26 set 2017

Auditores Fiscais discutem possibilidade de greve

auditores fiscais


AUTOR(ES)

Priscila Beck

Diamond V

O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical) organiza, nesta quarta-feira (27/9), assembleia e ato contra proposta de mudança no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Concomitantemente, a Comissão de Defesa Agropecuária da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) defende, na Câmara dos Deputados, o projeto do Mapa para modernizar o sistema de fiscalização do setor no País.

O foco da mudança, proposta por uma consultoria contratada pelo Ministério após a Operação Carne Fraca, está na Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA), que seria transformada numa autarquia, com orçamento próprio e autonomia financeira e administrativa.

“A apresentação traz percepções direcionadas a um fim preconcebido e preconceituoso contra as atividades desenvolvidas pelos Affas. Chega a dizer que o atual modelo de gestão de defesa agropecuária do Brasil não garante a prevenção e o controle fito e zoo sanitário, o que é um absurdo completo”, critica o presidente do Anffa Sindical, Maurício Porto.

O novo modelo prevê a contratação de médicos veterinários e agrônomos privados para compor parte da estrutura de fiscalização agropecuária estadual e municipal no Brasil. Segundo material divulgado pela Assessoria de Imprensa da FPA, a ideia é que esses profissionais sejam pagos pelos frigoríficos e indústrias de alimentos ou produtos agropecuários, e a equipe seja chefiada sempre por um auditor fiscal do Mapa.

Segundo a FPA, a proposta já foi implementada nos estados de Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso, devendo ser apresentada pelo Mapa até novembro em um projeto de lei ou medida provisória.

Para o deputado federal Evandro Roman (PSD-PR), coordenador da Comissão de Defesa Agropecuária da FPA, um dos principais gargalos é a falta de recursos e, consequentemente, de profissionais no sistema de fiscalização. “O setor de defesa sanitária não tem verba específica assegurada por lei. O resultado disso é a ineficiência e burocracia no setor, além do desestímulo à pesquisa e à inovação de novas tecnologias para proteção das lavouras, por exemplo”, afirma Roman.

Após reclamação dos representantes das carreiras envolvidas na defesa agropecuária, o secretário da SDA, Luiz Eduardo Range, se reuniu na sexta-feira (22/9) com representantes dos sindicatos e servidores para apresentar o resultado do trabalho da consultoria.

Para o presidente do Anffa Sindical, a explicação não foi suficiente. “Em momento algum o secretário se comprometeu em não terceirizar a defesa agropecuária e em realizar concurso público para a recomposição do quadro de servidores que o próprio ministério, em estudos anteriores, apontou ser necessário. Por isso, faremos uma assembleia na frente do ministério para decidir se vamos parar”.

Em relação à resistência por parte dos auditores fiscais agropecuários do Ministério, que alegam perda de funções e fragilidade da carreira, Roman alerta que, no âmbito das convenções internacionais que tratam de defesa agropecuária, já vem se discutindo o formato das atividades que podem ser delegadas a entes privados. “Conceitualmente, é possível envolver responsáveis técnicos e empresas privadas em atividades de defesa agropecuária, resguardadas as competências indelegáveis das autoridades sanitárias”, ressalta o deputado.

A assembleia ocorrerá às 10h, e vai deliberar sobre a paralisação da categoria por tempo determinado, exigir a realização de concurso para todas as profissões que compõem a carreira em número suficiente para repor o quadro e a saída imediata do ministro e do secretário executo do MAPA.

O Anffa Sindical contratou estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), divulgado este mês, que aponta, entre outras coisas, que o trabalho dos auditores fiscais é eficaz e evita a perda de cerca de R$ 71,6 bilhões com insumos ao realizar de maneira adequada o controle de pragas na agricultura e na pecuária brasileira. O próprio ministério tem afirmado que o sistema de defesa agropecuária do país é eficiente.

Outro Lado

Em nota enviada à imprensa, o Mapa informa que o ministro interino, Eumar Novacki, esteve reunido hoje (26/9) com representantes do Anffa Sindical e da Associação Nacional dos Técnicos de Fiscalização Federal Agropecuária (Anteffa). O ministro ouviu reivindicações dos sindicalistas e disse que a direção do ministério está aberta ao diálogo.

“Se não tivermos união interna, não vamos avançar nas mudanças que estamos propondo. E, para se alcançar maior unidade e integração, é necessário que se coloque tudo com muita transparência e abertura”, afirmou Novacki. “Nosso objetivo não é desmantelar o ministério, pelo contrário, fortalecê-lo em um momento em que, pela primeira vez, depois de anos, consegue ter relevância no cenário nacional. Então, nossa ideia é robustecer a instituição e isso passa também pela carreira dos servidores”, ressaltou Novacki.

As mudanças, acrescentou, serão feitas com muita serenidade e só depois de ouvir todos os interessados – servidores do Mapa e setor privado. Os sindicatos trataram ainda do concurso público para a contratação de 300 veterinários, cujo edital foi publicado nesta terça-feira no Diário Oficial.

Com informações da Assessoria de Imprensa do ANFFA



NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Abril 2021

ARTIGOS DA REVISTA

img13

Por Felipe Lino Kroetz Neto

View more


 
 


Consultar outras edições


 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies