11 set 2020

Paralisações geraram queda nos abates de frangos no 2o trimestre de 2020

abates de frangos


AUTOR(ES)

Priscila Beck

Diamond V

As paralisações temporárias em frigoríficos em razão da pandemia da COVID-19 levaram a uma queda de 1% nos abates de frangos durante o segundo trimestre de 2020. Segundo dados da Pesquisa Trimestral do Abate de Animais do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no 2º trimestre de 2020 foram abatidos 1,41 bilhão de cabeças de frangos.

Os dados do segundo trimestre, comparados ao primeiro trimestre de 2020, apresentam uma queda ainda maior, de 6,8%.Segundo divulgado pelo IBGE, é o pior resultado para um trimestre desde o 2° trimestre de 2018.

abate de frangos

O abate de 14,17 milhões de cabeças de frangos a menos no 2º trimestre de 2020, em relação a igual período do ano anterior, foi determinado por queda nos abates em 12 das 25 Unidades da Federação que participaram da pesquisa. Entre aquelas com participação acima de 1,0%, ocorreram quedas em:

  • Rio Grande do Sul: (-20,75 milhões de cabeças);
  • Goiás: (-13,75 milhões de cabeças);
  • Santa Catarina: (-8,35 milhões de cabeças);
  • Pará (-2,96 milhões de cabeças) e
  • Mato Grosso (-2,47 milhões de cabeças).

Em contrapartida, ocorreram aumentos em: Paraná, com 25,12 milhões a mais de cabeças abatidas; Minas Gerais, com 3,21 milhões a mais de cabeças de frango abatidas; Bahia, onde foram abatidas 2,36 milhões a mais de cabeças; Mato Grosso do Sul, com 2,28 milhões a mais de cabeças de frango abatidas; e São Paulo, onde o aumento de abates foi de 1,45 milhões de cabeças de frangos.

No ranking das Unidades Federativas, o estado do Paraná continua liderando amplamente o abate de frangos, com 34,2% da participação nacional, seguido por Santa Catarina, com 13,8% dos abates nacionais e Rio Grande Sul, com 12,9% de participação nos abates do país.

Ovos

A produção de ovos de galinha, por sua vez, foi de 974,15 milhões de dúzias no 2º trimestre de 2020, número 2,8% maior que o registrado no 2º trimestre de 2019 e 0,3% acima do que o apurado no trimestre imediatamente anterior. O pico da produção ocorreu em maio, quando foram contabilizadas 326,73 milhões de dúzias, 2,0% acima da produção do mês equivalente de 2019.

Períodos de recessão econômica como o do isolamento social por conta da pandemia do COVID-19 tendem a aumentar o consumo de ovos de galinha, por se tratar de uma fonte de proteína mais acessível do que as carnes.

produção de ovos brasil 2020

A produção de 26,34 milhões de dúzias de ovos a mais, em nível nacional, no comparativo dos 1os trimestres 2020/2019, foi impulsionada por aumentos em 18 das 26 UFs com granjas enquadradas no universo da pesquisa. Os aumentos mais intensos ocorreram em:

  • São Paulo (+6,35 milhões de dúzias);
  • Mato Grosso (+5,80 milhões de dúzias);
  • Santa Catarina (+4,43 milhões de dúzias);
  • Paraná (+4,26 milhões de dúzias);
  • Rio Grande do Sul (+3,94 milhões de dúzias) e
  • Bahia (+3,60 milhões de dúzias).

Em contrapartida, as retrações mais consideráveis ocorreram em Minas Gerais (-6,45 milhões de dúzias), Goiás (-1,58 milhão de dúzias) e Espírito Santo (-1,12 milhão de dúzias). Durante o primeiro trimestre de 2020, o Estado de São Paulo se manteve como maior produtor de ovos dentre as Unidades da Federação, com 29,1% da produção nacional, seguido por Paraná (9,3%) e Espírito Santo (9,2%).

Fonte: IBGE




MERCADO +

DataProdutoValor
28/10/2021 Congelado +
(kg)
R$ 6,07
28/10/2021 Resfriado +
(kg)
R$ 6,07

* ORIGEM BASTOS (SP)
DataProdutoValor
19 - 23/10/2020 Branco +
Vermelho +
(cx. 30 dúzias)
R$ 95,94
R$ 115,15

* ORIGEM BASTOS (SP)

SESSÕES TÉCNICAS ESPECIAIS +

REVISTA AVINEWS BRASIL +

NOVIDADES

 

REVISTA

Revista aviNews aviNews Brasil Junho 2020

ARTIGOS DA REVISTA



 
 


Consultar outras edições


aviagen
 

Cadastro Newsletter aviNews Brasil

Tenha acesso a boletins de nossos especialistas e a revista digital.



 

aviTips
aviNews Brasil
no Youtube

 
logo

GRUPO DE comunicação agrinews

Política de Privacidade
Política de Cookies