23 jan 2019

BRF de Lajeado foi uma das cinco plantas desabilitadas pela Arábia Saudita

BRF Lajeado (RS) descredenciada exportar carne de frango a Arábia Saudita


AUTOR(ES)

Priscila Beck

Diamond V

A planta da BRF de Lajeado (RS) foi uma das cinco plantas frigoríficas exportadoras de carne de frango desabilitadas pelo serviço sanitário da Arábia Saudita. Segundo comunicado enviado pela BRF S.A aos seus acionistas e ao mercado em geral, a companhia passou a ter oito dentre as vinte e cinco plantas habilitadas para exportação de carne de frango para a Arábia Saudita.

Na nova lista de 25 plantas frigoríficas de carne de frango habilitadas a exportar para a Arábia Saudita,  também não está incluída a planta da BRF de Jataí (GO), porém, essa é uma das 28 plantas que, apesar de credenciadas, não exportava para o país árabe. Segundo a BRF, suas “oito plantas habilitadas possuem capacidade suficiente de atendimento da demanda daquele mercado“.

A unidade da BRF de Lajeado vinha operando, segundo o comunicado da empresa, com um volume de aproximadamente 6,5 mil toneladas/mês de exportação para a Arábia Saudita.

“A Companhia já iniciou os ajustes necessários em sua cadeia produtiva e estima que, em no máximo 3 meses, retomará o mesmo patamar de embarques para a Arábia Saudita verificado antes deste comunicado”, salienta a nota. “Assim, a perda de receita líquida não é material, visto que a estimativa de empresa é que poderá atingir no máximo 0,1% da receita líquida auferida nos últimos 12 meses encerrados em setembro de 2018, ou R$45 milhões nesse período de três meses”, completa.

Razões Técnicas

descredenciamento, pela Arábia Saudita, de cinco frigoríficos brasileiros exportadores de carne de frango é reversível, segundo a Câmara de Comércio Árabe-Brasileira. O presidente da Câmara, Rubens Hannun, explicou à aviNews Brasil que os motivos alegados pelo país árabe para o descredenciamento foram técnicos.

Desde a operação Carne Fraca, as inspeções técnicas aos frigoríficos brasileiros têm sido mais frequentes“, explicou Hannun. Segundo ele, no ano passado, o SFDA (Saudi Food & Drug Authority) ficou um mês no Brasil, entre setembro e outubro, visitando centenas de plantas frigoríficas bovinas e de aves. Ele acrescentou que antes dessa visita, o SFDA esteve outras duas vezes no Brasil.

Hannun também contou à aviNews Brasil sobre como foi seu encontro com o vice-presidente Amilton Mourão, em dezembro de 2018. Saiba mais sobre esse encontro clicando aqui.

Gostou dessa matéria? Cadastre-se para receber nossa newsletter semanal!



NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Abril 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies