04 jan 2021

ICMS: Carnes podem ter alta de 8,9% nos preços em SP

ICMS


AUTOR(ES)

Priscila Beck

Os preços das carnes poderão sofrer uma alta de 8,9% no estado de São Paulo, segundo manifesto assinado pela ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) e ABIEC (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes). As entidades repudiam a Lei 17.293, de autoria do governador João Dória, promulgada em 16/10/2020.

Junto com alterações promovidas nos decretos 65.253 a 65.255, a Lei modifica regras para a cobrança de ICMS(Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Entre 2021 e 2023, as vendas dentro do Estado sujeitas a alíquotas de 7% serão majoradas para 9,4%,alta de 34,28%. Já as comercializações com taxas de 12% passarão para 13,3%,aumento de 10,83%.

ICMS

No agronegócio, muitas operações até então isentas serão tributadas em 4,14%. Também houve elevação da carga de ICMS nas operações de vendas interestaduais para insumos agropecuários, que já começaram no dia 1º. A cobrança sobre produtos, como hortifrutigranjeiros, começará no dia 15.

“Isso vai impactar toda a sociedade paulista, em um momento tão desafiador, marcado por desemprego, pandemia, fim do auxílio emergencial, inflação em alta etc.”, manifestam ABPA e ABIEC. “Mas o governo paulista está irredutível em sua decisão, que vai transferir para a população e para o setor produtivo o rombo nas costas públicas que o próprio governo causou”, completa.

Segundo estudo do FGV Agro (Centro de Agronegócios da Fundação Getúlio Vargas), divulgados pelo Valor Econômico, as alterações poderão refletir em perda de consumo de até R$ 21,4 bilhões em bens e serviços e redução de quase R$ 7 bilhões no PIB (Produto Interno Bruto) da região Sudeste em 2021 – R$ 4 bilhões só no estado de SP.

Aumentos previstos

Algumas empresas de consultoria contábil também divulgaram previsões de aumentos nos preços de aves/produtos do abate em frigorífico paulista (25 %), ave, coelho ou gado bovino, suíno, caprino ou ovino em pé e produto comestível resultante do seu abate, em estado natural, resfriado ou congelado e farinha de trigo, bem como mistura pré-preparada de farinha de trigo (10,83%), ovo integral pasteurizado, ovo integral pasteurizado desidratado, clara pasteurizada desidratada ou resfriada e gema pasteurizada desidratada ou resfriada (34,29%).

Além do exemplo da majoração sobre o preço da carne, o Manifesto assinado pela ABPA e ABIEC também apresenta os aumentos de preços sobre o leite longa vida (8,4%), medicamentos para Aids e Câncer na rede privada (14%), cadeira de rodas, próteses e equipamentos para pessoas com deficiência (5%), têxteis, couros e calçados (7,3%) e energia elétrica para estabelecimento rural (13,6%).

Segundo ABPA e ABIEC, os aumentos apontados podem ser “muito piores”, considerando que as previsões apontadas não consideram o aumento da inflação, que em 2020 vai fechar acima de 4%.

“Os principais prejudicados serão as famílias mais pobres, porque o preço da cesta básica vai subir, assim como os pequenos empresários, optantes pelo Simples, que verão seus custos se elevarem muito”, aponta o Manifesto. “Grandes indústrias também podem optar por transferir seus investimentos para outros estados, o que vai prejudicar a geração de emprego e renda em São Paulo”, completa.

A Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) divulgou nota informando que recorreu à Justiça contra a decisão do governo do estado de São Paulo de subir as alíquotas do ICMS. A entidade salienta que, em vários casos, o aumento de tributação é maior para as micro e pequenas empresas optantes do Simples Nacional, como distribuidores de carne, lâmpadas, pneus e câmaras de ar e calçados.

A majoração está prevista para vigorar até 15 de janeiro de 2023, segundo os decretos.

Fonte: ABPA, Valor Econômico, Fiesp



NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Abril 2021

ARTIGOS DA REVISTA

img13

Por Felipe Lino Kroetz Neto

View more


 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies