31 out 2020

Controle da água na produção de aves e suínos



Diamond V

Um dos recursos naturais mais importantes do mundo e essencial para o agronegócio, a água mostrou ainda mais seu valor este ano para os produtores do Paraná. De acordo com a Agência de Notícias do Paraná, o Estado vive a pior estiagem desde que o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar) começou a monitorar as condições do tempo, em 1997. Por isso, mais do que nunca é imprescindível e urgente manter a atividade de produção animal de forma sustentável.

Mesmo sendo um dos recursos mais importantes para a produção de aves e suínos, a água muitas vezes não recebe a importância que deveria na produção. De acordo com a Sanex Veterinária (Curitiba/PR), a falta de informação e conhecimento sobre o consumo da água na cadeia produtiva e de como poder otimizar seu uso é um dos motivos da falta de atenção com a gestão da água na produção animal. Aliado a isso está a ausência no manejo hídrico no Brasil. O consumo de água, a qualidade e quantidade utilizadas muitas vezes não são mensuradas e a falta desse cuidado pode desencadear problemas de desempenho animal e desperdício deste importante recurso.

Como gerenciar a água na minha produção?

O primeiro passo para uma produção sustentável é a aplicação de controle na demanda da água, ou seja, fazer uma estimativa da quantidade de água utilizada diariamente na granja. Esse conhecimento pode ser obtido com as leituras registradas por meio de hidrômetros que podem estar locados nas saídas de reservatórios que abastecem as granjas, a fim de monitorar o consumo no sistema de produção e dos animais. Este monitoramento deve ocorrer com uma frequência mínima de uma vez por semana, podendo ser diário, o que facilitará a identificação de qualquer alteração no consumo pelos animais. O monitoramento da água consumida é um indicador de desempenho e saúde dos animais, além de poder calcular o custo da água na propriedade.

Calcular o consumo na produção

Na suinocultura para calcular o consumo de água leva-se em consideração as diferenças entre machos reprodutores, matrizes e leitões. Para esses cálculos leva-se em consideração o consumo de ração em cada fase.

Para os frangos, estima-se que consumam a quantidade de água 2 a 3 vezes mais comparada com o consumo de ração.

 


Reuso correto e custos reduzidos

Um dos maiores problemas relacionados a água na produção animal é, sem dúvida, o desperdício. Nem sempre o aumento do consumo de água em uma granja está relacionado a maior ingestão dessa pelo animal, muitas vezes observa-se desperdício desse recurso nas propriedades por causa do manejo, tubulações, tipo de bebedouro etc.

Em diversas regiões do mundo, a disponibilidade de água é o grande limitante para a produção de aves e suínos. Em algumas áreas esse recurso está presente, porém com uma qualidade que limita a produção. Assim, mesmo se a água estiver disponível, se não houver a consciência da importância da manutenção de sua qualidade, de nada adianta.

Um cuidado que se deve ter é em relação a vazão dos equipamentos para oferta de água aos animais, que muitas vezes podem estar acima do considerado ideal, o que pode influenciar no desempenho animal, pode causar desperdícios e até desestímulo a ingestão de ração pelos animais.

O reuso da água na limpeza das instalações é uma alternativa cada vez mais utilizada nas granjas brasileiras. É um processo que permite reaproveitar parte da água que seria eliminada pelo processo final de tratamento dos dejetos. A forma de utilizar a água seria apenas para a limpeza das instalações do próprio sistema de escoamento de dejetos da granja e nunca para consumo dos animais.

 

Gerenciamento hídrico, reuso e redução de custos

  • Realizar o gerenciamento hídrico nas granjas pode reduzir uso da água em até 50%;
  • A prática de reuso da água economiza-se até 20% do volume de água utilizada na unidade de produção;
  • De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU) o setor agropecuário utiliza 70% dos recursos hídricos disponíveis no mundo, portanto, o reuso da água é uma alternativa para melhorar a utilização da água na produção animal, reduzir a captação da água de fontes naturais e o gasto com energia elétrica.

Atenção: A água de reuso não deve ser fornecida para consumo dos animais (Confira também texto sobre “Saúde animal e água (potável)”)

 

 

Sanex Controle da água

 

Captação da água da chuva

Uma alternativa sustentável é a captação da água da chuva para a otimização do recurso hídrico. A prática recomendável é a utilização de sistemas para coleta de água por meio da captação via telhado da água da chuva e escoamento da água por meio de calhas, passando por filtros antes da armazenagem em cisternas. O uso de cisterna em uma propriedade rural pode promover a segurança hídrica e contribui para a viabilidade econômica da atividade.

Também podem ser adotadas medidas como a instalação de um sistema de reaproveitamento das águas pluviais. O reaproveitamento compreende a coleta, filtragem, tratamento e armazenamento das águas das chuvas que podem ser usadas para lavação das instalações.

A utilização de água de chuva reduz o custo de fornecimento da água potável, evita a utilização de água potável onde não é necessário, a água captada da chuva possui qualidade aceitável, principalmente se for captada nos telhados, porém, só deve ser utilizada após filtragem e tratamento com cloro.

Tipo de bebedouro

tipo de bebedouro que será fornecida a água para os animais também pode ser uma ferramenta para melhor utilização consciente da água, tendo em vista que existem bebedouros que desperdiçam mais água do que outros. Por exemplo, bebedouro do tipo chupeta fornece água conforme a demanda do animal, estando sempre disponível e não necessita da interferência de colaboradores.

Já bebedouros de nível são geralmente abastecidos duas vezes ao dia e necessitam de um colaborador para realizar a manobra manual no registro e, muitas vezes por descuido, o registro pode ficar aberto em demasia o que pode causar o transbordamento do cocho e a assim o desperdício de água. Porém, com a substituição dos bebedouros do tipo chupeta, pode ser observado redução no consumo de água pelos animais.

Outros aspectos a serem levados em consideração para melhor aproveitamento da água é verificar a conservação dos equipamentos, bebedouros sem furos e rachaduras evitando que a água infiltre e seja desperdiçada. Melhorar o manejo hídrico com uso de caixas d’agua independentes para cada instalação, uso de hidrômetros e monitoramento contínuo.

Excesso de água não limpa

Manter um ambiente limpo, visando os aspectos sanitários é essencial na produção animal. Em todas as fases, manter a higiene das instalações é imprescindível. O acompanhamento e orientação técnica são fundamentais, já que os processos de limpeza e desinfecção são mais complexos do que aparentam.

Em muitas granjas utiliza-se somente água nos processos de limpeza, desinfecção e vazio sanitário, sendo uma prática inadequada e compromete a higienização correta das instalações e equipamentos. O excesso de água nesses processos é um problema do ponto de vista sanitário, a quantidade de água deve ser utilizada na quantidade correta de acordo com as especificações presentes nos produtos desinfetantes. A utilização excessiva da água traz consequências negativas, pois aumenta a quantidade de resíduos (água residuária) e a dispersão da matéria orgânica nos efluentes.

Isso pode comprometer a saúde dos animais, favorecendo a proliferação de microrganismos e, por consequência, deixa a carne sujeita a contaminação.

A higienização sustentável visa não agredir e degradar o meio ambiente. O manejo correto da água e a utilização de ferramentas de suplementação via água são um dos principais vetores de otimização da saúde e desempenho dos animais.

Informações: Equipe de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Sanex Veterinária (Curitiba/PR)

Diamond V


NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Julho 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies