13 jun 2018

Argentina poderá continuar exportando produtos avícolas para o Chile

Argentina novas plantas habilitadas para exportar para o Chile China


AUTOR(ES)

María de los Angeles Gutiérrez

Diamond V

Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

Uma delegação do Serviço Agrícola Pecuário (SAG) do Chile verificou, de 28 de maio a 7 de junho, o sistema de produção de carne de frango fresca da Argentina, aplicado pelo Serviço Nacional de Sanidade e Qualidade Agroalimentar (Senasa), com o objetivo de reabilitar e habilitar novos estabelecimentos frigoríficos avícolas para que exportem seus produtos para esse mercado.

Na sede do Senasa da Argentina aconteceram as reuniões inicial e final, onde os servidores de ambos os organismos realizaram as apresentações e conclusões preliminares da visita oficial. Os encontros foram focados em reabilitar e habilitar novos estabelecimentos frigoríficos avícolas para exportar produtos argentinos para o mercado chileno.

Segundo divulgado pelo Senasa da Argentina, representando o serviço sanitário argentino estiveram presentes a diretora de Segurança de Produtos de Origem Animal, María Luisa Bonhomme, e a coordenadora de Relações Internacionais, María Inés Vica. Os auditores chilenos estiveram acompanhados pelos representantes da Direção de Segurança de Produtos de Origem Animal, Gustavo Soto Kruse, Daniel Larrañaga e Irán Soler. Por sua vez, a comitiva chilena foi composta por Juan Tapia Bergqvist, Víctor Galindo Flores, Paulina Méndez Romero, Andrés Arias Carvajal, Igor Pérez Pinar e César Lopendía Rivas – que auditaram estabelecimentos situados nas províncias de Buenos Aires, Entre Ríos e Neuquén, que estando em condições poderiam somar-se à lista dos já habilitados para comercializar com o Chile.

O coordenador de Segurança de Produtos de Origem Aviária, Gustavo Soto Kruse, explicou que “é muito importante o trabalho do Senasa para manter aberto um mercado como o do Chile. Para o setor avícola argentino, esse país é um destino muito significativo já que grande parte das exportações vão para esse país”.

“Temos com o Chile uma relação comercial de muitos anos e é muito importante para a atividade avícola da Argentina manter esse mercado vigente e com a maior quantidade possível de plantas habilitadas”, acrescentou o representante do Senasa.

Da mesma forma, Gustavo Soto Kruse destacou que os auditores destacam em suas conclusões finais “que o sistema de controle oficial do Senasa é robusto e dá as garantias para os requisitos sanitários chilenos; portanto, será possível contar com estabelecimentos que mantém sua habilitação vigente e com novas plantas, conseguindo, assim, chegar a um total de 18 estabelecimentos que poderão exportar sua produção ao país vizinho. Falta o comunicado final, mas o resultado geral preliminar é muito bom”.




MERCADO +

DataProdutoValor
18/01/2021 Congelado +
(kg)
R$ 5,86
18/01/2021 Resfriado +
(kg)
R$ 6,20

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
11-15/01/2021 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 94,62
R$ 110,24

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil setembro 2020

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


Logo Ceva
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies