13 jan 2021

Cobb-Vantress defende importância do manejo de matrizes nas primeiras 22 semanas

get_the_title



Toda grande agroindústria tem em sua estrutura avícola a criação de fêmeas que vão gerar os pintinhos para povoar as granjas. O processo é meticuloso, exige qualificação constante da equipe de colaboradores e, caso encontre desafios em qualquer uma das 22 semanas, até o início da postura, não há como reparar os efeitos negativos que vão ocorrer até as 65 semanas, quando encerra o ciclo produtivo dessa ave. “É como uma corrida de cem metros rasos. Não posso errar em nenhum momento”. A analogia da produção de matrizes com a prova mais rápida e técnica do atletismo é do médico veterinário e gerente Regional da Cobb-Vantress em Santa Catarina, Cristiano Emanuelli Pereira.

 

Em webinar sobre manejo de fêmeas, ele defende três principais pontos de atenção durante a recria até as 22 semanas. “É importante saber que a recria tem três fases distintas e que não podemos falhar em nenhuma delas. Se chego ao final da primeira fase sem conseguir alcançar meus objetivos, não vou conseguir compensar as perdas nas fases seguintes”, pontua o profissional, que é mestre em medicina veterinária. Na fase inicial temos que ter atenção especial à formação esquelética da ave. Nessa fase, como em todas as outras, buscamos a maior uniformidade possível. Na segunda fase é importante controlar a conformação de peito para não ter muito depósito de músculo nessa área. Já a fase três é a partir das 12 semanas, quando começa a maturidade sexual para transformar essa ave em uma reprodutora de alto desempenho”, destaca Pereira.

 

De acordo com ele, para alcançar esses objetivos, “é preciso seguir a curva de peso padrão da genética nos diferentes pontos da fase de recria, observar o peso padrão da linhagem nas diferentes fases e atender os objetivos individuais das aves, buscando conformação de peito e gordura da ave”. Além das seleções das melhores aves feitas ao longo das 22 semanas para alcançar alta uniformidade e padrão de excelência, Pereira lembrou outras ações indispensáveis, como o fornecimento de níveis adequados de energia e proteína, um bom programa de arraçoamento apropriado com a genética.

 

CobbMais tecnificada
O especialista lembrou que a recria é a área mais tecnificada de toda a cadeia da avicultura e que a qualificação dos profissionais envolvidos deve ser constante. “São vários detalhes da produção de matrizes. Sabemos o desafio que é, mas a área de matrizes é a mais tecnificada da avicultura, onde se emprega mais conhecimento técnico para ser aplicado. A mão de obra para a atividade está escassa, por isso as agroindústrias precisam estar atentas à reciclagem de suas equipes”, destaca Cristiano Pereira em webinar promovido pela Fundação Apinco de Ciência e Tecnologia Avícolas (Facta).

 

 

Sobre a Cobb-Vantress
A Cobb-Vantress é a empresa produtora de aves de corte de pedigree mais longeva do planeta. Com sede nos Estados Unidos, fornece genética de ponta, saudável, de qualidade e acessível para todo o mundo, com presença em mais de 120 países. A Cobb-Vantress é uma empresa global, que utiliza pesquisas e tecnologias inovadoras para alcançar o que há de melhor na indústria avícola global. Para mais informações, acesse a nossa página www.cobb-vantress.com, ou as nossas redes sociais na América do Sul, como Facebook (www.facebook.com.br/cobbamericadosul), LinkedIn (www.linkedin.com/company/cobbamericadosul/) ou Instagram (www.instagram.com/cobbamericadosul).

Fonte : Agronotícia



NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Julho 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies