11 fev 2019

As conquistas da avicultura em 2018 e os desafios de 2019

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

Neste primeiro número de 2019 da aviNews queremos destacar as conquistas, problemas e soluções observados em 2018 e como podem afetar o novo ano. Em nível global a volatilidade dos mercados internacionais marcou 2018. No Brasil, as situações política, legais, de corrupção no setor cárneo e a greve dos caminhoneiros sacudiram a avicultura do gigante latino-americano. A situação política e social venezuelana continuou se agravando e não tem boas perspectivas para 2019. Por outro lado, alguns mercados avícolas locais observaram crescimentos positivos e reduções em importações de produtos avícolas como no caso do México e Colômbia.

As políticas comerciais do atual governo dos Estados Unidos afetaram os preços e disponibilidade de alimentos para a avicultura latino-americana e espera-se maiores impactos em 2019.

As disputas comerciais entre China e Estados Unidos são uma das maiores preocupações ou causas de incertezas. Soja, sorgo e grãos americanos de destilaria estão mais disponíveis desde que a China restringiu importações com encargos maiores. Porém, produtos avícolas e suinícolas americanos também tiveram menor mercado na China e foram ofertados em outras partes do mundo. A China buscará novos fornecedores, inclusive exportadores de soja da América Latina, o que pode aumentar preços para os avicultores brasileiros e argentinos, além de todos os que dependam desses países como fornecedores de soja.

Os produtores de soja brasileiros só veem boas perspectivas nessa situação e anunciaram, em novembro, que poderiam duplicar a produção na próxima década. O sucesso desses planos dependerá, em grande medida, da forma como o novo governo do Brasil encaminhará as políticas econômica e de desenvolvimento da infraestrutura necessária para os produtores de soja processarem e escoarem o grão, das áreas indicadas como promissoras para o cultivo, até os mercados internacionais. Os atuais desafios da avicultura mundial continuam aumentando na América Latina.

A preocupação com o bem-estar animal aumentou para o setor avícola no Chile, com novas regras estabelecidas pelo governo. Outros países latino-americanos seguirão essa tendência, o que lhes exige mais capacitação e infraestrutura para atender os padrões de bem-estar avícola. As proibições de antibióticos promotores de crescimento e a busca de alternativas também inquietam os avicultores e técnicos.

Em quase todos os países o controle governamental contra a Salmonella aumentou, tanto na planta de abate, como em toda a cadeia produtiva. As normas de impacto ambiental estão se tornando cada vez mais restritivas, ainda que a indústria avícola latino-americana esteja respondendo proativamente e cumprindo com as metas locais para o impacto ambiental. Na América Latina continua a preocupação com as cepas variantes de bronquite infecciosa, alguns focos de Newcastle e a Influenza Aviária que continua sendo um risco mundial.

Em 2019 esses desafios só aumentarão e será necessário enfrentá-los para continuar crescendo




MERCADO +

DataProdutoValor
31/07/2020 Congelado +
(kg)
R$ 4,87
31/07/2020 Resfriado +
(kg)
R$ 4,86

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
20 - 24/07/2020 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 85,11
R$ 105,66

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Junho 2020

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


aviagen
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies