05 nov 2018

ABPA vai ao CIIE, na China, de olho nas exportações dos próximos anos

CIIE China ABPA Apex-Brasil


AUTOR(ES)

Priscila Beck

Diamond V

A ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) participará, essa semana, do CIIE (China International Import Expo), organizado pelo Governo Chinês, com o propósito de definir o planejamento das importações chinesas para os próximos cinco anos. A participação da ABPA conta com o apoio da Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos).

O evento teve início nesta segunda-feira (5/11) e seguirá até sábado (10/11), em Xangai (China). Se trata de uma iniciativa exclusiva e restrita a convidados, reunindo importadores chineses e exportadores de todo o mundo, para fomentar novos negócios, sob a supervisão do Governo do país asiático.

Na ocasião, a avicultura e a suinocultura do Brasil serão representadas pelo Diretor-executivo da ABPA, Ricardo Santin, e pela analista de promoção comercial, Nayara Dalmolin, presentes em um estande no espaço da Apex-Brasil, no CIIE.

“O peso político e a importância estratégica deste evento torna imprescindível a participação da ABPA no evento, valorizando a parceria e estimulando novos negócios entre os exportadores brasileiros e os importadores da China.  Vamos reforçar a disponibilidade de nosso setor em seguir como um parceiro confiável para a segurança alimentar da população chinesa”, ressalta Santin.

Estudo Apex-Brasil

 

Um estudo realizado pela Apex-Brasil, aponta que as exportações brasileiras para a China de “Alimentos e bebidas” (excluindo-se os produtos não comestíveis do agronegócio) foram de US$ 17,3 bilhões em 2016, observando-se uma superconcentração em “Soja, mesmo triturada” (83%), seguida por “Carne de frango in natura” (5%), “Outros açúcares” (4,7%), “Carne de boi in natura” (4,1%), “Carne de suíno in natura” (1,1%) e “Óleo de soja em bruto” (1%).

Naquele ano, os principais países fornecedores de alimentos e bebidas para a China foram os Estados Unidos e Brasil, com participações nas importações chinesas de, respectivamente, 21,7% e 20,3%.

As importações chinesas do grupo “Carne de frango in natura” são compostas, praticamente em sua totalidade, de “Pedaços e miudezas comestíveis de galos e galinhas da espécie doméstica, congelados” e alcançaram a soma de US$ 1,3 bilhão, em 2016, sendo 85% desse valor com origem no Brasil.

Exportações Frango Brasil China 2016 Apex-Brasil

Com informações da Assessoria de Imprensa da ABPA e do site da Apex-Brasil




MERCADO +

DataProdutoValor
22/01/2021 Congelado +
(kg)
R$ 5,99
22/01/2021 Resfriado +
(kg)
R$ 6,15

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
11-15/01/2021 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 94,62
R$ 110,24

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil setembro 2020

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


Logo Ceva
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies