28 dez 2017

Aurora diz não aceitar poedeiras em gaiolas

Aurora cage free tendências


AUTOR(ES)

Priscila Beck

Diamond V

A Cooperativa Central Aurora Alimentos – terceiro maior grupo brasileiro do setor de alimentos cárneos – reiterou, esta semana, que não aceita poedeiras em gaiolas, nem mantém esse sistema de produção de ovos. Afirmou ainda que recomenda aos fornecedores de massas e outros produtos somente utilizarem ovos provenientes de galinhas livres de gaiolas como matéria-prima.

Para dar efetividade a essa política, a Aurora procedeu a um levantamento de informações junto aos seus parceiros comerciais e constatou que a JBS S.A. é a única empresa fornecedora de produtos que utiliza ovos em sua produção.

A JBS, entretanto, assumiu compromisso anunciado publicamente em seu site e por meio de declaração formal, de acordo com o qual, até 2020, os produtos fornecidos para a Aurora Alimentos serão fabricados com ovos ou derivados provenientes de poedeiras criadas livres de gaiolas (sistema cage free).

O presidente da Aurora, Mário Lanznaster, observa que essa postura é coerente com a missão de valorizar a qualidade de vida no campo e na cidade, produzindo alimentos de excelência, e tornando-se referência como cooperativa fornecedora de alimentos.

“Sabemos que nossos clientes esperam produtos de alto padrão de qualidade e, que nos últimos anos o bem-estar para animais de produção tornou-se um dos temas mais discutidos pela indústria mundial de proteína animal”, afirma.

A empresa afirma em nota que, na esfera da avicultura industrial, o bem-estar das aves é um compromisso. Por isso, a Aurora é incentivadora de vários projetos de pesquisa e geradora de melhores práticas, além de manter produtiva parceria com a respeitada empresa BEA Consultoria.

Ações de bem-estar animal e produção racional – tanto no campo quanto nas unidades industriais – podem ser evidenciadas na Empresa, onde profissionais habilitados desenvolvem ações e projetos nessa esfera. Também, desde 2008, a Cooperativa Central Aurora Alimentos adota e aplica políticas de bem-estar animal nas cadeias produtivas de aves e suínos, tendo sido a primeira empresa brasileira a aderir ao programa de abate humanitário recomendado pelo Ministério da Agricultura.

“Para compreender a complexidade desse compromisso é necessário dimensionar a estrutura de produção da Cooperativa Central Aurora Alimentos, que congrega hoje 13 Cooperativas filiadas, mais de 70 mil famílias rurais e milhares de parceiros comerciais de pequeno, médio e grande portes”, diz a nota.

Lanznaster enfatiza que a Aurora Alimentos segue com rigor o seu Programa de Bem-Estar Animal, buscando proporcionar efeitos positivos na cadeia de produção, destacando-se as melhores práticas de trabalho, tanto no campo, quanto nas plantas industriais.

“Do aperfeiçoamento do manejo e do trato com os animais, emerge uma sinergia e uma facilitação dos trabalhos e dos resultados”, afirma o dirigente. !Obtém-se, também, a minimização das perdas nos processos produtivos, assegurando à sociedade um produto de qualidade ética e sustentável”, completa.

Os princípios seguidos, segundo nota da Aurora Alimentos, foram atualizados através “dos mais conceituados Fóruns mundiais” que tratam do tema, respeitando-se os quatro princípios fundamentais recomendados pelo Welfare Quality: boa alimentação (ausência de fome e sede prolongada); bom alojamento (conforto ao descansar, conforto térmico e facilidade para se movimentar); boa saúde (ausência de lesões, doenças e de dor provocada por manejo inadequado) e comportamento apropriado (expressão do comportamento natural, ausência de medo e estresse e boa relação entre humano e animal).

Com informações da MB Comunicação

Diamond V


NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Julho 2021

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies