29 ago 2018

Doença de Newcastle gera grande preocupação na Europa!

patología aviar doença de newcastle


AUTOR(ES)

Jose Luis Valls

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

Os produtores avícolas europeus começam a se preocupar com a Doença de Newcastle

O setor avícola europeu está em estado de alerta em consequência dos focos da Doença de Newcastle que estão surgindo no continente desde que iniciou o verão.

patología aviarAos primeiros surtos da Holanda, Luxemburgo, Turquia e Bélgica, agora também se suma Israel.

Todos os surtos foram declarados como casos clínicos da doença. Casos recorrentes a uma doença que se encontra na lista de enfermidades de declaração obrigatória da OIE.

A maioria dos primeiros focos se iniciou com aves de fundo de quintal, porém, depois se viram afetadas granjas de frangos de corte, aviários de poedeiras e até granjas de reprodutoras.

A mortalidade se deu conforme o grau de imunidade das aves para a doença. Nas aves de fundo de quintal, sem vacinação, a mortalidade foi alta, enquanto a queda de postura nas granjas de poedeiras e reprodutoras foi de moderada a forte. As quedas de postura vieram acompanhadas de péssima qualidade dos ovos nas galinhas recuperadas. Os casos em frangos de corte ocorreram mais em aves em fase final, com idade entre cinco e seis semanas.

Todos os diagnósticos da doença foram realizados nos Laboratórios de Referência dos países afetados.

Além das consequências sobre a sanidade e o bem-estar animal, produzidas pela Doença de Newcastle, o prejuízo que pressupõe a declaração da enfermidade sobre o comercio avícola da região afetada é terrível.

Países como a Grã Bretanha foram elevados ao nível de alerta como consequência do enorme comércio de produtos avícolas que possuem hoje com a Bélgica.

Ainda que, nos países afetados, as exportações possam continuar fora das regiões controladas, alguns países compradores podem optar por uma proibição total sobre o comércio de produtos avícolas. Isso é o que tem ocorrido com inúmeros surtos de gripe aviária nos últimos anos. Com isso, a potencial perda econômica para um setor avícola de uma região, ou país, pode ser muito grave.

Por isso, é preciso voltar a extremar as sempre vigentes medidas de biosseguridade estabelecidas nas granjas avícolas e vigiar muitíssimo as documentações sanitárias dos comércios de aves, com os transportes de animais vindos dos países afetados.

Controlar o estado imunitário das aves para a Doença de Newcastle é uma norma que sempre deve ser considerada, porém, nesses momentos é preciso que se realize a revisão com o objetivo de localizar os possíveis lotes com baixa imunidade e, portanto, mais suscetíveis à infecção dos paramixovírus responsáveis pela enfermidade.

Definitivamente, sempre se deve estar em guarda ante a possível entrada de um agente infeccioso em nossas granjas avícolas, porém quando os vizinhos próximos começam a colocar as barbas de molho, convém colocar as nossas em um bom rescaldo e para isso as chaves são BIOSSEGURIDADE e IMUNIZAÇÃO.




MERCADO +

DataProdutoValor
03/08/2020 Congelado +
(kg)
R$ 4,93
03/08/2020 Resfriado +
(kg)
R$ 4,84

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
27 - 31/07/2020 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 83,91
R$ 104,32

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Junho 2020

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


aviagen
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies