29 jan 2019

Rússia reporta foco da Doença de Newcastle

Doença de Newcastle Rússia


AUTOR(ES)

Priscila Beck

Diamond V

A OIE (Organização Mundial de Saúde Animal) emitiu um alerta nesta terça-feira (29/1), reportando um foco da Doença de Newcastle no distrito de Lazarevsky, no sul da Rússia. O alerta faz referência a um lote de 40 aves de fundo de quintal.

Segundo o comunicado da OIE, duas aves foram encontradas mortas e o abate sanitário de todo o lote é uma das medidas a ser adotada. O caso teve início em 24/1 e foi comprovado em 28/1 a partir de exame PCR realizado no laboratório veterinário Kropotkinskaya.

Entre as medidas já adotadas estão a restrição de transporte pelo interior do país, vigilância dentro da região de contenção, quarentena, eliminação oficial de carcaças, subprodutos e dejetos de origem animal, zoneamento e desinfecção.

O alerta da OIE chega um dia após a entrada em vigor na Rússia da proibição de importação de carne de frango da Califórnia (EUA) devido a ocorrências da Doença de Newcastle. A lista de proibições também inclui:

  • ovos para incubação;
  • todos os tipos de produtos de aves que não foram submetidos a tratamento térmico (pelo menos 70 graus Celsius);
  • aditivos alimentares (exceto aqueles de origem vegetal); e
  • equipamentos que serviram para o abate e corte de aves.

A proibição também estava sendo introduzida para o trânsito de aves vivas da Califórnia pela Rússia

A Doença de Newcastle é considerada uma doença infecciosa grave que afeta os órgãos internos, os sistemas nervoso e respiratório da ave. Mais comum em galinhas, os sinais clínicos da Doença de Newcastle em sua forma velogênica incluem:

  • morte súbita e aumento da perda por morte no lote;
  • espirros;
  • ofegação;
  • descarga nasal;
  • tosse;
  • diarreia esverdeada e aquosa;
  • atividade diminuída;
  • tremores;
  • asas caídas;
  • torção da cabeça e pescoço;
  • giros;
  • rigidez total; e
  • inchaço ao redor dos olhos e pescoço.

Aos proprietários de aves a orientação é para que sigam rigidamente boas práticas de biossegurança para ajudar a proteger suas aves contra doenças infecciosas. As boas práticas incluem passos simples como:

  • lavar as mãos;
  • esfregar botas antes e depois de entrar em uma área de aves de capoeira;
  • limpeza e desinfecção de pneus e equipamentos antes de retirá-los da propriedade.

Além de praticar uma boa biossegurança , todos os proprietários de aves devem relatar a ocorrência de aves doentes ou mortes incomuns de aves aos órgãos oficiais.

Gostou dessa matéria? Cadastre-se para receber nossa newsletter semanal!



NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Abril 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies