01 set 2017

O crescimento do setor avícola colombiano é pilar do agro

Crecimiento de la Industria avícola es un pilar del agro colombiano setor avícola colombiano


AUTOR(ES)

María de los Angeles Gutiérrez

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

O setor avícola colombiano está atravessando um excelente momento, contando com o interesse de investidores estrangeiros que estão se somando ao crescimento e desenvolvimento sustentado do setor. Segundo o Departamento Administrativo Nacional de Estatística (DANE), a produção do setor avícola para 2017 superará $17,5 bilhões e o setor gera mais de 400.000 empregos diretos.

A avicultura tem sido o principal impulso para o desenvolvimento econômico do agro. O setor tem apresentado crescimento sustentável e constante nos últimos anos, o que lhe tem permitindo consolidar-se como uma variável determinante no crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do setor agropecuário colombiano.

Isso ficou claro após a recente aquisição da Pollos El Bucanero pela Cargill. Existem rumores – Diario – sobre a compra dos ativos da Campollo por parte da mesma organização.

A empresa norte-americana Cargill amplia seus negócios da proteína na América Latina com a compra da Pollos El Bucanero, um dos principais produtores de frango e carnes processadas da Colômbia.

Uma das avícolas colombianas mais tradicionais é a El Bucanero; proprietária de dez granjas de produção, uma planta incubadora e 200 granjas de produtores integrados, com operação no sul oeste da Colômbia, enquanto a Campollo se faz presente no nordeste e Costa Atlântica do país.

Desde o final do ano passado, a Campollo se encontra em processo de reorganização empresarial. A empresa é integrada verticalmente com incubação, produção, processamento e distribuição, e tem dois complexos industriais: um em Santander e outro em Arjona (Bolívar), Colômbia – Dinero.

A empresa avícola possui 1.200 credores, $239 bilhões em dívidas para serem canceladas em um prazo aproximado de 16 anos, capacidade produtiva para abater até 9 milhões de aves mensalmente, somado a um conjunto de ativos totais aproximados a $500 bilhões. Os números demonstram a dimensão da Campollo e sua importância para o setor agroindustrial e para as comunidades sobre as quais tem incidência.

A entrada da Cargill presume investimentos aproximados de US$500 milhões e, segundo Andrés Valencia, presidente da Federação Nacional de Avicultores (Fenavi), é um ponto de interrupção no setor.

De acordo com o gerente da Avícola del Magdalena (Avima), Edgar Ramírez, a chegada destes recursos externos obriga os empresários locais a serem mais eficientes, considera, pois apesar de a concorrência sempre ter sido grande, a chegada do capital estrangeiro motiva maiores níveis de produção e concorrência.

Diante da crescente demanda, a indústria trabalha na ampliação de sua capacidade produtiva, realizando investimentos e alianças para o desenvolvimento de projetos de maior envergadura.

Uma delas é entre a Pollo Andino e Savicol, que fundaram a Avima. Há menos de 15 dias a empresa colocou em operação uma planta de processamento em Cumaral, Meta, com um investimento de US$16 milhões.

A Avima poderá abater cerca de 9.000 frangos por hora, ou seja, cerca de 70.000 por dia em um turno de 8 horas. No momento está iniciando o processo produtivo e espera, em agosto, sacrificar cerca de 40.000 aves pro dia. A empresa espera gerar cerca de 400 empregos diretos na região.

No Caribe também foi fundada a planta El Guamito, para fabricação de alimento concentrado e produção de ovos em um ambiente totalmente tecnificado e controlado. Nesta instalação estão sendo produzidos 800.000 ovos por dia e, em quatro anos, calcula-se duplicar esse número.

Na região sul oeste, a empresa avícola colombiana Incubadora Santander do setor de postura, na região do departamento de Cauca, tem feito investimentos acima de US$40 milhões em novos projetos produtivos, que consistem em quatro plantas modernas.

O setor de postura colombiano inova em tecnologia automatizada em granja, pasteurização de ovos, processamento de frangos e biodigestor ultramoderno. “Marco no setor de postura, com a Incubadora Santander na Colombia” aviNews.

Sem dúvida, isso é excelente para o setor avícola colombiano, que poderá ser fortalecido e ter mais recursos para continuar com seu processo de crescimento.

O setor avícola é um dos poucos setores da economia que se dá ao luxo de mostrar crescimento. Nos seis primeiros meses do ano, a produção de frango e ovos foi de 1.158.496 toneladas, 53.729 a mais que no mesmo período de 2016, quando foi de 1.104.768. Isso representa um aumento na produção avícola setorial de 4,9%, mesmo resultado obtido durante o primeiro semestre de 2016. As estatísticas da FENAVI indicam que, de janeiro a junho, a produção de frango chegou a 758.310 toneladas e a de ovo 400.189 toneladas, representadas em 6.669 milhões de unidades. 

O diretor da Federação Nacional de Avicultores da Colômbia (FENAVI), Andrés Valencia, destaca que o setor prevê fechar o ano com mais de 1,5 milhões de toneladas, considerando que a segunda parte do período deve ser de maior estabilidade em relação ao consumo, pois se aproximam as festas de fim de ano e a indústria realiza o Festival do Frango no meio do mês.

Os resultados têm sido positivos apesar de fatores adversos como a carga tributária, particularmente a alta do IVA; o aumento do desemprego, a queda na confiança do consumidor, aumento da inflação e taxas de juros que ainda não refletem uma política monetária expansiva.

 

Na Colômbia o consumo per capta de carne de frango supera a carne bovina e suína juntas. Hoje o consumo de carne de frango é de 32 quilos; a carne bovina se situa aproximadamente em 18 quilos, enquanto a carne suína chega a 8 quilos.

O representante da FENAVI foi consultado por diversos meios de comunicação sobre os reflexos da apresentação de alguns focos de febre aftosa detectados no país no aumento do consumo de produtos avícolas. Para Valencia, independentemente da febre aftosa detectada no país, na Colômbia sempre se consumiu mais frango. No entanto, ainda que a carne bovina bem cozida não represente perigo para o consumidor, ele não descarta a possibilidade de as pessoas sentirem certo temor de consumí-la, o que se traduziria na possibilidade de um crescimento na demanda de outros tipos de produtos como o frango e os ovos.

No entanto, de acordo com a FENAVI, o frango continua se consolidando como a carne mais consumida pelas famílias colombianas, de modo que a produção avícola aumentou 4,9% no primeiro semestre deste ano.




MERCADO +

DataProdutoValor
22/01/2021 Congelado +
(kg)
R$ 5,99
22/01/2021 Resfriado +
(kg)
R$ 6,15

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
11-15/01/2021 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 94,62
R$ 110,24

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil setembro 2020

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


Logo Ceva
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies