias do mundo.

Nesses e nos demais países latinoamericanos, ainda há muito por fazer para solucionar os problemas de desnutrição; o sistema de educação da região, que é cronicamente deficiente; a “administração”, que poderia ser muito melhor; os sistemas de saúde, que apesar de melhorarem, ainda ficam muito a desejar; e a desigualdade na distribuição da riqueza, que continua sendo um grande problema.

As recentes manifestações do neonacionalismo nos países poderosos são muito perigosas e podem resultar em mandatos presidenciais e ações muito prejudiciais às economias da região. Grande parte da América Latina depende de grãos, insumos, máquinas, tecnologias, medicamentos e serviços produzidos até agora pelos países mais avançados.

É a hora de acordar. Até agora, a América Latina tem sido consumidora, mas não produtora de tecnologias, por isso vem dependendo dos países produtores de bens, serviços e tecnologias.

Seria possível pensar os países latino-americanos trabalhando juntos, daqui em diante, para mudar a ordem regional? Seria possível que a região forme um consórcio produzindo seus próprios automóveis, sua engenharia aeroespacial, seus alimentos e medicamentos; que integre suas economias, facilitando o comércio internacional em vez de construir muros e se isolar (como está sendo observado em outros países) que haja um compromisso para solucionar os problemas administrativos; que de uma vez por todas sejam combatidos, de maneira estratégica, os problemas que impedem o desenvolvimento da América Latina?

O que é preciso para que um país e uma região manifestem seu verdadeiro potencial? Em primeiro lugar, é necessário nutrir seus cidadãos; em segundo, é fundamental mantê-los saudáveis; em terceiro, é imprescindível educá-los; e em quarto, contar com sistemas de governo que amem de verdade seus países e governem desejando o melhor para seus concidadãos.

 



NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Abril 2021

ARTIGOS DA REVISTA

img13

Por Felipe Lino Kroetz Neto

View more


 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies