24 Maio 2019

O setor avícola e os desafios para alimentar o mundo em 2050

alimentar o mundo conferência facta


AUTOR(ES)

Priscila Beck

Diamond V

Nos dias 15 e 16 de maio o tema foi pauta central da Conferência FACTA, cuja tradição de 30 anos é antecipar o debate de temas desafiadores para o setor  avícola.

Desde que a ONU (Organização das Nações Unidas) anunciou que a população mundial deverá chegar a 9,8 bilhões de pessoas em 2050, o mundo vem discutindo sobre o desafio de alimentar tanta gente. Segundo levantamento da FAO (Food and Agriculture Organization), a produção de alimentos precisará aumentar 70% para poder suprir a demanda desse crescimento populacional, que será maior nos países em desenvolvimento, com uma concentração de 70% da população em área urbana e níveis de renda maiores do que os atuais.

alimentar o mundo Conferência FACTA desafios do setor avícola

Em pouco tempo a Índia se tornará o Estado mais populoso do mundo, superando a China, e a Nigéria poderá desbancar os Estados Unidos do terceiro lugar em 2050.

Desde então, a atenção de inúmeros setores produtores de alimentos está voltada para essa projeção, inclusive a da indústria avícola. Nos últimos dias 15 e 16 de maio, inclusive, o tema foi pauta central da última edição da Conferência FACTA (Fundação APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas), cuja tradição de 30 anos é antecipar o debate de temas desafiadores para o setor avícola.

Está gostando desse conteúdo? Cadastre-se para receber nossa newsletter semanal!

alimentar o mundo conferência facta jan henriksen desafios do setor avícola

Jan Henriksen, CEO da Aviagen, falou sobre os desafios do setor avícola para alimentar o mundo

Jan Henriksen, CEO da Aviagen, foi o responsável pela palestra magna da Conferência Facta, quando destacou que entre os desafios do setor avícola para atender a essa demanda estão: a falta de terras agricultáveis, o aumento das barreiras comerciais, a necessidade de adaptação do setor às disrupções e ampliação de investimentos em biossegurança.

Eficiência produtiva

Segundo ele, a carne de frango é saudável, nutritiva, tem preço acessível e apresenta uma das menores pegadas de carbono entre as proteínas animais produzidas em grande escala. Porém, ainda há muitos desafios a serem superados.

Está gostando desse conteúdo? Cadastre-se para receber nossa newsletter semanal!

Henriksen destacou a necessidade de aumentar a eficiência na produção devido à redução de áreas agricultáveis para produzir grãos, não só para a alimentação humana, mas para a produção de ração animal e combustível. “Todas as empresas de genética do mundo estão melhorando em 2 a 3% a taxa de conversão, a sobrevida das aves é melhor e isso tem nos permitido preservar milhares de hectares de terra“, observou.

Desafios Comerciais

As barreiras comerciais foram o segundo ponto destacado pelo CEO, que exaltou recentes medidas de grandes potências mundiais como Estados Unidos e China.”Precisamos criar uma compartimentalização para podermos negociar país a país“, observou Henriksen. “Mas isso demanda muito tempo, dinheiro e a nossa capacidade de negociar com todos“, completou.

As disrupções como produção de carne de laboratório e hamburguer vegetariano, entre outras tendências, também foi levantada por Henriksen. “Acho que isso não é um problema, mas temos que trabalhar com todas as tecnologias para saber como nos adaptarmos a essas tendências”, destacou. “Os jovens nos pressionam pelo bem-estar animal, nós estamos selecionando ‘aves felizes’ e essa é a nossa vantagem em relação à carne de laboratório”, completou.

Ao mesmo tempo, o CEO destacou que a produção de aves de crescimento lento não é capaz de atender à demanda mundial por proteína animal, devido à quantidade de carne que é consumida no mundo hoje. Segundo ele, trata-se de um tipo de produção que reduz em cerca de 25% a capacidade de alojamento num lote de 30 mil aves, gerando ainda um custo adicional de até US$ 30 milhões em ração.

Biossegurança

Como ponto primordial de atenção do setor, Henriksen destacou a biossegurança. Ele chamou a atenção para os ocorrências de Influenza Aviária, mas destacou o problema da PSA (Peste Suína Africana), que afeta principalmente a China, e a Salmonella.

A indústria americana está em pânico porque tem Salmonellla em 90% da sua produção“, destacou Henriksen. “Se não levarmos isto a sério, vamos prejudicar nossa relação com a geração mais nova, que está muito mais atenta ao nosso sistema de produção“, completou.

Sobre a PSA, o CEO lembrou o anúncio do governo chinês de eliminação de 22% da população suína do país, o  que representa entre 400 e 450 milhões de cabeças de animais. No  mundo existem cerca de 800 milhões de cabeças de suínos.

“Se isso estiver correto, não haverá carne suína e nem carne suficiente para preencher essa lacuna e, em alguns meses, isso vai ser uma loucura”, completou Henriksen. “Eu acho que o Brasil tem um futuro brilhante nos próximos anos porque vocês verão muitos chineses vindo comprar (carne) e não haverá produção suficiente para atendê-los”, completou.

Desmistificar

Por fim, o CEO da Aviagen destacou  a importância do setor desfazer preconceitos históricos relacionados à produção da carne de frango. Ele apresentou pesquisas que apontam que 72% das pessoas acreditam na utilização de esteroides e hormônios na produção de frangos e 70% acham que existem frangos transgênicos.

Deveríamos estar abertos e mostrar como lidamos com o bem-estar animal e tratamos tudo com muito respeito“, alertou. “Quem não quiser fazer da maneira correta tem que cair fora, precisamos retirar as pessoas que não querem trabalhar direito e consertar tudo isso, ou vamos perder clientes sob o meu ponto de vista“, completou.

Concluindo, Jan Henriksen, falou sobre a importância de o setor atrair novos talentos. “Precisamos dos melhores talentos do mundo todo para nos ajudar a encontrar as soluções, caso contrário, não poderemos alimentar as pessoas em 2050“, alertou. “Temos que dar a eles a liberdade de pensar ‘fora da caixa’ sobre como podemos resolver esse problemas“, concluiu.

A  Conferência

A Conferência FACTA WPSA-Brasil 2019 marcou os 30 anos da criação da FACTA. O evento reuniu profissionais e acadêmicos que acompanharam uma rica programação construída em torno do desafio do setor avícola na tarefa de alimentar o mundo até 2050, como novidades em automação, redução do uso de antibióticos e controle da Salmonella.

alimentar o mundo conferência facta desafios do setor avícola

Irenilza Naas, presidente da FACTA, ao lado de Mario Penz, Diretor Global para Contas Estratégicas da Cargill Animal Nutrition

Segundo Irenilza de Alencar Nääs, presidente da FACTA, a avicultura é uma das áreas em ciência e tecnologia que está realmente colhendo o que plantou nos últimos 30 anos, já que o Brasil figura como um dos maiores produtores e o maior exportador mundial de carne de frango, considerada uma proteína animal de alta qualidade.

“Temos grupos de pesquisa nacionais que estão sempre interagindo com o segmento e focados em solucionar, e até se antecipar, a problemas que eventualmente se apresentem nos setores da cadeia de produção”, destacou. “O que nós buscamos na Conferência é justamente manter os profissionais atualizados, incentivar a pesquisa, sempre buscando temas de ponta e prospectando o futuro para nos mantermos atualizados”, finalizou.




MERCADO +

DataProdutoValor
07/08/2020 Congelado +
(kg)
R$ 4,94
07/08/2020 Resfriado +
(kg)
R$ 4,94

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
27 - 31/07/2020 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 83,91
R$ 104,32

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Junho 2020

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


aviagen
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies