22 abr 2019

Frango vivo está 55% mais caro que em abril de 2018, segundo Cepea

En Brasil, pollo vivo está 55% más caro que en abril del año pasado


Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

Na comparação anual, as cotações de frango vivo são atualmente 55% maiores do que em abril de 2018, em termos nominais. A avaliação consta da análise de mercado divulgada pelo Cepea (Centro de Estudos  Avançados em Economia Aplicada – Esalq/USP).

Segundo o levantamento, os aumentos de preço, observados em todos os elos da cadeia avícola (pintos de um dia, frango vivo, frango abatido e carne de frango), estiveram ligados tanto ao aumento da demanda por carne de frango, quanto à menor produção.

De março a abril, os preços do frango vivo aumentaram 7% em SP, com média de 3,36 reais por quilo neste mês (até 15 de abril). Essa média de preço também é a mais alta, em termos nominais, em toda a série do Cepea, iniciada em março de 2004.

Está gostando desse conteúdo? Cadastre-se para receber nossa newsletter semanal!

Ainda segundo a análise do Cepea, o forte aumento de preço do frango vivo e a desvalorização dos principais insumos utilizados na alimentação animal favoreceram o poder de compra dos avicultores paulistas na primeira quinzena de abril, principalmente contra o milho.

Exportações

Em março, pelo segundo mês consecutivo, a China foi o principal destino da carne de frango brasileira, seguida pela Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e Japão. Ao todo, esses países compraram 45% de todo o frango exportado no mês passado.

Segundo os colaboradores do Cepea, mesmo os frigoríficos que não são certificados para exportar para o mercado chinês foram favorecidos por esse cenário, uma vez que as fortes exportações diminuem a oferta de frangos no mercado brasileiro, elevando as cotações.

Segundo dados da Secex, a China comprou 41,7 mil toneladas de carne de frango em março, alta de 7,5% em relação a fevereiro e maior volume desde julho / 18. O ritmo acelerado das exportações para a China pode estar ligado à menor oferta de suínos naquela região, devido a surtos de peste suína africana (ASF – sigla em inglês).

A Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos também aumentaram os volumes comprados do Brasil em março. A Arábia Saudita importou 38,3 mil toneladas de carne de frango no mês passado, um aumento de 6,7% em relação a fevereiro, mas queda de 9,3% em relação a março de 18. Os Emirados Árabes Unidos, por sua vez, importaram 36,5 mil toneladas do produto, 18% a mais que em fevereiro e 23% a mais que em março / 18, segundo a Secex.

Por último, o Japão, que reduziu drasticamente as importações em janeiro, vem aumentando as compras desde então. Em março, as exportações brasileiras de frango para o Japão totalizaram 35,7 mil toneladas, alta de 12,4% em relação a fevereiro, mas queda de 5,4% em relação a março / 18.

Considerando todos os destinos, o Brasil exportou 340,5 mil toneladas de carne de frango em março, recebendo US $ 564,8 milhões, um aumento de 7% em relação a fevereiro. Comparado ao mesmo período do ano passado, no entanto, o volume expedido em março / 19 foi 10% menor e a receita 4% menor.

Fonte: Brazilian Agribusiness News (Cepea)

Diamond V


NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Abril 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies