15 fev 2019

China mantém tarifas sobre frango brasileiro

China mantiene tarifas sobre el pollo brasileño


AUTOR(ES)

Priscila Beck

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

O Ministério do Comércio da China confirmou, nesta sexta-feira (15/2), a manutenção de medidas antidumping sobre a importação de frango brasileiro. As autoridades asiáticas anunciaram que os importadores do frango brasileiro deverão voltar a pagar tarifas de 17,8% a 32,4% a partir do próximo domingo (17/2) medida que deve se estender por cinco anos.

“É importante esclarecer que, embora o governo chinês tenha divulgado a imposição de tarifas de direito antidumping, elas estão suspensas devido à celebração de um acordo de PU (Price Undertaking), firmado entre empresas do setor e as autoridades chinesas para a aplicação de direitos antidumping”, informa a ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) em nota enviada à imprensa.

O referido acordo abrange: JBS, BRF, Copacol, Consolata, Aurora Alimentos, Bello Alimentos, Lar, Coopavel, São Salvador Alimentos, Rivelli Alimentos, Gonçalves e Tortola, Copagril e Kraefer.

Segundo a ABPA, a conclusão do PU não significa que o setor exportador de carne de frango do Brasil concorde com a determinação final do processo. “Conforme a ABPA tem defendido desde o início da investigação, não houve praticas de dumping e não há qualquer nexo causal entre as exportações de produtos avícolas do Brasil e eventuais situações mercadológicas locais“, manifesta a entidade.

“Ao mesmo tempo, a  ABPA e o Governo Brasileiro identificaram diversas violações no acordo internacional antidumping pela autoridade chinesa na análise de dano e nexo causal ao longo do processo”, afirma a ABPA em nota. “O Conselho Diretivo da ABPA analisará a decisão chinesa e submeterá suas considerações ao Governo Brasileiro para a decisão sobre futuras ações”, conclui.

Uma determinação preliminar em junho do ano passado colocou impostos entre 18,8% e 38,4% sobre todas as importações chinesas de frangos de corte brasileiros. A decisão veio depois que os preços chineses da carne de frango atingiram níveis recordes de 11,2 iuanes (US$ 1,65) por kg no final do ano passado.

A China baniu as importações de aves reprodutoras de muitos fornecedores importantes por causa de surtos de influenza aviária, prejudicando a produção doméstica.

Apesar dos resultados preliminares da investigação antidumping, em 2018 as exportações brasileiras de carne de frango para a China cresceram 10% comparado a 2017. De qualquer maneira, a concorrência à carne de frango brasileira está aumentando desde o ano passado, quando a China abriu seu mercado para as importações da Rússia e suspendeu uma proibição de anos à Tailândia.

O Brasil exporta principalmente pés, pernas e asas de frango para a China.

Esse conteúdo foi útil para você? Cadastre-se para receber nossa newsletter semanal!

Com informações do Terra e da Assessoria de Imprensa da ABPA




MERCADO +

DataProdutoValor
22/01/2021 Congelado +
(kg)
R$ 5,99
22/01/2021 Resfriado +
(kg)
R$ 6,15

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
11-15/01/2021 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 94,62
R$ 110,24

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil setembro 2020

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


Logo Ceva
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies